França

Griezmann: “Às vezes eu paro em campo só para ver Benzema e Mbappé jogarem”

Griezmann falou sobre o entrosamento dos companheiros e a forma de se encaixar no trio de ataque

A França possui, no papel, a seleção mais forte do mundo na atualidade. Se o ataque já parecia bom o suficiente, o retorno de Karim Benzema aos Bleus aumenta ainda mais o potencial. E a qualidade ofensiva vira um deleite até mesmo para os companheiros. Antoine Griezmann foi o principal nome das campanhas na Euro 2016 e na Copa do Mundo de 2018, enquanto costuma ser citado ao lado de Kylian Mbappé e Benzema como um dos três ases na linha de frente francesa. Ainda assim, o jogador do Atlético de Madrid confessou que às vezes para e aprecia um pouco do excelente entrosamento que seus colegas de ataque têm exibido.

“Não tenho problema em fazer menos gols. É melhor que eles marquem, assim ganhamos as partidas e tudo se resolve. Às vezes eu paro um pouco em campo só para ver eles jogarem: é maravilhoso. Quanto mais eles jogarem juntos e se combinarem em campo, melhor será para nós. A partir disso é que criamos vantagens, oportunidades e gols. Então, é ótimo que eles se entendam dessa maneira”, comentou Griezmann, durante entrevista ao canal Téléfoot.

Griezmann ainda enfatizou como o atual sistema da França beneficia o trio ofensivo, com ele mais recuado na armação, enquanto Benzema e Mbappé circulam no ataque: “Acho que encontramos um sistema que é melhor para os três. Estou mais focado na criação, mais livre, e posso fazer o que quiser. Quando vejo Kylian ou Karim vindo pegar a bola, posso avançar e fazer uma jogada em profundidade. Há vários jeitos de se movimentar e acho que isso é o melhor para a equipe”.

Se na seleção francesa tudo parece nos trilhos para Griezmann, nos clubes ele tenta recobrar a confiança. O atacante ainda precisa restabelecer seus laços com a torcida do Atlético de Madrid, mas afirma que está feliz em retornar ao time onde viveu os melhores momentos da carreira. O camisa 8 não nega que a passagem pelo Barcelona guardou maus bocados. Mesmo assim, avalia que não foi tão ruim quanto alguns pintam.

“Não foi catastrófico, porque sempre marquei 20 gols por temporada. Para mim, é um grande orgulho ter jogado no Barcelona. Fiquei feliz por ter passado por lá, tive companheiros de equipe extraordinários. Aprendi bastante com os treinadores, mesmo que às vezes não jogasse, mesmo que em certos momentos tenha sido complicado”, analisou.

Griezmann ainda apresenta um desempenho discreto na atual temporada. O atacante marcou cinco gols em 16 aparições com o Atlético de Madrid. Foram três gols em três partidas na Champions League, em compensação, apesar da expulsão contra o Liverpool. Já pela seleção, anotou nove gols em 2021, mas não conseguiu corresponder tanto na Eurocopa e serviu mais como coadjuvante na conquista da Liga das Nações. Acaba ofuscado pela azeitada dupla formada por Mbappé e Benzema.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo