Champions League

Vitória do PSG sobre o United em Old Trafford bota fogo no grupo da morte da Champions

A rodada final do grupo da morte da PSG foi ao Old Trafford nesta quarta-feira (2) e conseguiu uma importante e suada vitória por 3 a 1 sobre o Manchester United, deixando as duas equipes e o RB Leipzig empatados em nove pontos após cinco jogos.

No primeiro tempo, as duas equipes alternaram entre si trechos de superioridade no duelo, aparentemente condicionadas pelo placar que buscavam. Precisando da vitória, o PSG foi melhor nos primeiros dez minutos. Tinha a posse da bola e criava as chances de perigo. Aos seis minutos, abriria o placar com Neymar. Em contra-ataque iniciado após boa ação defensiva de Diallo sobre Rashford, dentro da área, os parisienses se lançaram ao ataque pela direita, Mbappé recebeu pelo flanco e trouxe para o meio, tabelando com Neymar, arriscou o chute de fora da área e acertou a defesa do United. No rebote, o brasileiro apareceu dentro da área, pela direita, para fuzilar o gol de De Gea e fazer 1 a 0.

Aos dez minutos, Fred afastou mal a bola em sua própria intermediária, nos pés de Florenzi, e o lateral chutou de longa distância, com potência, para boa defesa de De Gea, espalmando para a direita.

Nos dez minutos seguintes, buscando o empate que o colocaria nas oitavas de final, o Manchester United reequilibrou o controle da posse de bola, empurrou o PSG para seu campo de defesa e foi lentamente crescendo em jogo. Aos 21 minutos, um lance fora da bola quase colocou tudo a perder logo cedo. Fred desentendeu-se com Paredes no meio do campo, na clássica encarada cabeça-com-cabeça, e o árbitro Daniele Orsato chegou a ir à tela na beira do campo para verificar um possível cartão vermelho ao brasileiro. Por fim, aplicou apenas o amarelo, em decisão controversa.

Ótimo para os Red Devils, cuja transição ofensiva passava bastante pelos pés do camisa 17. Outros nomes começavam a se destacar por sua movimentação constante no ataque: Bruno Fernandes, Martial, Rashford e Alex Telles, este último se oferecendo como opção pela esquerda.

Aos 32 minutos, o United chegaria ao gol de empate. Martial fez boa jogada da esquerda para o centro, bateu de fora da área para defesa de Navas, e Wan-Bissaka ficou com a sobra. O lateral então tocou para trás, encontrando Rashford, que chutou forte, contando com desvio em Danilo Pereira no meio do caminho para vencer Navas e igualar o placar.

Logo após o empate, a mentalidade das duas equipes se inverteu novamente: o United recuou, e o PSG lembrou que era preciso atacar. Mbappé, em chute da entrada da área desviado na defesa dos ingleses, levou perigo, mandando a bola rente à trave esquerda de De Gea. O leve despertar parisiense nos minutos finais da primeira etapa não foi suficiente para retomar a dianteira do placar ainda antes do intervalo. O United poderia até mesmo ter virado com Bruno Fernandes, mas o português, lançado com maestria por Martial dentro da área, tomou a decisão errada ao tentar o passe para Cavani em vez de buscar a finalização.

O equilíbrio da primeira etapa foi visto também no segundo tempo, mas quem teve as primeiras grandes oportunidades foram os donos da casa. No melhor estilo United de Alex Ferguson, os Red Devils criaram duas excelentes ocasiões em contra-ataques rápidos e de plasticidade. Aos quatro minutos, Rashford foi lançado pela direita, tabelou com Cavani em grande estilo e serviu Martial dentro da área. O francês, com todas as condições de marcar, isolou a bola por cima do gol.

Sete minutos mais tarde, em transição ofensiva igualmente rápida e bonita, Martial lançou Cavani, que encobriu Navas e acertou o travessão. No rebote, Bruno Fernandes ajeitou para Martial, mais uma vez em excelentes condições de marcar. Desta vez, seu chute foi travado com excelência por Marquinhos, que se atirou para bloquear a finalização.

