Copa da Liga FrancesaFrançaLigue 1

Saint-Étienne revê o brilho das taças. Voltando a ser grande?

Não houve esquadrão capaz de derrubar a supremacia do Saint-Étienne na Ligue 1. Graças a anos pródigos entre as décadas de 1960 e 1970, os Verts se tornaram os maiores campeões do futebol francês. A décima conquista, no entanto, encerrou o período de força do clube. Um jejum de títulos relevantes que durou 32 anos, mas que finalmente se encerrou. O clube reviu a cor do ouro ao levantar a taça da Copa da Liga Francesa neste sábado.

Grande força local, o Saint-Étienne viu sua melhor fase durar até 1981, pouco antes de vender o craque Michel Platini à Juventus. O declínio foi marcante nos anos seguintes, impulsionado pelos problemas administrativos. Presidente do clube em nove dos títulos nacionais, Roger Rocher foi pego em um esquema de desvio de dinheiro e renunciou ao cargo. Foi o estopim para a crise, que incluiu redução drástica da folha salarial e rebaixamento à Ligue 2 em 1984.

De volta à elite duas temporadas depois, os Verts se transformaram de potência em time de meio de tabela. E, novamente enfrentando perdas financeiras, viveu na gangorra com mais dois rebaixamentos entre 1997 e 2002. A estabilidade só aconteceria a partir de 2004, quando Bernard Caiazzo assumiu a presidência e teve o apoio do empresário Roland Romeyer. Em algumas temporadas, o Saint-Étienne voltou a ter pesadelos com o rebaixamento, mas a guinada permitiu também que o clube sonhasse com títulos e com a Champions.

A conquista da Copa da Liga é o primeiro fruto do trabalho feito pelo técnico Christophe Galtier, no comando desde 2009 e que se destaca por saber adaptar a equipe aos diferentes adversários. Depois de deixar Paris Saint-Germain e Lille pelo caminho, o título aconteceu depois da vitória por 1 a 0 sobre o Rennes. O herói na decisão foi o brasileiro Brandão, completando jogada de Pierre-Emerick Aubameyang, dono do time.

E o futuro continua sendo promissor. A equipe é a quinta colocada na Ligue 1, a cinco pontos da zona de classificação à Liga dos Campeões e com um jogo a menos que os rivais pela vaga, Olympique de Marseille e Lyon. Ambos são adversários dos Verts nas próximas rodadas da competição, assim como o Lille, também no páreo. Invicto há 13 rodadas, a melhor série da competição, atualmente, o time tem a chance que precisa para provar sua força.

Garantido na Liga Europa, o Saint-Étienne pode ir além. Participar da Champions, torneio no qual esteve presente pela última vez em 1982 e do qual já foi vice-campeão, daria o gosto do prestígio sentido no passado. Mais que isso, garantiria bons milhões às contas do clube. Talvez não o suficiente para que brigue novamente pelo título, agora contra o poderoso Paris Saint-Germain, mas para se tornar ao menos frequentador do topo da tabela. Como sua história merece.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo