França

Monaco não pode ser só Falcao e Rivière se quiser taças

O Monaco não se preocupou com dinheiro e torrou € 146 milhões na última janela de transferências, o clube que mais gastou na Ligue 1. Porém, até o jogo deste domingo, tropeço de 1 a 1 com o Reims, apenas dois jogadores haviam tido a honra de balançar as redes adversárias. Radamel Falcao, que custou € 60 milhões junto ao Atlético de Madrid, continua liderando a artilharia do time, com sete gols em oito jogos, seguido por Emmanuel Rivière, que marcou seis vezes em sete jogos.

O reinado da dupla acabou no primeiro tempo, quando o meia João Moutinho, cobrou falta por fora da barreira, empatando a partida em 1 a 1. Graças também ao erro do goleiro Kossi Agassa, que deixou muito espaço na formação da barreira.

Falcao só acordou no final do primeiro tempo, ao dar um passe açucarado para Rivière, que tirou do goleiro, mas também das redes do Reims, em seu único chute na partida. O colombiano ainda teve uma oportunidade, mas finalizou cruzado, vendo a bola passar por toda a área adversária. Na volta do intervalo, o técnico Claudio Ranieri sacou Rivière, deixando Falcao isolado no ataque. O colombiano até balançou as redes, mas cometera falta no adversário e teve o lance anulado pelo árbitro. Pouco para evitar o tropeço.

O Monaco manteve a liderança da competição, com 18 pontos, mas a diferença para o PSG está apenas no saldo de gols. É bom Ranieri começar a pensar em alternativas, como James Rodríguez, que foi reserva e entrou no segundo tempo. Está claro que Falcao e Rivière não irão carregar o time nas costas durante toda a temporada. Ter dois matadores afinados pode ajudar os alvirrubros a vencer algumas partidas, mas não o campeonato.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo