Games

GOALS promete fim do handicap para rivalizar com eFootball e FIFA

Ainda sem data de lançamento, o simulador de futebol promete a plataforma ideal para o e-sport e a vitória unicamente pela habilidade do jogador

Anunciado por Andreas Thorstensson, co-fundador da SK Gaming e ex-pro player de Counter-Strike, um novo jogo de futebol está em desenvolvimento e tem tudo para balançar as estruturas no nicho. GOALS será um simulador de futebol gratuito, multiplataforma, com foco no modo competitivo, pronto para o e-sport e com o modelo play to earn (jogue para ganhar) com NFT – non-fungible token – para recompensar o esforço dos jogadores. Até o momento, não há data de lançamento estimada e nem as plataformas que suportarão o jogo.

Para entender o projeto, que ainda está em fase inicial de desenvolvimento, é essencial entender de onde ele vem. A SK Gaming é uma das mais tradicionais equipes de e-sports e é reconhecida, principalmente, pelo sucesso nas competições de Counter-Strike. Entre os fundadores da equipe, está Andreas Thorstensson, que jogou profissionalmente durante 10 anos e hoje desenvolve jogos e gerencia equipes de e-sports. Segundo Andreas, “depois de jogar mais de 5 mil partidas de FIFA Ultimate Team e acompanhar a cena de e-sports por um bom tempo, ficou nítido como o sistema está quebrado e sem sinais de melhora. Então, nós decidimos consertar”. Na publicação no Twitter, ele anexa o trecho de uma entrevista de Steve Jobs destacando como as empresas perdem sua essência ao focar em marketing e vendas e deixar de lado o que ele considera como o principal, o produto. Na sequência, o empresário sueco afirma que “eles vão fazer o maior jogo de futebol de todos os tempos”.

O discurso que sustenta GOALS vai ao encontro das principais críticas dos jogadores de FIFA. Como não é um jogo desenvolvido para o e-sport, e sim adaptado, os servidores recorrentemente ficam sobrecarregados durante partidas do ciclo competitivo e o handicap – vantagem concedida pela máquina em alguns momentos do jogo – inviabiliza uma disputa honesta em muitos casos. O sueco afirma que pelo jogo “ser primeiramente multiplayer, a SK Gaming está colocando muitos esforços em criar uma experiência fluida para eliminar lag, latência e delay, que são os principais problemas dos jogos de futebol hoje”. Neste ponto, Andreas é categórico ao garantir que por ser desenvolvido para o e-sport, o simulador de futebol não utilizará handicap ou qualquer outro mecanismo de sistema de paridade. A ideia é que haja rankeamento adequado e que os jogadores vençam pelas suas próprias habilidades e nada mais.

Além da jogabilidade, o modelo play to earn deve ser destaque no novo simulador de futebol. Se até hoje FIFA e Pro Evolution Soccer não permitem e buscam punir pessoas que vendem itens e contas de seus games, GOALS pretende viabilizar estas transações e “devolver o poder aos jogadores”. O sistema que garante isso é o NFT – non-fungible token – porque garante a exclusividade e veracidade das propriedades intelectuais, gerando assim um ativo que pode ser comercializado de forma idônea. Ainda não foi explicado em detalhes como isso funcionará na prática. Uma possibilidade é que as suas conquistas dentro do game possam ser vendidas para outros jogadores e garantir dinheiro real. Para entender melhor o assunto é possível ver o documentário “Play-to-Earn: NFT Gaming nas Filipinas”, de Lead Callon-Butler e Nathan Smale, que relata como um grupo de filipinos utiliza-se do formato para jogar Axie Infinity,vendendo os bichinhos de dentro do jogo, e garante rendimentos superiores ao salário mínimo local.

Visando o competitivo, GOALS pode ser disparado o melhor jogo de futebol, afinal, será feito especificamente para ele. O handicap vem de uma tentativa off-line de gerar narrativas incríveis para o jogador individual – como gols no final do jogo e viradas improváveis – e não devem ter espaço no e-sport. Ao recompensar o jogador assíduo financeiramente, o jogo pretende permitir que mais pessoas possam viver do jogo que amam e não apenas seguindo a carreira de jogador profissional. O lado ruim pode ficar para aqueles que não se empolgam com a experiência on-line. Nada foi comentado sobre o modo não-competitivo do game e não seria absurdo algum se ele não existisse. Cabe relatar que GOALS está em fase inicial de desenvolvimento e, inclusive, ainda está contratando alguns profissionais para a equipe. O lançamento não tem data e nem deve ser próximo.

Mostrar mais

João Belline

Jornalista de formação, louco dos esportes por opção. Depois de muito escalar Cartola, jogar Winning Eleven, escrever escalação dos sonhos no caderno e topar o dedão na rua, falar sobre futebol virou uma necessidade. É mais um leitor que buscou espaço no time da Trivela e entende que futebol está acima do clube.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo