Europa

Clubes belgas aprovam de forma unânime acordo de princípio para uma liga conjunta com os Países Baixos

Ainda que distante de se tornar realidade, a sonhada liga conjunta entre Bélgica e Países Baixos, a BeNeLiga, deu um importante passo nesta terça-feira (16) para um dia ganhar vida. Em assembleia geral da Pro League, que administra as duas primeiras divisões belgas, os 25 clubes profissionais associados à entidade aprovaram de forma unânime um acordo de princípio para a criação do campeonato conjunto com os neerlandeses.

Em um comunicado oficial, a Pro League afirmou que o projeto deverá ser conduzido de forma a satisfazer os desejos de crescimento dos clubes grandes e, ao mesmo tempo, garantir estabilidade econômica para o restante das equipes. Para isso, a entidade já fala na criação complementar de um campeonato nacional de primeira divisão para acomodar quem não passasse no corte para a futura competição.

Além disso, visando o desenvolvimento de seus jogadores, a liga belga afirmou que o projeto inclui também a participação de equipes de aspirantes dos times do país nas divisões nacionais amadoras.

No início de 2020, pela primeira vez em toda a discussão que já vem de muitos anos sobre a criação de uma liga conjunta, os principais clubes de Bélgica e Países Baixos se reuniram para começar a elaborar uma proposta concreta de uma BeNeLiga. Segundo afirmou o jornal francês L’Équipe à época, 11 clubes encabeçaram as discussões: Anderlecht, Brugge, Standard Liège, Gent e Genk, da Bélgica, e Ajax, PSV, Feyenoord, Vitesse, Utrecht e AZ Alkmaar, dos Países Baixos.

O principal atrativo para a ideia, é claro, é o potencial retorno econômico, aumentando a competitividade do futebol dos dois países em um cenário de nações já estabelecidas e com a tendência de pegar uma fatia cada vez maior de receitas de direitos de TV. Um estudo da Deloitte de janeiro de 2020 apontou que uma possível BeNeLiga poderia gerar entre € 250 milhões e € 400 milhões com a venda de direitos de transmissão, um salto significativo em relação aos € 80 milhões atuais de cada uma das ligas nacionais separadas.

O projeto ainda dá seus primeiros passos, e a entrada da Pro League é importante para este princípio de plano. Ainda assim, sua definição não deverá ser rápida. Com contratos de TV para as ligas belga e neerlandesa que vão até 2025, a BeNeLiga só seria possível após esta data.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo