FrançaLigue 1

A história se repete: Aos 17 anos, Isaac Drogba assina com o Guingamp, onde seu pai foi ídolo

Isaac Drogba não precisou enfrentar as mesmas dificuldades que seu pai, Didier, no início da carreira. O marfinense se mudou à França quando tinha apenas cinco anos, para morar com um tio, jogador de futebol profissional, no intuito de seguir os mesmos passos. Não se adaptou e voltou para Abidjan, mas seria obrigado a retomar o rumo à Europa quando seus pais perderam o emprego. Nesta tentativa, então, conseguiria se firmar no novo país e tomar impulso nos gramados. Profissionalizou-se em 1999, pelo Le Mans. No ano seguinte, nasceu o seu primogênito – o que, segundo suas próprias palavras, foi um ponto de virada em sua vida, tornando-o mais forte.

Ainda bebê, Isaac morou por dois anos em Guingamp, onde Didier fez boas temporadas e se projetou rumo ao Olympique de Marseille. O garoto cresceu nas categorias de base do Chelsea, onde o pai está entre os maiores ídolos. E, aos 17 anos, as pontas da história se retomam. Isaac Drogba foi anunciado como novo reforço do Guingamp. O atacante se juntará inicialmente ao sub-19 dos rubro-negros, após deixar os Blues. Nas redes sociais, recebeu os parabéns não apenas do pai, mas também dos “tios” Frank Lampard e John Terry.

A troca de clube talvez deixe uma ponta de desconfiança sobre o jovem Drogba. O Guingamp, assim como outros clubes franceses, possui grande capacidade no desenvolvimento de promessas, mas não tem os mesmos recursos do Chelsea. No entanto, se já seria um fardo naturalmente seguir os passos do artilheiro, o peso se tornaria maior em Stamford Bridge. No interior da França, o clima será um pouco mais favorável. E em uma cidade na qual a família viveu bons momentos.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo