Liga Europa

Para Fernandes, vencer Liga Europa não será o bastante para o United: “Neste clube, seu padrão tem que ser alto”

Meio-campista dá boas-vindas à chance de título, mas afirma que equipe precisa seguir melhorando

Depois da vitória por 6 a 2 na partida de ida contra a Roma pelas semifinais da Liga Europa, o Manchester United está basicamente garantido na decisão da competição continental. De olho no possível título, Bruno Fernandes, destaque dos Red Devils, torce pela conquista, mas já adianta que ela ainda não seria o bastante para um clube do tamanho do Manchester United.

Em entrevista coletiva prévia ao confronto contra a Roma nesta quinta-feira (6), Fernandes concordou que o título da Liga Europa seria um passo à frente para a equipe, mas estabeleceu qual deve ser o patamar de exigência dentro do clube.

“Para nós, é um sinal de melhora se vencermos a Liga Europa, porque na temporada passada não vencemos nada. Então, se vencermos um troféu nesta temporada, é uma melhora. Mas ainda não é o bastante para nós”, afirmou o português.

“É, sim, um sinal de crescimento no clube. Do ponto de vista dos jogadores, é um sinal de que estamos um pouco melhores, mas ainda temos muito a melhorar e, como disse antes, vamos melhorar. Sinceramente, para mim, quando você joga por um clube como este, seu padrão tem que ser alto”, continuou o meio-campista.

Desde sua chegada ao Manchester United, no começo de 2020, Bruno Fernandes se tornou o grande expoente de uma equipe em crescimento, mostrando pela última vez seu poder de decisão no duelo contra a Roma na semana passada, quando marcou dois gols e deu duas assistências na goleada por 6 a 2. Demostrando o nível de cobrança que tem consigo mesmo, o português afirmou que, apesar dos números lhe concederem uma avaliação bastante positiva por parte da opinião pública, não fez o melhor dos seus jogos contra os italianos.

“O jogo contra a Roma não foi o meu melhor, mas, é claro, nos números, todos vão dizer que é um dos melhores que fiz por causa dos dois gols e das duas assistências. Acho que foi a primeira vez que consegui isso pelo clube. Mas, claro, foi um bom jogo. Acho que, individualmente, joguei muito bem, mas quero melhorar para que, na próxima vez, talvez eu faça três gols e dê três assistências. Porém, o mais importante para mim é a maneira como vencemos, e estamos mais próximos do troféu.”

Questionado sobre o protesto dos torcedores do Manchester United no último domingo, que impediu a realização do clássico contra o Liverpool, Fernandes lamentou a chance desperdiçada de dar sequência a uma boa semana, mas preferiu não tecer comentários sobre as ações da torcida.

“Fizemos uma boa preparação para um grande jogo. Claro, é sempre muito bom ter a chance de jogar esse tipo de jogo, e estávamos nos sentindo bem porque estávamos prontos para jogar. Tinha sido uma boa semana, jogamos muito bem contra a Roma anteriormente, e a confiança estava alta, mas então isso aconteceu, e não temos nada a dizer sobre isso. Os torcedores têm sua própria opinião e eles acham que aquilo foi o melhor para eles, e não temos nada a dizer sobre isso, sinceramente. Nosso foco é em jogar futebol e fazer nosso melhor pelo clube.”

Por fim, quando o assunto foi a dúvida sobre a permanência de Paul Pogba e Edinson Cavani no clube a partir da próxima temporada, Bruno Fernandes exaltou a diferença que os dois têm feito à equipe e declarou sua torcida para que eles continuem em Old Trafford, já que, segundo ele, não são jogadores que se encontra facilmente no mercado.

“Sabemos que eles (Pogba e Cavani) são muito importantes para nós. As qualidades que eles têm é difícil de encontrar no mercado por um bom preço. Acho que todos sabem que o time está crescendo, e com a ajuda deles, então é muito importante para nós mantermos nossos melhores jogadores e seguir melhorando o time”, pontuou.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo