Premier League

Torcida do Manchester United invade gramado do Old Trafford para pedir a saída dos Glazers

Milhares de torcedores se reuniram em frente ao estádio para protestar contra os proprietários norte-americanos antes do clássico contra o Liverpool

A insatisfação da torcida do Manchester United com os Glazers, proprietários do clube, já é algo bem documentado há muitos anos e só cresceu com a proposta da Superliga Europeia, no mês passado. Em mais um protesto contra os proprietários norte-americanos neste domingo (2), milhares de torcedores se reuniram em frente ao Old Trafford e acabaram ganhando acesso ao gramado horas antes do clássico contra o Liverpool, inicialmente marcado para as 12h30 (horário de Brasília). Como consequência do protesto, a partida foi adiada, com data ainda indeterminada.

A movimentação começou cedo neste domingo, e logo surgiram imagens dos protestos. Em frente ao Old Trafford, torcedores cantavam pela saída dos Glazers, enquanto outros se concentravam também em frente ao Hotel Lowry, nos arredores do estádio, onde a equipe do United costuma se hospedar antes de seus jogos em casa.

A presença dos torcedores em frente ao hotel atrasou a saída do ônibus da equipe para o Old Trafford, e à medida que os protestos cresciam, o Liverpool também recebeu a recomendação de aguardar em seu hotel por mais informações antes de deixar o prédio a caminho do estádio.

Com a invasão do gramado do Old Trafford, a realização do clássico foi colocada em risco. A Premier League inicialmente sustentou que o jogo aconteceria como programado, visto que os torcedores não tiveram acesso aos vestiários e, portanto, não teriam comprometido a bolha sanitária da Covid-19. No entanto, no anúncio mais recente, decidiu pelo adiamento da partida, com data ainda a ser definida após reunião entre a liga, os dois clubes e a polícia local.

Este é o segundo protesto organizado pelos torcedores do Manchester United desde o anúncio da Superliga Europeia, projeto já abandonado pelos proprietários diante da péssima reação da opinião pública. Em carta aos torcedores, Joel Glazer pediu desculpas aos torcedores e se comprometeu a fazer o necessário para restabelecer a confiança, com a torcida respondendo que não aceitava as desculpas e que nunca havia confiado nos proprietários em primeiro lugar.

Ainda que os protestos contra os Glazers datem pelo menos de dez anos atrás, nunca a torcida do Manchester United se opôs de maneira tão contundente contra os proprietários do clube, e a demonstração deste domingo indica que esta luta está longe de arrefecer.

Ao longo dos anos, as críticas se centravam na maneira questionável como os norte-americanos compraram o clube, fazendo um empréstimo para pagar parte da transação e colocando o clube em dívida, além da controversa administração, com foco desproporcional no sucesso comercial em detrimento do sucesso esportivo. O fiasco da Superliga pode ter sido a última gota d’água aos torcedores.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo