Ligue 1

Lyon reage bem ao susto, vira contra Metz e rebaixamento fica cada vez mais longe

Agora há seis pontos do Z3, o Lyon mostrou força mental para virar contra o Metz

Pela 23ª rodada da Ligue 1, o Lyon tomou o susto contra o Metz, que abriu o placar no primeiro ataque aos 12 minutos no Estádio Saint-Symphorien. No entanto, os Gones tiveram força para virar com gols de Alexandre Lacazette e Saïd Benrahma e terminaram com um justo 2 a 1.

Agora, o clube presidido por John Textor está cada vez mais distante da zona de rebaixamento, onde ficou por boa parte do campeonato. São seis pontos de vantagem para o Nantes (que ainda joga na rodada), o 17º, posição que leva ao playoff contra o descenso. O sonho por competição europeia ainda parece distante, mas, se manter a toada – vem de quatro vitórias seguidas – pode beliscar uma vaguinha.

Em situação oposta, sem vencer pela Ligue 1 desde o fim de novembro de 2023, o Metz pode virar o lanterna da competição se o Clermont superar o Nice, o terceiro colocado, neste domingo (25), algo pouco provável, vale citar.

Metz abre o placar em primeiro ataque, mas Lyon busca empate no fim

Sem Corentin Tolisso e Nicolás Tagliafico, o técnico Pierre Sage manteve o 4-3-3 que tem dado certo nas últimas partidas. A formação era um tanto híbrida pela função exercida por Menanja Matic, às vezes afundando entre os zagueiros – com e sem bola. Era uma estrutura ofensiva, um tanto espaçada entre meio-campo e ataque, mas que dominou as ações ofensivas no início. É verdade que, apesar de ter a posse, o Lyon não levou perigo de verdade contra o goleiro Alexandre Oukidja, enquanto o Metz, em um compacto 4-4-2, praticamente não atacava – pelo menos até os 12 minutos.

Em um lateral tranquilo no meio, o ponta esquerda Gift Orban decidiu apoiar a saída de bola e receber. Apertado, ele recuou para a defesa e fez uma besteira enorme. Georges Mikautadze foi inteligente ao antecipar o zagueiro Jake O’Brien com um lindo “drible da vaca” e sair na cara do gol antes de concluir às redes. A blitz do time da casa seguiu: Anthony Lopes teve que defender um forte chute de Lamine Camara de fora da área. Foram alguns erros na defesa após o gol sofrido, mostrando como o Lyon sentiu o vacilo.

Metz x Lyon
Mikautadze celebra gol no Lyon (Foto: Divulgação)

Com o passar do tempo, os Gones souberam retomar o domínio anterior. Cada vez mais ofensiva, a equipe tinha o lateral-esquerdo Ainsley Maitland-Niles, ex-Arsenal, bem aberto pela esquerda, como um ponta, o que dava liberdade para Orban flutuar para dentro.

O primeiro ataque perigoso do visitante veio aos 23. Em bonita jogada, Matic lançou do meio-campo para o ataque, Alexandre Lacazatte escorou para trás e o meio-campista Maxence Caqueret chegou de frente para bater de primeira, exigindo grande defesa de Oukidja. O experiente goleiro argeliano voltou a trabalhar logo depois: teve que espalmar uma bomba de Ernest Nuamah, que se aproveitou de um erro da defesa do Metz.

Bem recuado, o Metz só voltou a contra-atacar com perigo próximo dos 40′. Com muita velocidade, Joel Asoro foi acionado pela ponta direita e chegou cruzando de primeira. Quem apareceu sozinho, no meio da área, foi Cheikh Sabaly, mas o ponta errou feio o cabeceio e a bola quase saiu em lateral. O atacante Didier Lamkel Zé foi outro a ter uma claríssima chance em contragolpe, só que foi fominha quando invadiu a área e decidiu finalizar – por cima do gol – mesmo com superioridade numérica contra a defesa rival.

Mesmo com todo esse perigo no contra-ataque, o Lyon conseguiu igualar o marcador no fim da etapa inicial. Em jogada ofensiva de muita insistência, a defesa do Metz fez de tudo para tirar a bola, mas não tirou o perigo. Sobrou perfeito para Clinton Mata arriscar de fora e virar uma assistência para Lacazette, em posição legal, cravar de canhota.

Benrahma entra para dar vitória ao visitante

No intervalo, Saïd Benrahma entrou no lugar de Orban para trazer velocidade e habilidade na ponta esquerda. O início da etapa final teve cenário parecido com o primeiro tempo. O visitante dominava a bola, o mandante se defendia e, às vezes, contra-atacava. De poucas chances, o retorno demorou para engrenar.

O Lyon finalmente traduziu seu domínio em gol antes dos 15 minutos. A partir de roubada no campo de ataque, Matic deixou Caqueret em boas condições de finalizar, pegar o rebote e, dessa vez, tocar para Benrahma cravar na segunda trave.

Em teoria, o jogo deveria melhorar pela necessidade do Metz buscar pelo menos o empate. Até pareceu que ia acontecer, visto que quase conseguiu pouco depois, quando Lamkel Zé ficou na cara do gol, mas parou em Lopez. No entanto, foi só, e as equipes, pela ineficácia de seus sistemas ofensivos, não criaram mais nada de relevante até o apito final.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius é nascido e criado em São Paulo e jornalista formado pela Universidade Paulista (UNIP). Escreveu sobre futebol nacional e internacional no Yahoo e na Premier League Brasil, além de eSports no The Clutch. Além disso, atuou como assessor de imprensa no setor público e privado.
Botão Voltar ao topo