França

Reforços decisivos: Lyon alcança série de vitórias após Textor gastar mais de 55 milhões de euros em janeiro

Lyon ao todo fez sete contratações na última janela de transferências; quase todos os reforços foram decisivos na sequência vitoriosa da equipe

John Textor começou 2024 com no mínimo três dores de cabeça. No Brasil, o Botafogo perdia um título brasileiro praticamente ganho; na Inglaterra, o Crystal Palace lutava e ainda luta para permanecer na Premier League. Mas o seu principal problema acontecia na França. O empresário dos EUA viu o Lyon amargar a lanterna da Ligue 1 por metade do campeonato.

O início ruim fez ele demitir o técnico Laurent Blanc em apenas 7 jogos, com nenhuma vitória. Sua aposta foi em Fabio Grosso, ex-jogador do clube. Mas a passagem do italiano ficou mais marcada por um atentado que fez um vidro atingir o seu olho roxo, quando torcedores tacaram pedras no ônibus da equipe, que à época figurava na lanterna com zero vitórias, antes de uma partida contra o Olympique de Marseille.

O trabalho do ex-lateral-esquerdo, já com o clima pesado, acabou em dois meses. Com apenas uma vitória em 9 jogos, Grosso foi demitido com os Gones ainda na última posição, e Textor resolveu apostar no trabalho de quem conhecia a casa. Técnico das categorias de base do clube desde 2019, Pierre Sage só tinha trabalhado como técnico de futebol profissional em 2013, à frente do Chambéry, um pequeno clube que atualmente está na quinta divisão nacional. Porém, depois de duas derrotas iniciais, o treinador tampão de 44 anos conseguiu emendar uma sequência de 3 vitórias seguidas na Ligue 1 e uma na primeira rodada da Copa da França, fazendo o time respirar um pouco mais aliviado.

O janeiro que mudou tudo

Mesmo com o Lyon saindo de forma momentânea da lanterna, algo precisava ser feito. Ao todo, John Textor gastou mais de 55 milhões de euros em contratações na janela de transferências de janeiro. Os primeiros foram os brasileiros Adryelson e Lucas Perri, que já tinham pré-acordo anunciado ainda em 2023, antes do Botafogo perder um título praticamente ganho. O mandatário também depositou 29 milhões de euros ao KAA Gent para contratar o meia Malick Fofana e o promissor atacante Gift Orban, e 2,6 milhões ao Rennes pelo experiente volante Nemanja Matic em definitivo.

Nos últimos dias de janela, o Lyon ainda fez dois caras contratações para se salvar de qualquer chance de rebaixamento. Para contratar o volante belga Orel Mangala, o clube pagou 10 milhões de euros pelo empréstimo, com mais 20 como opção de compra. A negociação envolvendo Saïd Benrahma foi semelhante. No argelino, acertou sua transferência aos Gones após o West Ham receber 6 milhões de euros pelo empréstimo, com mais 12 milhões para receber caso os franceses o contratem em definitivo.

Impacto imediato em campo

Tempo de adaptação são importantes para jogadores se acostumarem com os novos companheiros e uma nova estrutura, mas a mudança no time foi praticamente imediata. Com os sete reforços contratados somente em janeiro, os Gones não perderam nenhum jogo em fevereiro. Ao todo, foram 4 vitórias consecutivas na Ligue 1, que levaram o time ao 10º lugar, e também a classificação às semifinais da Copa da França. E em quase todos esses jogos, os reforços tiveram participação direta.

Na vitória contra o Lille pelas oitavas de final da Copa da França por 2 a 1, Orban fez o seu primeiro gol com a camisa dos Gones e ajudou a equipe a avançar de fase. Frente ao Nice, já pela Ligue 1, Mangala fez o único gol da partida pelo campeonato francês, e Benrahma anotou o gol da virada dos Gones por 2 a 1 contra o Metz. E nesta semana, mais um dos reforços virou herói.

Lucas Perri, ainda na reserva em jogos da Ligue 1, defendeu um pênalti e assegurou a classificação do Lyon para as semifinais da Copa da França após o fim do tempo regulamentar em 0 a 0 contra o Strasbourg. E não são apenas as novas caras que saem beneficiadas. Nos últimos 4 jogos pela Ligue 1, Alexandre Lacazette, capitão e referência técnica da equipe, anotou 3 gols, e é o vice-artilheiro da competição. Mesmo sem ter marcado algum gol ainda, Matic também está sendo importante para dar mais segurança à defesa e qualidade na saída de bola da equipe no meio de campo, ao lado de Mangala e Maxence Caqueret.

Quando acaba a remontada do Lyon?

O sérvio de 35 anos mal chegou e já se tornou uma das referências da equipe de Pierre Sage, que finalmente foi efetivado pelo menos até o fim desta temporada. Feliz por ir ao Lyon apesar dos riscos, ele ainda acha que a temporada será longa.

— Quando cheguei, o clube passava por um período difícil, mas senti que o Lyon era o clube certo para mim naquele momento. Este é o projeto certo para mim. Corremos riscos todos os dias, mesmo quando dirigimos para o trabalho. Estou convencido de que tomei a decisão certa. Não podemos prometer um quinto, sexto ou sétimo lugar. Cada jogo é uma final para nós.

E é com essa visão que o Lyon volta a campo neste domingo (3). O próximo jogo dos Gones é contra o Lens, às 16h45, no Groupama Stadium. Caso consiga a quinta vitória seguida, o time permaneceria em 10º, mas ficaria mais perto de talvez sonhar com uma improvável, mas possível classificação para torneios europeus.

Sem trocar os pés pelas mãos, mas com um deles no acelerador. É assim que o Lyon vai caminhando dentro da sua sequência invicta. Matic, Lacazette e Lopes sendo os experientes, Caqueret, Noamah, O'Brien como prodígios, Mangala e Benrahma sendo referências técnicas, e ainda como reservas de luxo como Lucas Perri, Adryelson e Tolisso. O time deu liga rapidamente, e sob o comando do inexperiente Pierre Sage, mostra que ainda tem muito a mostrar nessa edição da Ligue 1, e buscar uma caminho muito melhor já pensando na próxima temporada.

Foto de Vanderson Pimentel

Vanderson Pimentel

Jornalista formado em 2013, e apaixonado por futebol desde a infância. Em redações, também passou por Estadão e UOL.
Botão Voltar ao topo