FrançaLigue 1

É difícil imaginar um PSG de sucesso sem Ibrahimovic

Cada jogo é um passeio diferente para o Paris Saint-Germain na Ligue 1. Líder isolado da competição com nove pontos na frente do Marseille, o time comandado por Carlo Ancelotti quase sempre consegue seus resultados sem muita dificuldade. A superioridade do elenco em relação aos outros concorrentes é algo que tira um pouco da emoção da disputa, ainda que o OM não esteja tão distante assim na tabela.

Esse contraste ficou evidente em mais uma vitória, desta vez ante o Nice, bem colocado no campeonato, mas que  não representou nenhuma ameaça à supremacia parisiense nesta edição da Ligue 1. Em noite inspirada de Ibrahimovic, o placar de 3 a 0 ficou justo diante da atuação segura dos mandantes no Parc des Princes.

Dominando por completo os visitantes, o PSG esteve impecável nos passes, nas bolas pelo alto e especialmente quando Ibrahimovic tinha a bola nos pés. Do sueco saíram uma assistência, um gol e um chute na trave. A assistência, aliás, numa triangulação espetacular com Matuidi dentro da área e entre os zagueiros do Nice.

Do outro lado da sorte, o arqueiro Ospina viveu uma noite para esquecer. Cometendo em Lavezzi o penal que originou o segundo tento do PSG, o colombiano foi expulso e abriu margem para que os mandantes conduzissem a vitória sem sobressaltos.

Ibra cresceu demais nos 15 minutos que antecederam o apito final, se movimentando bem entre o meio e o ataque.  Em mais uma ocasião, o camisa 10 foi determinante na conquista dos três pontos. Quem agradece é Ancelotti, que vê o seu principal jogador resolver quando o resto do time parece não se apresentar para a batalha.

Somando 27 gols na competição, Zlatan continua mostrando alto poder de fogo. Responsável por 45% dos gols do PSG na campanha, tem peso enorme no sucesso da sua equipe. Visto que o título é questão de tempo para os parisienses, é justo que se entregue um bom pedaço do troféu para o sueco. Mesmo fazendo algumas bobagens como acertar uma voadora em Ruffier, num duelo contra o Saint-Étiénne em novembro de 2012, Ibra se mostrou vital nessa caminhada.

Mostrar mais

Felipe Portes

Felipe Portes é zagueiro ocasional, cruyffista irremediável e desenhista em Instagram.com/draw.portes

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo