Europa

Entidade que representa mais de 900 clubes europeus se opõe à Superliga

Documentos do Football Leaks publicados pela revista alemã Der Spiegel mostram que os clubes mais poderosos da Europa estão se articulando para a criação de uma Superliga Europeia, o que seria uma ameaça ao futuro do futebol, de acordo com a Associação de Ligas Europeias, que representa 35 ligas profissionais em 28 países, chegando a um total de 939 clubes.

O projeto está sendo aprimorado para sair do papel em 2021, como detalhamos nesta matéria. A ideia seria a formação de um campeonato com 16 clubes. Os onze fundadores – Real Madrid, Barcelona, Manchester United, Juventus, Chelsea, Arsenal, Paris Saint-Germain, Manchester City, Liverpool, Milan e Bayern de Munique – não poderiam ser rebaixados por 20 anos. Ainda haveria cinco convidados. Inicialmente, Atlético de Madrid, Borussia Dortmund, Olympique Marseille, Internazionale e Roma.

Essa é uma ameaça clara à Champions League, mas também às ligas nacionais porque uma das ideias ventiladas, e que encontra resistência, é abrir mão dos campeonatos locais. Um marco do processo foi justamente quando o chefe do departamento jurídico do Bayern de Munique buscou informações sobre as implicações legais caso os bávaros deixassem a Bundesliga e a Champions.

“A Associação de Ligas Europeias tem expressado, com consistência, sua forte oposição à criação de qualquer tipo de Super Liga fechada e com franquias. As Ligas apoiam o modelo esportivo europeu baseado em uma estrutura de pirâmide, na qual os mecanismos de promoção e rebaixamento e os méritos esportivos dos clubes estão no coração de qualquer competição”, afirmou a entidade.

“O futebol doméstico é o coração do jogo ao redor da Europa para todos os envolvidos com o futebol: jogadores, clubes, ligas, federações nacionais e, mais importante, torcedores. Propostas para uma Super Liga fechada teriam sérias e definitivas implicações para a sustentabilidade do futebol profissional em longo prazo na Europa”, completou.

Aleksander Ceferin, presidente da Uefa (Photo by Milos Bicanski/Getty Images)

A Associação de Ligas Europeias acrescentou que apoia a Uefa para a administração e organização de competições de clubes europeus, “com a qual compartilha o princípio comum de proteger e melhorar o equilíbrio competitivo no futebol europeu”. E o presidente da Uefa, Aleksander Ceferin, prometeu lutar contra a ideia de uma Superliga fechada para convidados com todas as forças.

“Danificaria o futebol ao redor do mundo. Seria chato. Ver Juventus contra Bayern de Munique todas as semanas seria mais chato do que Juventus contra o Torino. Não é uma questão para mim que vou lutar e fazer tudo que posso contra uma liga dessas enquanto eu estiver aqui (na presidência da Uefa). Se estamos falando de um sistema fechado, podemos esquecer solidariedade e o desenvolvimento do futebol. No longo prazo, os clubes seriam os perdedores”, encerrou.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo