Ligue 1

PSG segura Marseille no Velódrome depois de ficar com um a menos por meia hora

O Velódrome viu um jogo apertado, de poucas chances e sem gols, em que o Marseille ficou com um jogador a mais nos últimos 30 minutos, mas não conseguiu aproveitar

Le Classique foi disputado e brigado como um bom clássico, mas não teve gols. O empate por 0 a 0 no Vélodrome saiu melhor para o Paris Saint-Germain, que ficou com um jogador a menos por mais de meia hora no segundo tempo. No 101º jogo entre os dois clubes, os dois times ofensivos ficaram devendo.

Antes de ter um jogador expulso, o PSG tentou explorar os problemas do time de Jorge Sampaoli. O time dava muito espaço no lado esquerdo, o que os parisienses buscaram explorar para criar chances.

Por outro lado, o time de Sampaoli entrou em um 4-2-3-1 que conseguiu equilibrar as potências ofensivas do PSG. O Marseille pressionou no meio-campo e ganhou muitos duelos por ali. O time tinha problemas nas transições, tanto ofensiva, quando recuperava a bola, quando defensiva, quando perdia – algumas vezes por erros forçados pelos parisienses na saída de bola.

Primeiro tempo disputado

Como era de se esperar, o primeiro tempo foi bastante quente. Os dois times tentaram atacar, ao seu estilo, e dividiram a posse de bola. O PSG ficou ligeiramente mais com a bola, mas a diferença foi pequena (55% a 45%). Foram também os visitantes que criaram chances mais claras.

Em uma saída de bola errada, aos 13 minutos, o PSG recuperou a bola e Neymar recebeu na frente. Ele chutou mal e a bola não ia nem para a linha de fundo, mas Luan Peres desviou e a bola entrou. O gol, porém, foi anulado por impedimento de Neymar.

O Marseille sentiria o mesmo gosto. Arkadiusz Milik também marcaria um gol depois de receber dentro da área e finalizar forte, mas o gol foi anulado por impedimento pelo VAR. O placar seguia 0 a 0, mesmo com os dois times tendo balançado a rede com impedimentos.

Segundo tempo

O equilíbrio seguia na segunda etapa, mas um fator mudou o jogo. Achraf Hakimi fez uma falta que rendeu o cartão vermelho – depois de consulta no VAR – por ter impedido uma chance clara de gol. A cobrança de falta não rendeu nada, já que Dimitri Payet cobrou por cima, mas a vantagem de ter um jogador a mais era algo importante.

Para reequilibrar o time, Mauricio Pochettino colocou em campo Thilo Kehrer no lugar de Ángel Di María. Com a recomposição feita, o PSG deu alguns passos atrás e tentou explorar contra-ataques em velocidade. Quis garantir a solidez atrás. No final do jogo, aos 38 minutos, Pochettino sacou Neymar para Georginio Wijnaldum e tentar ganhar mais força no meio-campo.

Antes disso, Sampaoli fez várias mudanças na equipe, com quatro mudanças próximas. Uma delas a entrada de Gerson no lugar de Cengiz Ünder. O brasileiro deu qualidade no passe e ficou posicionado mais ofensivamente, mas não conseguiu fazer tudo que poderia.

Com o empate, o PSG fica com 28 pontos, enquanto o Marseille fica com 18, em quarto lugar. A diferença dos parisienses para o segundo colocado é de sete pontos, com o Lens nessa posição. O Nice é o terceiro, com 19.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo