Copa da FrançaFrança

Olha a zebra! Time da terceirona derruba Marseille na Copa

A má fase do Olympique de Marseille ganhou contornos de drama nesta terça-feira. Somando sete partidas sem vitória, o clube foi eliminado nas quartas de final da Copa da França pelo pequenino Quevilly – que sustentava jejum de cinco partidas na terceira divisão francesa. Os marselheses tentaram escapar do vexame, levando o jogo para a prorrogação, mas sofreram um gol no último minuto do tempo extra e tiveram que engolir a derrota por 3 a 2.

Bastaram apenas seis minutos para que os anfitriões surpreendessem os gigantes. Após falta cobrada em direção à área, Julien Valero subiu mais que a marcação e cabeceou cruzado, tirando do alcance de Gennaro Bracigliano.

Depois do susto, o Marseille partiu para cima atrás do resultado. No final da primeira etapa, Rod Fanni finalizou com perigo e o goleiro Issa Coulibaly salvou o Quevilly. O clube da terceira divisão quase ampliou no início da segunda etapa, em nova cobrança de falta que Joris Colinet acertou a rede pelo lado de fora. Quatro minutos depois, Gignac respondeu batendo falta no canto, para novo milagre de Coulibaly.

Limitado às bolas paradas, o Quevilly ameaçou novamente aos 38, em escanteio desviado com perigo por Valero. E somente a cinco minutos do fim é que o Olympique de Marseille concretizou o empate. Após cruzamento da direita, André Ayew desviou de cabeça para Loïc Rémy finalizar, sem chances para o goleiro Coulibaly.

Na prorrogação, o Quevilly voltou a ficar em vantagem aos seis minutos do segundo tempo. Depois de cruzamento da direita, John Ayina apareceu no centro da área para concluir. O Marseille se recobrou do susto rapidamente e, no minuto seguinte, Rémy aproveitou outra bola ajeitada por André Ayew para empatar.

O golpe fatal, contudo, saiu no penúltimo minuto da prorrogação, com o OM penalizado por mais uma cobrança de falta. Bracigliano saiu do gol para tentar segurar a bola sobre a cabeça de seu zagueiro, Souleymane Diawara, mas não conseguiu segurar a bola. Com a meta vazia pela frente, Ayina aproveitou o presente para garantir o resultado histórico.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo