Europa

O ex-goleiro que virou roupeiro e, aos 42 anos, voltou a jogar por um dos maiores clubes suecos

O roupeiro é uma unanimidade em todos os clubes do mundo. O cara mais gente boa, que se torna o mais querido no ambiente de trabalho. É aquele que rala todos os dias para oferecer o conforto, o grande parceiro de resenha e também o faz-tudo na hora do aperto. Pois, neste último quesito, Daniel Andersson se superou. Após encerrar a carreira, há um ano o ex-goleiro se tornou roupeiro do Helsingborgs, seu clube no final da carreira. E, aos 42 anos, o veterano voltou a calçar as luvas para quebrar um galho a Henrik Larsson, atual treinador do time sete vezes campeão sueco.

VEJA TAMBÉM: Lembra dele? Larsson assume time que tem seu filho como atacante

Goleiro profissional entre 1989 e 2011, Andersson esteve entre os mais respeitados de sua posição no país. Defendeu grandes clubes, como AIK e Hibernian, além de atuar uma vez pela seleção nacional. Já no Helsingborgs, teve a sua primeira passagem entre 2004 e 2009, antes de voltar em 2011. Permaneceu como goleiro reserva até 2013, disputando apenas dois jogos no período. Entretanto, para ajudar o clube em dificuldades financeiras e se manter na ativa, continuou trabalhando nos bastidores. Ganhou uma oportunidade como roupeiro.

A dedicação de Andersson abriu novas portas no clube. Larsson (sim, o veterano centroavante de Celtic e Barcelona) o promoveu a treinador de goleiros em pouco tempo. E precisou contar com os serviços de seu funcionário também dentro de campo, depois que Par Hansson e Matt Pyzdrowski, os dois principais arqueiros do Helsingborgs, se lesionaram durante as últimas semanas. Para não jogar nenhum garoto na fogueira, Larsson escalou Andersson na estreia da equipe no Campeonato Sueco de 2015, após já tê-lo utilizado em partidas da Copa da Suécia.

VEJA TAMBÉM: Ele voltou! Aos 41, Larsson fará jogo por clube que o formou

Andersson foi um dos melhores em campo no empate com o Kalmar, fora de casa, segurando o 0 a 0 no placar. No banco de reservas, o seu substituto era Kalle Joelsson, de 16 anos – que nasceu quando o veterano já estava em seu sexto clube. “É absolutamente maravilhoso. Essa era uma situação que eu nunca esperava. Ir de roupeiro a treinador de goleiros, e então jogar. Primeiramente e acima de tudo, eu sou goleiro”, declarou Andersson, logo após a partida.

O novo velho goleiro ganhou, inclusive, os elogios do chefe. “Você precisa ficar impressionado. Ele está próximo de completar 43 anos e não cometeu nenhum erro. Estou muito contente em contar com Andersson desempenhando tantas funções em nosso clube”, analisou Larsson. Certamente, a torcida do Helsingborgs ganhou um novo nome para gritar a cada partida – independente da função na qual Andersson trabalhará.

Abaixo, os melhores momentos da partida, com as boas defesas de Daniel Andersson.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo