Champions League

Solskjaer admite ter pensado em tirar Fred no intervalo, mas defende brasileiro no lance da expulsão

Criticado por não tirar de campo o amarelado Fred contra o PSG, na quarta-feira (2), Ole Gunnar Solskjaer, técnico do Manchester United, reconheceu ter pensado em fazer a alteração ainda no intervalo, mas justificou sua escolha, por fim castigada, de manter o brasileiro em campo: “Ele fazia uma partida muito boa”. Com um a mais em campo, os parisienses venceram os ingleses por 3 a 1.

No primeiro tempo, quando o PSG ainda vencia por 1 a 0, Fred se desentendeu com Paredes e, na clássica confrontação cabeça-com-cabeça, empurrou o argentino, em lance que normalmente seria punido com cartão vermelho. Depois de checar na tela à beira do campo, o árbitro Daniele Orsato apenas deu cartão amarelo ao brasileiro. A leniência desta decisão seria mais tarde equilibrada por um segundo amarelo bastante contestável, em que o meio-campista foi para uma dividida com Ander Herrera, acertou primeiro a bola e acabou punido.

Nas redes sociais, a grande maioria dos torcedores do United pedia, no intervalo, que o brasileiro fosse substituído, pois sua expulsão na segunda etapa parecia escrita nas estrelas. Solskjaer assumiu um risco ao deixar o brasileiro em campo, mas o fez porque via o camisa 17 ter uma boa atuação e havia confiado em sua conversa com o jogador no intervalo. Por fim, não esperava uma arbitragem tão rígida como a do lance de sua expulsão, ainda que admita que o brasileiro teve sorte de não ser expulso já no primeiro lance, na primeira etapa.

“Sim, pensei (em tirar o Fred no intervalo). Ele jogou muito bem. Conversamos sobre permanecer calmo e controlado. O segundo cartão amarelo não foi nem de longe uma falta. O Ander (Herrera) sabe disso. O Fred não deveria ter colocado a cabeça em direção ao Paredes, mas não acho que ele o tocou. Ele teve sorte de não ser expulso”, comentou o norueguês.

“O Fred jogou bem disciplinado no segundo tempo e, quando ele faz um gesto como aquele, não dá para culpar o garoto. Mas depois da decisão que o árbitro tomou, talvez você olhe para trás e pense que deveria ter tirado ele de campo. O árbitro cometeu um erro ali, mas isso é permitido”, completou, evitando jogar toda a responsabilidade em Orsato.

“O Fred sabe que não deveria ter colocado sua cabeça em direção a alguém, mesmo que não o tenha tocado”, advertiu.

O técnico dos Red Devils, no entanto, manteve sua defesa a Fred, afirmando que ele seguiu à risca suas instruções de precaução dadas no intervalo: “Achei que ele manteve a cabeça fria excepcionalmente bem no segundo tempo e teve azar com aquela decisão do árbitro. Em retrospectiva, é claro que você pode dizer que, com 11 homens em campo, (o resultado) teria sido melhor, mas vai saber”.

O Manchester United fazia um jogo completamente aberto com o PSG, tendo tido as melhores chances para estar à frente no placar, mas ainda se encontrava em igualdade. Até que, um minuto após levar o segundo gol dos parisienses, Fred levou seu segundo cartão amarelo aos 25 minutos do segundo tempo e basicamente matou todas as chances dos Red Devils, derrotados por 3 a 1 ao fim do jogo.

O United jogava por um empate para garantir a sua classificação. Com o revés, viu PSG e Leipzig o igualarem com nove pontos, e a rodada final do grupo da morte vai pegar fogo, com confrontos entre PSG e Basaksehir e RB Leipzig e Manchester United. Como nesta semana, a próxima jornada pode ser decidida nos detalhes, e Solskjaer precisará ficar atento para responder melhor às situações de jogo.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo