Champions League

Com alta dose de irresponsabilidade, Uefa quer final da Champions League com público

A pandemia segue em ritmo acelerado, apesar do advento da vacina dar uma luz de esperança no fim do túnel. Apesar de vermos alguma solução no horizonte, ainda estamos bastante distantes disso. Mesmo assim, a Uefa ainda acredita que será possível realizar a final da Champions League com público, no dia 29 de maio. Algo bastante irresponsável neste momento, mas que não surpreende: Aleksander Ceferin, presidente da entidade, ameaçou cidades que não permitirem público de serem tiradas da Eurocopa.

Segundo fontes do ESPN FC, a Uefa está confiante que os torcedores poderão estar no estádio Olímpico Atatürk, em Istambul. O estádio foi palco da história final da Champions League de 2005 entre Liverpool e Milan, que ficou conhecido como milagre de Istambul. Seria palco de nova final, em 2020, mas a pandemia da COVID-19 mudou tudo. Depois de meses de paralisação, a Uefa retomou o torneio a partir das quartas de final em sede única, em Lisboa, no último mês de agosto. Istambul passou a ser sede da final em 2021.

Alguns clubes tiveram que mandar os seus jogos fora dos seus países. Foi o caso do Atlético de Madrid, que jogou em Bucareste contra o Chelsea; os dois jogos entre Liverpool e RB Leipzig disputados em Budapeste, além também dos dois jogos entre Manchester City e Borussia Mönchengladbach, também em Budapeste. Apesar disso, segundo fontes da ESPN, a Uefa acha que continuará sem público nos jogos de quartas de finais e semifinais, mas que na final será, sim, possível ter torcedores no estádio.

Há programa de vacinações por toda a Europa, dentro e fora de países da União Europeia – Istambul está fora da UE. Apesar disso, a Uefa está esperançosa em poder permitir um número reduzido de torcedores no estádio Olímpico Atatürk. A maioria dos jogos da Champions League vem sendo sem público desde março de 2020, quando os jogos paralisaram. Alguns poucos países permitiram torcedores nos estádios nesse período, como a Rússia.

A final da Champions League em 2020 entre Bayern de Munique e Paris Saint-Germain em Lisboa foi sem público, no Estádio da Luz. Com tantos jogos com mando fora dos seus países, parece muito improvável que os jogos tenham público em jogos nesta temporada. Por isso, é irresponsável que a Uefa pense em ter público no estádio na final, com um cenário ainda tão complicado da pandemia na Europa. Tanto que as restrições são grandes ainda em vários países, porque embora a vacinação esteja acontecendo, não há doses o bastante para todos por enquanto.

Enquanto isso, será importante manter o isolamento social até que a vacinação atinja uma grande parte da população. A Uefa tinha que ter preocupações como órgão que dirige o futebol europeu em ajudar as federações locais, especialmente as menores, a também ajudarem seus clubes, fortemente afetados pelo impacto da pandemia. Porque clubes menores, de divisões inferiores, não têm os gordos direitos de TV para se abraçar quando não têm a receita de bilheteria. Será importante que a Uefa trabalhe isso primeiramente antes de pensar em outras coisas.

O público no estádio é a última coisa que precisa ser pensada em um cenário como esse. É cobrar os governantes para que até a próxima temporada, já no segundo semestre, isso se torne possível. Agora, é improvável e irresponsável.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo