Conference League

Resumão da Conference: Leicester vence o principal jogo, enquanto Feyenoord e Slavia aplicam sonoras goleadas

Favoritos como Leicester, Roma e Olympique de Marseille ganharam, mas os mais próximos das quartas são Feyenoord e Slavia Praga

As oitavas de final da Conference League começaram pegando fogo. Uma chuva de gols aconteceu nas partidas de ida, com 30 tentos distribuídos pelas oito partidas. Favoritos como Leicester, Roma e Olympique de Marseille saíram em vantagem. O Bodo/Glimt também ganhou e parece capaz de ampliar seu conto de fadas. O Slavia Praga goleou em casa, enquanto a sapatada do Feyenoord aconteceu fora. Já o único empate foi um prato cheio, com o PSV 4×4 Copenhague. Abaixo, um resumão da rodada.

O duelo de maior peso aconteceu no Estádio King Power. O Leicester escalou uma equipe mista e venceu o Rennes por 2 a 0, um ótimo resultado em meio à recuperação recente das Raposas. Os franceses até começaram no controle, mas os ingleses melhoraram na sequência do primeiro tempo e abriram o placar aos 30 minutos, com um golaço de Marc Albrighton. O meia pegou um chute na veia da entrada da área e mandou no ângulo. O segundo tempo veria o Rennes aumentar a pressão e, apesar das dificuldades para acertar a meta, o time não passou por Kasper Schmeichel. O segundo gol, por fim, saiu aos 48. Numa troca de passes, Kelechi Iheanacho bateu de chapa e garantiu um resultado mais confortável para o Leicester.

A Roma também merece destaque, por conseguir superar o Vitesse na Holanda. Os giallorossi tomaram sufoco, mas saíram com o triunfo por 1 a 0. O início do primeiro tempo foi dos aurinegros, que martelaram e pararam em Rui Patrício. Loïs Openda ainda teve uma chance cristalina em que bateu por cima do travessão, na pequena área. Os italianos cresceram pouco antes do intervalo e, nos acréscimos, Sérgio Oliveira estufou as redes com um chutaço de dentro da área. Na segunda etapa, o Vitesse permaneceu com mais iniciativa, mas a Roma acertou sua marcação. A expulsão de Sérgio Oliveira aos 33 parecia dificultar as coisas aos romanistas. O time de José Mourinho, então, fechou a casinha e segurou o abafa na reta final.

Outro time com peso na Conference é o Olympique de Marseille, que fez sua parte no Vélodrome, mas com dificuldades. A vitória por 2 a 1 sobre o Basel terminaria em sufoco. Os marselheses mandaram no primeiro tempo, mas faltou pontaria, com alguns lances salvos na risca pelos visitantes. Cengiz Ünder acertou a trave de início e o gol só veio num pênalti convertido por Arkadiusz Milik aos 19. A superioridade dos celestes seguiu plena na segunda etapa, com mais gols inacreditavelmente desperdiçados e mais uma bola na trave, de Milik. O próprio polonês tratou de assinalar o segundo, aos 23, num rebote. Porém, o Basel ressuscitou na reta final, especialmente depois de descontar aos 34, numa bola em que Sebastiano Esposito apareceu sozinho na área. Os suíços então pressionaram pelo empate e ele só não saiu porque Steve Mandanda (que já tinha evitado um susto no primeiro tempo) realizou uma defesa fantástica para impedir um gol contra.

Sensação da Conference, o Bodo/Glimt venceu a primeira contra o AZ, que vem embaladíssimo com 14 rodadas de invencibilidade na Eredivisie. O momento dos alvirrubros valoriza os 2 a 1 aplicados pelo Raio na Noruega. Durante o primeiro tempo, os holandeses tiveram mais posse, mas os noruegueses levaram mais perigo e fizeram o gol num contra-ataque. Alfons Sampsted cruzou com precisão e Amahl Pellegrino cumprimentou de cabeça aos 39. Num segundo tempo ainda aberto, o AZ empatou aos 28, quando Zakaria Aboukhlal apareceu na área e mandou um chute colocado. Pressionando no fim, o Glimt decretou o triunfo aos 46, num pênalti convertido por Ola Solbakken.

Numa rodada generosa em gols, a maior loucura aconteceu no Estádio Philips. PSV e Copenhague empataram por 4 a 4, com os dinamarqueses flertando com a vitória e os holandeses buscando o prejuízo. Ísak Jóhannesson anotou o primeiro gol aos visitantes, mas Cody Gakpo empatou de cabeça. Grande nome do Copenhague nesta temporada, Pep Biel retomou a vantagem logo na sequência e ainda deu o cruzamento para Lukas Lerager fazer 3 a 1 antes do intervalo. O PSV voltou com tudo para o segundo tempo. Ritsu Doan descontou aos cinco minutos e Gakpo, depois de perder um pênalti, conseguiu fazer o terceiro para empatar aos 25. O Copenhague não estava abatido e Pep Biel assinalou o quarto num cochilo dos adversários. Por fim, aos 40, Gakpo daria agora a assistência para Eran Zahavi retomar a igualdade ao PSV e decretar o placar final de cabeça.

A vitória mais elástica aconteceu na Sérvia, de onde o Feyenoord volta com um excelente resultado. Os holandeses bateram o Partizan Belgrado por 5 a 2, em grande atuação de Luis Sinisterra. Os visitantes já eram mais ofensivos de início, mas o veterano Bibras Natcho marcou o primeiro num tiro colocado aos 13. Aos 20, o empate saiu numa linha de passe, em que Jens Toornstra tabelou com Sinisterra e contou com o desvio para marcar. O Feyenoord era mais agressivo, mas viu o Partizan retomar a vantagem na volta do segundo tempo, num chute de primeira de Nemanja Jovic. Foi quando começou o show dos holandeses. O empate, aos seis, teria um bom passe por elevação de Sinisterra para o chute de Cyriel Dessers, com colaboração do goleiro. Aos 19, Sinisterra enfileirou os marcadores e cruzou, com a sobra rendendo uma pancada na gaveta de Lutsharel Geertruida. Aos 26, Sinisterra assinou sua própria obra de arte: agasalhou no peito e, sem deixar a bola cair, emendou um chute incrível de fora da área, no ângulo. Por fim, Toornstra fechou a conta com a meta aberta.

Outra goleada seria assinada pelo Slavia Praga, na República Tcheca. Os alvirrubros não tiveram piedade do LASK Linz e emplacaram o triunfo por 4 a 1 no Estádio Sinobo. O garoto Yira Sor começou o jogo com tudo. Marcou o primeiro aos quatro minutos, numa paulada de dentro da área, e também assinalou o segundo aos 29, em contra-ataque no qual até driblou o goleiro. Os austríacos descontaram no meio do segundo tempo, com Husein Balic arriscando de fora e mandando rente à trave. Nos dez minutos finais, enfim, o Slavia adicionou mais dois gols, com Peter Olayinka e Ibrahim Traoré aproveitando bolas na área após ataques rápidos pelos lados. Poderia ser um placar até maior dos tchecos, que acertaram a trave duas vezes na etapa final.

Por fim, o PAOK fez o simples no Estádio Toumba. Cumpriu sua missão e derrotou o Gent por 1 a 0 em Salônica. Não seria uma partida de muitas emoções, mas de fato os alvinegros buscaram mais o gol. Marcaram aos 13 minutos do segundo tempo, numa cobrança de falta de Jasmin Kurtic que desviou na barreira e acabou tirando o goleiro Davy Roef do raio de ação.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo