Ligue 1

Neymar e Mbappé uniram o talento e bom jogo coletivo para o PSG golear o Montpellier

Depois de um início devagar, o PSG conseguiu uma vitória bastante convincente nesta sexta-feira pela Ligue 1. Diante do Montpellier, o time goleou por 4 a 0, com uma avalanche de gols no segundo tempo. Foram três gols em quatro minutos na etapa final, que decretaram a elasticidade no placar, além de coroar uma atuação de alto nível dos seus dois principais jogadores. Neymar e Kylian Mbappé, os dois principais jogadores do time, foram destaque na partida.

O técnico Mauricio Pochettino estreou no comando da equipe no dia 6 de janeiro, diante do Saint-Étienne, em um empate por 1 a 1 fora de casa. A partida foi decepcionante, mas era compreensível. O argentino tinha sido anunciado no dia 2 e mal teve tempo de conhecer e treinar os jogadores. Veio então o jogo contra o Brest, em casa, e uma vitória tranquila por 3 a 0, mas sem uma atuação que fosse muito convincente, ainda que tranquila.

Na Supercopa da França, contra o PSG, o duelo foi um clássico com o Olympique de Marseille, que fez uma partida muito fraca. A vitória por 2 a 1 veio, mais uma vez, sem que os parisienses precisassem fazer uma partida tão boa assim. Uma vitória em um clássico, porém, é sempre valiosa e o time teve também a volta de Neymar. O jogo contra o Angers foi o último antes da partida desta sexta, no último sábado, dia 16. A vitória por 1 a 0 foi sofrida, sem uma grande atuação, diante de um adversário que tem feito uma boa temporada, mas ainda longe de ser do mesmo nível da equipe da capital.

A sequência, portanto, não era de chamar muito a atenção. Pochettino, porém, é um técnico que mostrou qualidade e a tendência é que ele transmita aos seus jogadores o que pretende com o passar do tempo. O jogo desta sexta teve claramente um nível de jogo superior, contra um time que está no meio da tabela e vinha em má fase.

A formação foi a que Pochettino tem usado costumeiramente, o 4-2-3-1. Na prática, porém, o time era um 4-2-2-2. Isso porque Neymar e Ángel Di Maria operavam como meias, recuando para buscar o jogo e ambos centralizando as jogadas. Mbappé jogava ao lado de Mauro Icardi, também centralizado.

O jogo já tomou um rumo difícil para os visitantes no Parque dos Príncipes aos 19 minutos, quando o goleiro Jonas Omlin fez uma falta dura em Mbappé. O árbitro deu o cartão amarelo, mas o VAR o chamou para uma possível expulsão. A falta foi dura e, além disso, o atacante da seleção francesa tinha uma clara chance de gol. Revisado o lance, o árbitro trocou a cor do cartão e expulsou o goleiro. Com um a menos, tudo indicava que ficaria difícil, mas o visitante até que segurou as pontas no primeiro tempo.

Foi só aos 34 minutos que o PSG conseguiu marcar. Kylian Mbappé colocou um fim aos quatro jogos sem fazer gols com um toque de qualidade para tirar o goleiro Dimitry Bertaud da jogada, depois de um bom passe de Di Maria. Foi o seu 13º gol na temporada da Ligue 1 em 17 jogos, mas o primeiro sob o comando de Mauricio Pochettino. Eram 384 minutos em 2021 com o novo técnico sem balançar as redes.

No segundo tempo que o PSG conseguiu destrancar a defesa do Montpellier. Graças, especialmente, ao excelente entrosamento entre os dois jogadores mais badalados do seu elenco. Depois de uma boa jogada pela direita, Mbappé tocou rasteiro para trás e Neymar marcou com facilidade para ampliar a vantagem para 2 a 0.

Um minuto depois, a jogada foi muito similar, novamente pela direita, mas desta vez quem conseguiu marcar foi Mauro Icardi, dentro da área, que finalizou com tudo e mandou para a rede. Dois minutos depois, Mbappé tabelou com Neymar, que tocou em Icardi e o argentino acionou novamente o francês para marcar 4 a 0. Com 18 minutos do segundo tempo, o jogo estava definido.

Foi a primeira vez que o Pochettino escalou os quatro fantásticos, com Di Maria, Neymar, Mbappé e Icardi. Foi um jogo só, mas funcionou bem. Cada vez mais, Neymar se torna o camisa 10 do time, não só no número, que veste desde que chegou a Paris, em 2017, mas na função. Ele é o jogador que recua, arma e joga. É um atacante, mas com a sua qualidade, funciona como a principal peça do time para fazer os companheiros jogarem. O bom rendimento de Di Maria também ajudou muito. O argentino é um jogador que pode render bem e por vezes mostrou isso nas últimas temporadas.

O ponto de atenção é que o time centraliza demais as jogadas, o que ainda pode ser um problema em alguns momentos. Neste jogo, porém, o time conseguiu quebrar o cadeado com minutos incríveis, e as coisas funcionaram bem. Será preciso criar mais alternativas, já que nem Di Maria, nem Neymar, nem Mbappé são jogadores para abrir o campo, ao menos não pelo menos no que estão fazendo neste momento. Eventualmente, será preciso usar mais os lados do campo. Seja com os laterais, seja com os jogadores de frente se movimentando para isso. A ver como será o desenvolvimento. O sinal dado nesta sexta foi ótimo para o PSG, que ainda amplia a liderança na Ligue 1.

 

 

Standings provided by SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo