Champions League

Podolski faz o gol da vitória do Galatasaray e justamente em cima do Júlio César

Foi apenas o segundo jogo de Júlio César pelo Benfica depois de ele ter dito a um jornal português que deseja retornar à seleção brasileira e ser campeão do mundo em 2018. Quis o destino que do outro lado do gramado, mesmo contra um time turco, estivesse um alemão, que estava no Mineirão na goleada por 7 x 1 que marcou seu último jogo pelo Brasil, embora não tenha entrado em campo. E, mais cruel ainda, Podolski ainda marcou o gol da vitória do Galatasaray, com um chute de trivela por entre as pernas do goleiro do Benfica.

LEIA MAIS: Podolski perdeu um gol inacreditável no jogo do Galatasaray

O jogo que encerrou o aproveitamento de 100% dos portugueses na Champions League foi resolvido em pouco mais de meia hora. Gaitán abriu o placar aos 2 minutos, mas Inan, de pênalti, empatou, aos 19. Pouco depois, Podolski escapou pela direita, e como basicamente só usa a sua perna esquerda, bateu de três dedos com rara precisão para vencer Júlio César.

 

Podolski confirma a sua recente boa fase defendendo o Galatasaray, depois de ter sido criticado por tuitar mais do que jogar e fracassar nas suas passagens recentes pelo Arsenal e pela Internazionale. Tem quatro gols em oito jogos no Campeonato Turco, três deles nas últimas cinco partidas, e marcou seu primeiro pela Champions com a camisa do time turco, que está na briga por classificação às oitavas de final, em terceiro lugar, com quatro pontos, dois atrás de Atlético de Madrid e Benfica, que tem seis.

O outro personagem da história é Júlio César, que não aguenta mais levar gol de alemão. Pior de tudo, vem fazendo bons jogos pelo Benfica, como, por exemplo, na vitória sobre o Atlético de Madrid, o time mais forte da chave, e está liberado para amaldiçoar o destino, que gosta de pregar peças nele.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo