EuropaFrança

Com outro 4 a 3, França e Bélgica também fizeram um amistoso intenso ter cara de Copa

A intensidade do jogo não foi a mesma. Mas, apenas dois dias depois do fantástico Holanda 3×4 Estados Unidos, a rodada de amistosos nos presenteou com outra partida fantástica. De novo com sete gols e com o mesmo placar para o visitante: neste domingo, quem venceu por 4 a 3 foi a Bélgica, surpreendendo a França em pleno Stade de France. Um jogo que serviu bastante para testar o potencial dos elencos e de novas peças. E que, de certa maneira, também demonstra o que os Diabos Vermelhos podem fazer na visita ao país durante a Eurocopa de 2016.

Vale ponderar, a França não tinha a sua escalação completa. Faltavam especialmente os dois principais destaques individuais do bom time de Didier Deschamps: Karim Benzema e Paul Pogba. Já do outro lado, a Bélgica também não contou com Vincent Kompany e Kevin De Bruyne. Mas Marc Wilmots tinha Marouane Fellaini. E o meio-campista do Manchester United foi decisivo no primeiro tempo, marcando os dois gols dos belgas – o primeiro, em posição irregular. Enquanto os Bleus tentavam trabalhar um pouco mais a bola, sem sucesso, os Diabos Vermelhos eram bem mais diretos e ameaçavam bastante no jogo aéreo.

Logo no início da segunda etapa, Nainggolan acertou um chutaço no canto de Lloris para fazer o terceiro. E ainda que Valbuena tenha diminuído cobrando pênalti, os belgas conseguiram fazer o quarto um minuto depois, também de pênalti, com Hazard. Só que os 45 minutos finais contaram com uma atuação bem melhor da França, mais agressiva e aproveitando bem as substituições. O problema estava em vencer Courtois, que passou a operar grandes defesas. A reação, contudo, só começou aos 44. Fekir e Payet conseguiram diminuir, mas o tempo já era insuficiente para buscar o empate.

Segunda colocada no Ranking da Fifa, a Bélgica enfatiza o seu bom momento. E atuando de uma maneira bem mais incisiva do que o visto durante a Copa do Mundo. Pela forma como encarou o ambiente no Stade de France, ainda que seja apenas um amistoso, dá para aumentar as expectativas sobre a participação na Eurocopa – ainda que os belgas ainda precisem confirmar a classificação, liderando o Grupo B das Eliminatórias. Já a França não fez 90 minutos tão bons, mas a atitude no final e principalmente as mudanças no segundo tempo mostram que o bom time tem margem para crescer ainda mais. Fekir e Lacazette são dois ótimos nomes a se observar. Apesar do tropeço, não é esse jogo que tira o favoritismo dos Bleus, ao lado da Alemanha, para o torneio que disputarão em casa.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo