Ligue 1

Vitória sob vaias: PSG vence o Bordeaux em meio protestos da torcida no Parque dos Príncipes

Com torcida criticando a diretoria e alguns jogadores, PSG venceu com facilidade um jogo de poucos sorrisos

O Paris Saint-Germain conseguiu uma vitória absolutamente tranquila diante do Bordeaux no Parque dos Príncipes neste domingo. O time contou com boa atuação do seu ataque estelar com Neymar, Kylian Mbappé e Lionel Messi para fazer 3 a 0, com gols de dois deles, Neymar e Mbappé, e seguir em ritmo de cruzeiro na liderança da Ligue 1. Só que o jogo não foi assim tão tranquilo por um motivo simples: a torcida estava insatisfeita e revoltada. Não foram raras as vaias e os protestos no estádio, inclusive para Messi e Neymar, que ouviram vaias direcionadas aos dois. Mbappé foi o único poupado do trio de ataque.

Foi o primeiro jogo do clube depois da eliminação diante do Real Madrid na Champions League, que deixou marcas. A vantagem que acabou desperdiçada fez com que a torcida ficasse revoltada e já se esperava um comportamento hostil diante de ao menos alguns jogadores. Mais do que isso, a torcida pede a renúncia de toda a diretoria, para além de insatisfação com os jogadores em campo.

Faixa de protesto da torcida do PSG apoia Mbappé e critica Leonardo: “Mbappé em Paris, Leonardo ao pelourinho” (ALAIN JOCARD/AFP via Getty Images)

O primeiro gol do jogo saiu de uma boa combinação de seus craques. Aos 24 minutos, Lionel Messi achou um bom passe dentro da área para Mbappé, que finalizou com força, vencendo o goleiro Gaetan Poussin. A comemoração do jogador foi discreta, até pelo clima dentro do estádio. Foi o placar do primeiro tempo.

O segundo gol saiu no começo do segundo tempo. Achraf Hakimi fez a jogada pelo lado direito e cruzou para a área, rasteiro, onde Neymar se antecipou à marcação e marcou: 2 a 0. O brasileiro também mal comemorou o gol. O PSG vencia, mas o clima estava longe de ser de festa.

Por fim, aos 15 minutos, em uma bola dentro da área, Leandro Paredes aproveitou a bola que sobrou e o camisa oito chutou no alto e marcou 3 a 0. Assim como os dois gols anteriores, pouca comemoração, apenas abraços entre os jogadores, mas mesmo a tradicional festa da torcida parisiense não foi como em outros dias.

Wijnaldum foi substituído aos 42 minutos do segundo tempo e saiu bastante vaiado. Entrou em campo Julian Draxler, outro jogador que também nunca caiu nas graças do torcedor e se tornou um reserva de luxo, caro e pouco utilizado. É uma das coisas que o torcedor parece revoltado.

O PSG precisará passar por uma reformulação e isso deve começar pelo próprio Leonardo, um dos alvos da torcida. O diretor esportivo do PSG é visto como um dos responsáveis pelo fracasso em campo do time, mas a pressão não irá cessar só com a saída dele. O próprio presidente Nasser Al-Khelaifi é muito cobrado pelos torcedores, assim como toda a direção catariana, e também o treinador e muitos dos jogadores. Quem assumir o PSG, seja como diretor, seja como técnico, terá um trabalho difícil.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo