Holanda
Tendência

Depois de 11 anos num papel também marcante como dirigente, Van der Sar deixa o comando do Ajax

Van der Sar retornou aos bastidores do Ajax em 2012 e se tornou um dos rostos mais marcantes dos novos sucessos continentais do clube

O Ajax passa por um período de mudanças, algo claro desde a saída do técnico Erik ten Hag. Já nesta terça-feira, os Godenzonen anunciaram uma mudança de peso na gestão: Edwin van der Sar não será mais o chefe-executivo do clube. O ex-goleiro passou 11 anos no comando dos Ajacieden, em diferentes cargos, e se tornou um dos nomes mais importantes nos sucessos do período, sobretudo pelas boas campanhas continentais e pelas conquistas na na Eredivisie. Porém, o desgaste ao redor do antigo ídolo era inegável e os equívocos da atual temporada aumentaram a pressão. O veterano, então, prefere sair de cena.

Van der Sar retornou ao Ajax com uma história respeitável, sobretudo pelos tempos em que era uma liderança em campo e um dos astros do time vencedor da Champions League 1994/95. Após se aposentar no Manchester United e realizar sua formação, o ex-goleiro assumiu o cargo de diretor de marketing em 2012. Ficou quatro anos no posto, o último deles também como presidente esportivo. Já o início como chefe-executivo ocorreu em 2016. Combinou-se com um período de sucesso continental, com a campanha à final da Liga Europa 2016/17 e à semifinal da Champions 2018/19. Van der Sar era uma figura bastante querida e atuava na linha de frente das relações dos Ajacieden. Entretanto, nem tudo seria um mar de rosas nesta temporada, com o declínio do time.

“Depois de 11 anos na direção, acabou. Experimentamos coisas maravilhosas juntos, mas também foi um período incrivelmente duro. Sou muito grato às pessoas que conheci e com quem trabalhei na minha segunda carreira no Ajax, e o que conquistamos e atravessamos juntos. Sinto a necessidade de tomar alguma distância, ter um descanso e fazer outras coisas. Não me faz sentir bem tomar decisões sobre o futuro desse clube maravilhoso nos próximos tempos. É por isso que decidi sair”, declarou Van der Sar, em sua carta de despedida.

Recentemente, Van der Sar já tinha saído do conselho da presidência do Ajax. A decisão indicava seu afastamento gradual das atividades do clube. De qualquer maneira, a opção por renunciar ao cargo de chefe-executivo mostra o incômodo do ex-goleiro com a posição. Prefere deixar que outra pessoa assuma o trabalho de renovação, com outra visão e novos ares para recuperar o desempenho dos Godenzonen. Os últimos meses, de fato, não foram bons para Van der Sar.

Sem um envolvimento tão direto na montagem do elenco e nas decisões do planejamento esportivo, Van der Sar endossou muitos equívocos tomados pelo Ajax na atual temporada. O clube não conseguiu remontar seu elenco após as perdas sensíveis do verão e também não fez uma boa escolha de treinador, ao trazer de volta Alfred Schreuder. Sem que os resultados viessem em campo e com uma clara dissonância interna, Van der Sar chegou a ser vaiado pela própria torcida. Sinal mais do que claro sobre a relação que tinha se quebrado.

O Ajax não conquistou um título sequer na temporada. Terminou a Eredivisie bem longe do Feyenoord, enquanto perdeu Supercopa e Copa nas finais contra o PSV. As campanhas nas competições europeias também deixaram muito a desejar, com a queda precoce na Champions League e a eliminação imediata para o Union Berlim após a repescagem à Liga Europa. Terceiro colocado na liga nacional, o time precisará disputar a Liga Europa no próximo ano e, com isso, sabe que menos dinheiro entrará em caixa.

Em suas redes sociais, o Ajax homenageou Van der Sar: “Edwin van der Sar ingressou na diretoria do Ajax como diretor de marketing em novembro de 2012. Um ex-jogador do Ajax em uma alta posição no clube, seguindo a filosofia de Johan Cruyff. Depois de 11 anos na direção, ele tomou sua decisão de deixar o cargo de chefe-executivo”, escreveu. Em sua retrospectiva sobre o trabalho, o clube exaltou as conquistas de Van der Sar tanto em conseguir novos troféus quanto em aumentar a visibilidade e buscar novos patrocínios. Também ressaltou as campanhas continentais vividas, o sucesso do futebol feminino e as transferências do futebol masculino.

Van der Sar ainda permanecerá no cargo de chefe-executivo nas próximas semanas e, depois, auxiliará o processo de transição. A principal figura neste novo momento do clube é Sven Mislintat, diretor de futebol com passagens por Borussia Dortmund, Arsenal e Stuttgart. O alemão iniciou seu trabalho em maio e deve ser o homem forte no departamento de futebol, para remodelar a equipe para a próxima temporada e recuperar a competitividade dos Ajacieden. Por enquanto, o dirigente sustenta a permanência de Johnny Heitinga como treinador da equipe principal.

Nesta semana, o Ajax também anunciou seu primeiro reforço para a próxima temporada: o meio-campista Branco van den Boomen. O jogador de 27 anos passou pela base dos Ajacieden, mas não se profissionalizou. Depois, rodou por equipes como o Heerenveen, o Willem II, o FC Eindhoven e o De Graafschap. Estava na segunda divisão quando foi levado pelo Toulouse e se tornou destaque na França. O volante liderou a campanha de acesso dos violetas à Ligue 1 e também a conquista da Copa da França nesta temporada. Foram 23 gols e 45 assistências em 120 partidas pelo Téfécé. Entretanto, ao final de seu contrato, resolveu ouvir propostas de outros lugares e assinou com o Ajax. É uma boa adição, mas ainda pouco para aquilo que os Godenzonen precisam. Especialmente quando se perde uma referência como Van der Sar.

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo