Conference League

As emoções de Ranieri e Mourinho no Estádio Olímpico também fizeram milhares de olhos marejarem

Ranieri estava visivelmente emocionado ao ser aplaudido pelas duas torcidas, enquanto Mourinho chorou ao apito final na classificação da Roma

O Estádio Olímpico de Roma viveu uma noite para jamais se esquecer nessa quinta-feira. As arquibancadas estavam lotadas e a torcida compareceu em peso para empurrar a Roma à decisão da Conference League, a primeira final europeia do clube em 31 anos. Dentro de campo, a vitória por 1 a 0 sobre o Leicester não seria das mais emocionantes. Tammy Abraham marcou o gol cedo e os romanistas tiveram controle total dos adversários na defesa. A emoção transbordou mesmo do lado de fora, por dois momentos específicos. Claudio Ranieri e José Mourinho, dois personagens tão distintos, ofereceram sentimentos profundos em forma de lágrimas.

Primeiro, Ranieri fez milhares de pessoas ficarem com os olhos marejados. Difícil encontrar alguém que não goste do veterano, ainda mais depois do milagre que possibilitou na Premier League de 2015/16. Lenda do Leicester, o italiano também é romano e torcedor da Roma, clube no qual iniciou sua trajetória como jogador e que treinou em duas oportunidades. Antes do jogo, perguntado sobre quem torceria, Ranieri disse que não trairia seu coração romanista. O técnico estava nas arquibancadas e, em meados do jogo, sua imagem foi exibida no telão. Os torcedores dos dois clubes ficaram em pé para aplaudi-lo. A emoção do treinador estava visível em seu rosto e ele até se levantou para agradecer.

Depois, Mourinho não segurou suas lágrimas. O treinador da Roma tem tantos adoradores quanto desafetos, mas sabe fazer o futebol mais vivo. E a chance de voltar a uma final europeia, depois de momentos desafiadores de sua carreira, fez com que o português expusesse seu lado mais sentimental. Antes do apito final, Mou começou a se desmanchar. Quando o jogo realmente terminou, seu choro ficou mais claro, até que fosse abraçado pelos companheiros de comissão técnica.

O futebol é melhor graças a esses caras. É mais verdadeiro.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo