Holanda

Ruim para todo mundo: empate entre PSV e Feyenoord em momento decisivo da Eredivisie termina com gosto amargo

Com empate por 2 a 2, PSV manteve vantagem de 10 pontos sobre o Feyenoord, segundo colocado; Boeren têm 21 vitórias e 3 empates na competição

PSV e Feyenoord fizeram um dos jogos mais importantes da Eredivisie desta temporada neste domingo (3). Se os anfitriões ganhassem no Philips Stadion, abririam 13 pontos de vantagem na liderança do campeonato e sacramentariam praticamente o título, que agora vem sendo feito em campanha invicta. Se os vice-líderes vencessem, diminuiriam a vantagem para 7 pontos, quebrariam a invencibilidade do PSV e teriam chances maiores de buscar um bi consecutivo. Como não podia deixar de ser, o jogo foi bastante tenso, mas o 2 a 2 deixou um gosto amargo para ambos os times.

Com gols de Malik Tillman e Guus Til pelo lado do PSV, e Yankuba Minteh e Santiago Giménez pelo Feyenoord, a distância entre os dois primeiros colocados se manteve de 10 pontos, faltando 10 jogos para o fim do torneio. Mesmo não vencendo em casa, o PSV chegou aos 66 pontos, e ao menos manteve a maravilhosa campanha, de 21 vitórias e 3 empates nesta edição. Já o Feyenoord ficou com 56 pontos, no segundo lugar. A equipe está também a 6 do Twente, terceiro colocado do torneio.

Erro individual impede PSV de ficar à frente

Mesmo sendo um clássico, o PSV não demorou para mostrar os motivos de fazer uma campanha tão espetacular na Eredivisie de 2023/2024. Na saída de bola, De Jong deu um toque de primeira após receber lançamento de André Ramalho. Tillman recebeu o toque e botou a bola no meio das pernas do zagueiro Hancko. Livre, ele apenas deu um sutil chute no canto de Wellenreuther para abrir o placar, aos 3 minutos.

Uma das principais características do time de Eindhoven é a manutenção da posse de bola, desde o campo de defesa. E foi justamente isso que fez o time levar o empate. O primeiro susto veio com Giménez, que ficou na cara do goleiro, mas Benítez salvou na finalização cara a cara. Porém, aos 22 minutos, não teve jeito. Na saída, o zagueiro Boscagli ficou na dúvida do que fazer ao ser pressionado por Minteh. O gambiano roubou a bola do defensor, e na cara de Benítez, driblou o goleiro para igualar o placar, aos 22 minutos.

Diante da torcida, o PSV voltou a tomar o controle do jogo, e quase marcou o segundo 7 minutos depois. A defesa do Feyenoord errou na saída, e Lozano tomou a bola no campo de ataque. Ele tocou para De Jong, que passou a bola para Tillman. Mas dessa vez, a finalização do camisa 10 dessa vez bateu na trave. Nos acréscimos, Tillman mostrou outra vez que estava a fim de jogo. Ele passou por dois jogadores, avançou até a linha de fundo e cruzou rasteiro. Porém, Geertruida apareceu em cima da hora para impedir Lozano de fazer o gol, e colocar o PSV à frente antes do intervalo.

Mudanças do Feyenoord põem muito mais fogo na partida

Percebendo a insegurança dos defensores do PSV, o Feyenoord não tomou conhecimento e foi com tudo para cima. Logo no início, Benítez fez grande defesa após boa jogada e finalização de Giménez. E aos 7 minutos da etapa final, o goleiro argentino mais uma vez impediu uma parcial desvantagem para o seu time. Ele defendeu um chute forte de Geertruida após vacilo na marcação, e no rebote, voou bonito para impedir a virada em mais um chute de Giménez.

A outra mudança feita pelo técnico Arne Slot, do Feyenoord, foi colocar o volante Zerrouki fazendo marcação individual em Tillman, que foi o grande nome da primeira etapa. Sem o mesmo espaço dos primeiros 45 minutos, o camisa 10 teve muita dificuldade para criar jogadas e manter a pressão de outrora do PSV.

E as mudanças tanto na defesa quanto no ataque fizeram o Feyenoord virar, e finalmente com gol de Giménez. Geertruida avançou dentro da área pela linha de fundo, e encontrou o centroavante mexicano livre para marcar o segundo dos visitantes, aos 16 minutos.

A virada fez Peter Bosz mudar o PSV imediatamente. Ele tirou o zagueiro André Ramalho e pôs o meia Guus Til. E a troca se mostrou acertada 9 minutos depois de sua entrada. Ele fez tabela com De Jong e após um passe pelo alto, recebeu livre a bola para acertar um chutaço no contrapé do goleiro, empatar a partida e agitar a torcida que lotou o Philips Stadion. O empate parcial era insatisfatório para ambos os times, que tentavam vencer apostando na correria. Porém, o cansaço e o excesso de faltas fez com que a partida ficasse mais amarrada, e terminasse em um empate com gosto amargo tanto para PSV quanto para Feyenoord.

Foto de Vanderson Pimentel

Vanderson Pimentel

Jornalista formado em 2013, e apaixonado por futebol desde a infância. Em redações, também passou por Estadão e UOL.
Botão Voltar ao topo