Aos 19 minutos, o PSG respondeu com perigo, por meio de um Marquinhos que ensaiava sua noite de herói. Neymar deu um passe cavado pela esquerda para Florenzi, que cruzou na cabeça do zagueiro brasileiro. Sozinho, o defensor cabeceou por cima do travessão de De Gea.

Quatro minutos depois, os parisienses mais uma vez chegaram perto de retomar a frente no placar. Neymar abriu com Bakker na esquerda, e o lateral, em ótima posição para marcar, fez tudo certo, mas parou em defesaça do goleiro do United. A pressão, por fim, daria resultado.

Na cobrança do escanteio originado do chute de Bakker, Ander Herrera, que havia entrado há pouco, chutou sem direção, mas a bola foi desviada no meio do caminho por Diallo. Marquinhos apareceu do outro lado para completar para o gol e fazer o 2 a 1.

Antes mesmo de o United poder se recolocar no jogo, um lance de infelicidade de Fred acabaria com quase todas as chances de resposta dos donos da casa. Um minuto após o gol dos visitantes, o brasileiro dominou mal um passe e, ao tentar recuperar, fez falta, levou um segundo amarelo contestável e foi expulso.

Aos 29 minutos, lesionado, Rashford deixou o campo para a entrada de Pogba. Buscando um difícil empate, Ole Gunnar Solskjaer fez mais duas substituições aos 34 minutos, com Greenwood e Van de Beek entrando nos lugares de Martial e Cavani. Já aos 45 do segundo tempo, Ighalo entrou no lugar de Wan-Bissaka para dar uma opção no jogo aéreo, mas o mais perto que o United chegou de empatar foi em um bonito sem-pulo de Pogba aos 35 minutos, de fora da área, centímetros acima do gol de Navas.

O PSG, por sua vez, balançaria a rede uma última vez. Com espaço para contra-ataques, levou primeiro perigo com Mbappé, aos 44 minutos. O francês cruzou quase toda a extensão do campo com a bola e bateu cruzado, rente à trave esquerda de De Gea, ignorando os pedidos de passe de Neymar, livre no centro da área. Por fim, aos 46 minutos, em outro contra-ataque, Neymar abriu com Mbappé pela esquerda, o francês cadenciou o ataque, à espera da entrada de Rafinha na área, tocou para o brasileiro, que driblou Bruno Fernandes e, atraindo De Gea, passou para trás, onde Neymar apareceu sozinho para dar um toque simples e fechar a vitória em 3 a 1.

Os Red Devils têm diferentes ângulos a partir dos quais observar o duelo desta quarta-feira. Em igualdade numérica, os ingleses fizeram uma excelente partida e poderiam ter chegado à vitória de maneira convincente não fossem os gols perdidos inacreditáveis de Martial. A expulsão de Fred, por fim, enterrou as chances do time de Solskjaer, mas o norueguês pagou por seu erro de não ter tirado o brasileiro de campo ainda no intervalo.

O PSG, por sua vez, deu uma resposta positiva à temporada irregular que faz até agora. Teve um bom volume de jogo, soube controlar bem algumas porções do duelo e, exceto pelos espaços que deixou na defesa para contra-ataques, algo natural para quem sai em busca de um resultado positivo, soube bloquear bem os avanços do United quando o adversário precisava construir desde seu próprio campo. Como principais destaques individuais, os brasileiros Marquinhos e Neymar e o italiano Marco Verratti tiveram um desempenho à altura da ocasião.

Com o triunfo por este placar, o PSG chegou aos mesmos nove pontos de Manchester United e RB Leipzig. Com empate triplo de pontos, o líder é o United, com maior saldo de gols no confronto entre os três. A rodada final agora reserva confrontos entre PSG e Basaksehir e Manchester United e RB Leipzig.

Para se classificar, o PSG pode até mesmo empatar no jogo derradeiro, contanto que United e Leipzig empatem entre si. Ao United, um simples empate contra o Leipzig na Alemanha também representaria a classificação, mas não pense que isso signifique vida fácil.

Classements proposés par

Foto de Leo Escudeiro

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).
Botão Voltar ao topo