Champions LeagueEspanha

Tanto Koeman quanto Piqué se mostraram conformados com derrota do Barça “É o que é”

Ambos fizeram questão de destacar pontos positivos e lembrar os desfalques, mas estão cientes que a diferença para o Bayern no momento é muito grande

O que mais chamou a atenção na vitória do Bayern de Munique por 3 a 0 sobre o Barcelona, no Camp Nou, é que ela não pareceu anormal. Apenas o resultado natural do estágio das duas equipes no momento, o que acaba sendo o mais desolador ao torcedor blaugrana. Pelo menos os líderes do time parecem estar cientes disso, o que é sempre o primeiro passo, no fim das contas.

Tanto o treinador Ronald Koeman quanto o vice-capitão Gerard Piqué tentaram destacar os pontos positivos da atuação do Barça e reclamaram dos desfalques, mas mostraram conformismo com a derrota e curiosamente usaram a mesma frase: “É o que é”.

“O resultado é volumoso e, jogando em casa, é um resultado ruim, não vamos nos enganar. Mas se olhar ao jogo, acredito que competimos no primeiro tempo. Eles fizeram um gol com desvio. No segundo tempo, o 2 a 0 nos afetou, mas, no fim, entraram não sei quantos garotos de 18 anos e a equipe competiu e mostrou a cara”, disse Piqué.

“Agora, somos o que somos, é o que é, mas estou convencido que, à medida que recuperemos jogadores, vamos competir. Temos gente como Ansu Fati, como Ousmane (Dembélé), como Kun (Agüero)… agora não somos favoritos, mas as coisas mudam rápido no futebol. Na temporada passada, ninguém daria o Chelsea como favorito”, acrescentou.

Koeman também destacou as ausências especialmente dos atacantes e revelou que Jordi Alba estava com febre. “Tínhamos apenas três atacantes e nada mais. Taticamente, houve muitas fases do jogo que controlamos. Tentamos fechar os espaços perto de Lewandowski, tentamos competir melhor, mas é o que é”, disse, ao Movistar. “Não posso me queixar da atitude. Há uma diferença em qualidade, em time, como conjunto, e um banco que também foi melhor. Em dois ou três anos, esses jogadores jovens serão melhores. É difícil aceitar, mas é o que é”.

Gavi, 17 anos, Yusuf Demir, 18, e Alejandro Balde, 18, foram três das cinco substituições de Koeman no segundo tempo. “Começamos bem, tivemos problemas para chegar à frente pelas circunstâncias. Tivemos má sorte no primeiro gol. A partir do 2 a 0, foi muito complicado. O Bayern demonstrou que é um time melhor que o nosso. O Bayern é um dos candidatos a ganhar o título. Nos faltou velocidade na frente. Tentamos colocar jovens para dar energia. Havia diferenças entre nossos jovens e os jogadores deles. Demonstraram que tem futuro, mas, hoje em dia, há uma distância”, afirmou o treinador holandês.

O Barcelona, que começou La Liga com duas vitórias e um empate, enfrenta o Granada na próxima segunda-feira e retorna a campo pela Champions League na outra semana, contra o Benfica, fora de casa.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo