Games

Adolescente canadense fez o pai gastar mais de US$ 7 mil com compras no Fifa 16

Fifa 16 é um dos jogos de futebol mais adorados do mundo, junto com o PES 2016. Os dois lideram de longe a lista dos jogos de futebol mais jogados em consoles no mundo. No Fifa 16, um dos modos de jogo mais populares é o Ultimate Team, que você vai montando o seu time de acordo com os cartões que recebe. Tudo muito bom, tudo muito bem. Só que isso dá muito trabalho e quem jogou sabe. É preciso paciência, entrar em diversos torneios on e offline, ganhar jogos e mais jogos. Você pode comprar mais cards usando seu dinheiro, mas, sabe, tudo é preciso ter limite. Um adolescente no Canadá não entendeu isso. E fez o pai gastar mais de US$ 7 mil no cartão de crédito em um mês.

LEIA TAMBÉM: Passados 20 anos, Totti é o único jogador remanescente do Fifa 96 em atividade

Lance Parkins, que vive em Ontario, recebeu a fatura do cartão de crédito no dia 23 de dezembro e tomou um enorme susto. O filho, adolescente de 17 anos, gastou US$ 7.625,88 comprando Fifa points para melhorar o seu time no modo Ultimate Team. Isso mesmo: mais de US$ 7 mil. O pai ficou tão furioso com o filho que o proibiu de ter qualquer videogame na sua casa para sempre. “Eu fiquei no chão. Fiquei literalmente no chão quando vi o que estava sendo cobrado”, disse Parkins, em entrevista à CBC.

Segundo o pai, o cartão de crédito foi deixado com o adolescente para fazer compras de emergência para a família na loja de conveniências. O filho admitiu que usava para outros fins não autorizados pelo pai e que também ficou chocado com o valor gasto. “Ele pensou que era cobrado tarifa apenas uma vez no jogo”, descreveu o pai, com a conta gorda do cartão de crédito. “Ele está tão impressionado como eu, porque ele nunca acreditou que estava sendo cobrado em cada transação ou a cada vez que ele ia para o jogo”, disse.

Perkins, desesperado, entrou em contato com a empresa dona do Xbox, Microsoft, para tentar reverter a cobrança. Ele ouviu que a cobrança era legítima. Informou que o filho era menor de idade e a empresa prometeu avaliar, mas não deu uma resposta. Em resposta à CBC, a Microsoft afirmou que a cobrança usando um cartão de crédito “é perfeitamente legal”. Segundo a empresa, compras de um filho menor usando a conta de pagamento dos pais são transações legítimas de acordo com o termo de uso dos serviços Microsoft. “Nós encorajamos os pais a usarem as muitas plataformas e serviços que colocamos à disposição para prevenir cobranças não autorizadas”, diz ainda a nota enviada à rede de TV.

O pai então declarou: “Nunca mais terá um Xbox ou qualquer videogame na minha casa de novo”. É, o filho dos Perkins não deve ter ganhado presente de Natal neste ano.

Via CBC

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo