Holanda

Após uma década rodando pela Europa, Bas Dost volta à Eredivisie para liderar o ataque do Utrecht

Bas Dost conquistou títulos na Alemanha, em Portugal e na Bélgica, retornando ao seu país aos 33 anos

Bas Dost faz parte de uma linhagem de grandalhões que empilharam gols na Eredivisie e ganharam fama rumo a ligas maiores. Ao longo de uma década, o centroavante pôde se provar em clubes de peso ao redor da Europa. Jogou por Wolfsburg, Sporting, Eintracht Frankfurt e Club Brugge. Aos 33 anos, então, chegou o momento de retornar ao seu país. Nesta sexta, o veterano foi apresentado como novo reforço do Utrecht. Chega sem custos, com contrato de uma temporada, para auxiliar o sétimo colocado da última edição da liga.

Dost começou sua carreira no Emmen e ganhou um pouco de destaque quando se transferiu ao Heracles. Porém, o grande momento de sua história nos Países Baixos aconteceu mesmo com o Heerenveen. O centroavante seria um herdeiro de Afonso Alves e, tal qual o brasileiro, anotou muitos gols para se sagrar artilheiro da Eredivisie. Foram 32 tentos em 34 partidas na temporada 2011/12, com mais oito assistências. Assinou contrato com o Wolfsburg depois disso.

Na Alemanha, Dost teve um desempenho irregular em suas quatro temporadas pelo Wolfsburg, mas sublinhou seu nome especialmente pelos feitos de 2014/15. O centroavante marcou 16 gols em 21 partidas pela Bundesliga, auxiliando no vice-campeonato dos Lobos, enquanto anotou o tento que selou o título na Copa da Alemanha. Sua próxima parada seria em Portugal, contratado pelo Sporting em 2016/17. Foi onde mais marcou gols, em especial pelo desempenho incrível na temporada de estreia.

Bas Dost acumulou 34 gols em 31 partidas pelo Campeonato Português em 2016/17, mais uma vez artilheiro de uma liga nacional. Também faria 27 tentos na edição seguinte da liga, embora tenha sido uma das maiores vítimas da nefasta invasão do centro de treinamentos promovida pelos ultras. O centroavante recebeu uma pancada na cabeça e também chutes dos vândalos. Apesar do rompimento inicial do seu contrato, resolveu ficar após a saída do presidente Bruno de Carvalho. Seguiu marcando seus gols na temporada seguinte, apesar dos problemas de lesão. Em seus três anos com os leoninos, faturou duas vezes a Taça de Portugal e uma vez a Taça da Liga.

Em 2019/20, Bas Dost retornou à Bundesliga para defender o Eintracht Frankfurt. Era uma reposição às vendas de Sébastien Haller e Luka Jovic, mas não correspondeu. Ficaria uma temporada e meia, até ser negociado com o Club Brugge. Teria sua utilidade na Bélgica, auxiliando na conquista de dois títulos da liga nacional. Não chegou a ser artilheiro, mas conseguiu marcar 21 gols em 45 partidas pela competição, mesmo tantas vezes saindo do banco. Sem contrato, ficava livre para buscar outros rumos.

O Utrecht claramente representa um passo atrás para a carreira de Bas Dost. O centroavante se acostumou a disputar as copas europeias nas últimas temporadas, o que não será o caso agora. Porém, o clube ainda assim parece um bom destino para esse momento de sua trajetória. É um figurante costumeiro na parte de cima da tabela e que mantém bom nível competitivo. Dost poderá providenciar gols para que o Utrecht escale algumas posições. Quem sabe, para evocar a velha lenda do artilheiro do Holandesão, desandando a balançar as redes como nos bons tempos de Heerenveen. Pela presença de área e pela força no jogo aéreo, tem condições.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo