Champions League

Tuchel, técnico do Chelsea: “O grupo tem um objetivo: superar o Real Madrid”

Chelsea precisa de uma vitória contra o Real Madrid nesta quarta para ir à final da Champions League

A quarta-feira será decisiva para o Chelsea. Os ingleses recebem o Real Madrid em Stamford Bridge para o jogo de volta da semifinal da Champions League, com a chance de chegar à final pela terceira vez em sua história. Depois de perder a final de 2007/08 para o Manchester United e ganhar a de 2011/12, o time comandado por Tuchel tem um gigante pela frente: o Real Madrid. Com o empare por 1 a 1 fora de casa, os ingleses mostraram força e agora precisam de uma vitória em casa para avançar – ou um empate por 0 a 0, o que parece mais improvável e principalmente mais arriscado.

Ainda mais porque o Real Madrid aumentou o domínio de títulos que tem na história desde 2014. Naquela temporada, 2013/14, o time conquistou o décimo título da Champions League. Depois, em 2016, 2017 e 2018, venceu a competição três vezes seguidas sob o comando justamente de Zinedine Zidane, o técnico atual. Além do treinador, muitos dos jogadores continuam por lá, incluindo a espinha dorsal do time. Perdeu, porém, Cristiano Ronaldo.

“O desafio será manter a intensidade ao longo da partida”, afirmou o técnico do Chelsea. “A pressão está alta. No segundo jogo, o decisivo, então chegar a um certo nível de confiança e autoconfiança é absolutamente necessário. Caso contrário, não temos chance contra um time contra o Real Madrid”.

“Não ajuda muito se o técnico fica falando sobre isso. Nós precisamos realmente sentir isso. Se eu falo a respeito, é apenas porque eu tenho certeza que eles sentem e isso pode ser visto nos jogos – que o time é capaz de produzir bons desempenhos. Eles estão cientes do desafio”.

O Chelsea terá o desfalque de Mateo Kovacic, que está com uma lesão na coxa.  “O clube exige que nós ganhemos qualquer jogo, não importa quem está do outro lado do campo. Isso é o que afia a mentalidade e esse é a nossa grande força: que nós cheguemos como um time que está acostumado com essa pressão. Essa é uma boa pressão, porque se você faz coisas muito grandes, então não ajuda ninguém e isso desvaloriza seu desempenho em qualquer outro jogo”, disse o técnico.

Com um empate sem gols o Chelsea já avança à final a Champions League, mas Tuchel não acredita que seria inteligente buscar esse resultado. “Nós não temos outra forma de nos prepararmos que encorajar o meu time a tentar vencer. Se estivermos no nosso melhor, então sem nem pensar nós vamos buscar a vitória”, afirmou Tuchel.

“Este clube se trata de ganhar. Este jogo é sobre vencer, esta competição é sobre vencer. Esquecer o resultado da primeira partida, não é tão importante quanto todo mundo pensa. Tem zero importância na preparação para esta partida. Nós iremos exigir deles sermos tão fortes quando for possível de amanhã desde às 8 da noite. O grupo tem um objetivo: superar o Real Madrid”.

Uma das dúvidas do técnico é sobre o comando de ataque. Timo Werner foi titular no jogo de ida, mas perdeu uma chance clara, algo constante. Kai Havertz, que foi bem no fim de semana na vitória sobre o Fulham por 2 a 0, parece pedir passagem para assumir o post de titular da equipe. Tuchel, como era de se esperar, defendeu Werner e deixou em aberto a possibilidade de manter o atacante como titular do time.

“Eu acho que todos temos que aceitar que às vezes os atacantes perdem chances. Nem todas as decisões estão tomadas ainda Não esqueça, dividir um jogo entre defesa e ataque é uma coisa boa a se fazer, mas você pode facilmente ficar perdido se você quiser cortar o futebol em pedados separados. É um esporte muito complexo”, continuou o treinador.

“Timo, como todo mundo que joga no ataque, tem uma alta intensidade contra a bola e tem uma grande parte no que fazemos defensivamente. É um esforço de equipe. Todo mundo precisa se apresentar e assumir sua responsabilidade para marcar os gols e para se defender”, disse ainda Tuchel.

Eden Hazard esteve no banco do Real Madrid na última partida e não entrou em campo. Ele está novamente no grupo que viaja até Londres para jogar contra o Chelsea, sua ex-equipe. “Todo mundo só tem coisas boas para falar sobre Eden”, disse o zagueiro Andreas Christensen. “Ele provavelmente será um grande fator novamente. Eu acho que ele sempre foi um jogador que traz muito alegria em campo. E se ele tem isso, você verá sua qualidade também”.

O Chelsea vai a campo precisando de uma vitória por qualquer placar ou um empate sem gols. O Real Madrid precisa vencer ou empatar por dois ou mais gols de diferença para se classificar à final pelos gols fora de casa. Em caso de novo empate por 1 a 1, o jogo vai para prorrogação.

NA TV

Chelsea x Real Madrid
Quarta, 5 de maio, 16h – TNT, Facebook, Estádio TNT Sports
Veja mais na Programação de TV

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo