Conference LeagueFrança

Mandanda relembrou seus melhores momentos e fechou o gol para assegurar a classificação do Olympique contra o PAOK

O Olympique de Marseille venceu o PAOK na Grécia, após já ter ganho a ida, mas dependeu de grandes defesas de seu goleiro

Steve Mandanda pode ser chamado de lenda do Olympique de Marseille. O goleiro supera as 600 partidas pelo clube e protagonizou momentos importantes, em especial na conquista da Ligue 1 em 2009/10. Pela seleção, é campeão do mundo, reserva em 2018. Atualmente com 37 anos, o veterano não é mais titular absoluto dos marselheses. Em compensação, tem jogado na Conference League e apresenta um excelente nível. Nesta quinta, a classificação do Olympique diante do PAOK rumo à semifinal teve influência direta do arqueiro. Depois da vitória por 2 a 1 na ida no Vélodrome, o placar de 1 a 0 na volta dentro do Estádio Toumba só foi possível graças a Mandanda. O medalhão colecionou defesaças e frustrou qualquer tentativa de reação dos gregos.

Na entrada em campo, a torcida do PAOK deu um espetáculo com sinalizadores e papel picado. O time correspondeu a essa energia com um começo eletrizante no jogo, mesmo tendo o importante desfalque de Omar El Kaddouri revelado em cima da hora. Os alvinegros rondavam a meta do Olympique e perderam ótimas chances, com Theocharis Tsingaras furando diante do gol após passe de Vieirinha. Pouco depois, Mandanda precisou fazer duas ótimas defesas, primeiro parando com o pé um chute de Chuba Akpom e depois rebatendo em cima da linha uma cabeçada de José Ángel Crespo. O relógio marcava apenas dez minutos e os marselheses sobreviviam.

Depois de tamanho sufoco, o Olympique de Marseille conseguiu adiantar a marcação e a travar um pouco mais o jogo do PAOK. Os celestes levaram um tempo até responderem, de fato, mas tinham o duelo sob controle. Quando conseguiram encaixar um bom avanço, abriram o placar aos 34. Numa roubada de bola no campo de ataque, Matteo Guendouzi conduziu o contragolpe e passou para a conclusão de Dimitri Payet, fácil. Os gregos sentiram o baque e demoraram a responder. Porém, antes do intervalo, Mandanda de novo brilhou. Seriam outras duas defesas decisivas.

Logo na volta para o segundo tempo, Cédric Bakambu quase ampliou, em tiro que saiu por pouco. O Olympique de Marseille ainda mantinha a posse de bola e conseguia ditar os rumos da partida. O segundo gol dos celestes parecia mais provável e Sverrir Ingason salvou na pequena área, mesmo quase marcando um gol contra. O PAOK não conseguia exercer uma pressão tão contínua e, para piorar, perdeu o ídolo Vieirinha por lesão. Em seus espasmos, a Águia de Duas Cabeças acabava terminando de consagrar um fantástico Mandanda.

Aos 26, Mandanda voltou a fazer mais uma defesa brilhante, em chicotada de Andrija Zivkovic. O PAOK tentou crescer na reta final e Antonio Colak assustaria num tiro para fora. Quando os gregos acertaram o alvo, lá estava Mandanda. Seria mais duas defesaças, primeiro contra Alexandru Mitrita e depois com um leve desvio no tiro cruzado de Douglas Augusto. Considerando a necessidade dos alvinegros, a esta altura só um milagre evitaria a eliminação. Os milagres só cabiam a Mandanda, entretanto.

O Olympique de Marseille enfrentará o Feyenoord na semifinal, em duelo de antigos vencedores da Champions. Os marselheses, no entanto, possuem uma série de frustrações nas copas europeias desde seu principal título – com três vices na Copa da Uefa / Liga Europa. Inaugurar a galeria de campeões da Conference seria importante aos celestes, até pela falta de troféus ao longo da última década.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo