Conference League

A torcida do Union Berlim pintou o Estádio Olímpico de vermelho, no primeiro jogo em casa por copas europeias em 20 anos

Apesar da proibição de jogar em sua casa, o Union Berlim criou um clima fantástico para o compromisso pela Conference

A Conference League realizou 22 partidas nesta quinta-feira e uma delas guardava um palco mais que especial: o Estádio Olímpico de Berlim, onde a torcida do Union Berlim veria seu time numa competição continental após duas décadas. Por conta das determinações da Uefa, o Estádio An der Alten Försterei não pôde ser usado para o compromisso contra o KuPS, da Finlândia. Os Eisernen, então, trataram de colorir o Olímpico com suas cores e transformaram o histórico local em sua casa. O empate por 0 a 0 não ofereceu gols para serem comemorados, mas pelo menos a classificação à fase de grupos acabou assegurada após os 4 a 0 na ida. O mais legal, de qualquer maneira, era o clima e a vibração pelo momento raro dos berlinenses.

O Union Berlim disputou as competições europeias apenas uma vez, na temporada 2001/02. Na época, os Eisernen tinham conquistado o acesso da terceira para a segunda divisão na Bundesliga. A Copa da Uefa pintou ao clube através da Copa da Alemanha, na qual os berlinenses acabaram com um surpreendente vice-campeonato, derrotados na final para o Schalke 04. Naquele período, a Copa da Uefa era disputada apenas em mata-matas. A empreitada do Union durou duas fases. Os alemães eliminaram o Haka da Finlândia na primeira fase, antes de sucumbirem na segunda para o Litex Lovech, da Bulgária. O Estádio Olímpico tinha sido o palco.

A realidade do Union Berlim, porém, era bastante distinta na época. Ainda que o clube fosse popular desde os tempos de Alemanha Oriental, atravessou dificuldades a partir da década de 1990, com problemas financeiros e riscos de falência. Suas médias de público eram mais modestas no período. Nestes últimos 20 anos, as perspectivas dos Eisernen melhoraram muito. As contas se estabilizaram e a equipe estreou na Bundesliga. Mais do que isso, o fanatismo ao redor do time atraiu mais gente às arquibancadas e, também com a ampliação do estádio, as médias de público mais que dobraram. O Union virou um fenômeno maior.

Nesta quinta, existia um pesar por não poder realizar o jogo no Estádio An der Alten Försterei, onde existe uma identidade imensa do clube e também um ótimo aproveitamento como mandante. O Estádio Olímpico de Berlim, em compensação, permitiria que mais gente fosse às arquibancadas – ainda mais com as restrições de ocupação por conta da pandemia. Ao todo, 22,1 mil torcedores puderam estar presentes nas tribunas, um público ligeiramente maior que a lotação máxima no An der Alten Försterei.

O Estádio Olímpico de Berlim, que possui como uma de suas marcas a pista de atletismo azul, seria pintado de vermelho. O Union Berlim cobriu os detalhes ao redor do campo com lonas vermelhas, botando o escudo atrás de um dos gols. Mais legal ainda, também iluminaram a fachada histórica do estádio e sua cobertura com luzes vermelhas. O ambiente parecia fantástico, ainda que não desse para reproduzir o caldeirão visto no An der Alten Försterei. De qualquer forma, a torcida já conseguiria fazer mais barulho do que geralmente se ouve nos compromissos do Hertha.

Os torcedores do Union Berlim não deixariam de protestar contra a decisão da Uefa sobre o uso de seu estádio. Uma das faixas levadas pela torcida dizia: “Precisamos do Alten Försterei como do ar para respirar”. Também havia outra mensagem falando: “Uma competição europeia para ‘todos’ jogarem, mas por que os clubes menores precisam atuar sempre fora de casa?”. Os Eisernen ainda levaram sinalizadores, que reforçaram o vermelho flamante nas arquibancadas.

Mesmo com o empate, a festa do Union se completou com a classificação inédita do clube à fase de grupos de uma competição continental. Serão pelo menos mais seis compromissos no torneio, mais três jogos “em casa” no Estádio Olímpico e uma chance enorme de escrever uma história ainda melhor.

* Fica o agradecimento ao leitor Guilherme Conte, que enviou algumas fotos do clima no Estádio Olímpico.

A torcida do Union (Foto: Imago / One Football)
Os sinalizadores do Union (Foto: Imago / One Football)
Os jogadores do Union Berlim e sua torcida (Foto: Imago / One Football)

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo