Ligue 1

Neymar sobre Mbappé: “Devo a ele grande parte da minha adaptação e da minha felicidade de estar aqui”

Em entrevista à France Football, brasileiro exalta lado humano do francês: "Muito atencioso, sempre feliz, educado e gentil"

Os tempos de tensão com os torcedores do PSG e de incerteza sobre sua continuidade na capital francesa ficaram para trás para Neymar. Contente no clube, entrosado com um elenco repleto de sul-americanos e muito perto de acertar sua renovação até 2026, o brasileiro vive o melhor de sua relação com o Paris Saint-Germain e, segundo ele próprio revelou em entrevista à France Football, boa parte disso se deve a Kylian Mbappé.

A edição desta semana da tradicional revista francesa traz Neymar em sua capa e faz uma cobertura completa sobre o momento do brasileiro no PSG. Ouvindo fontes próximas ao jogador, narra o período em que o camisa 10 quis, sim, deixar o clube, mas também como isso se transformou ao longo do tempo. Por fim, ouve do próprio brasileiro sobre sua experiência na capital e, em destaque, sobre sua relação com a outra grande estrela da equipe, Kylian Mbappé.

Neymar e Mbappé chegaram ao PSG na mesma janela de verão europeu de 2017. De cara, a dupla se entendeu bem, e o brasileiro falou sobre como a personalidade do jovem francês ajudou neste rápido entrosamento – e mesmo em sua própria adaptação a Paris.

“Ele me ensinou muito sobre o jeito de ser francês, me explicou a mentalidade francesa. Devo a ele uma grande parte da minha adaptação e, consequentemente, da minha felicidade de estar aqui. Primeiro de tudo, fiquei muito tocado pelo homem que ele é. O Kylian é muito atencioso, sempre feliz, educado e gentil com todos. É uma grande pessoa. É por isso que nos entendemos tão bem desde nosso primeiro contato”, detalhou Neymar.

O camisa 10, é claro, tem outros tantos adjetivos positivos para descrever o jogador que é Mbappé, a quem apelidou de “golden boy”. Para Neymar, a maneira como o camisa 7 alia inteligência e dribles à sua velocidade o torna especial.

“Depois, eu tive, é claro, a oportunidade de vê-lo treinar, de observar sua velocidade, seu repertório de dribles, sua inteligência e de constatar sua humildade para continuar a evoluir. Ali, eu pensei: ‘Esse é o nosso golden boy’. A velocidade, por si só, não quer dizer nada. É preciso ser inteligente para utilizá-la corretamente, e o Kylian o é. Não apenas ele é muito inteligente e rápido como ele também possui este enorme repertório de dribles.”

Consequência do bom entendimento fora de campo, o entrosamento entre os dois dentro das quatro linhas é notável e uma ameaça para qualquer adversário, mesmo o poderoso Bayern de Munique, como ficou comprovado no jogo de ida das quartas de final da Champions League, na semana passada: vitória por 3 a 2 do PSG, com dois gols de Mbappé e duas assistências de Neymar (uma delas para o também brasileiro Marquinhos). Nesta terça-feira, a dupla entra novamente em ação contra os bávaros, no Parque dos Príncipes, esperando confirmar a classificação para a semifinal.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo