Champions League

Openda abriu 2 a 0 para o Leipzig, mas Foden comandou uma importante vitória de virada do City

Loïs Openda fez dois gols para o RB Leipzig no primeiro tempo, mas o Manchester City buscou o empate no Etihad graças a gol e duas assistências de Phil Foden

Manchester City e RB Leipzig tinham tudo para fazer um jogo desinteressante nesta terça-feira (28) pela quinta rodada da fase de grupos da Champions League. Afinal, os dois times entraram em campo no Etihad Stadium já classificados para as oitavas de final. Para a sorte de quem acompanhou o duelo, a realidade foi completamente diferente da expectativa. A equipe alemã fez um grande primeiro tempo e abriu 2 a 0 visando ainda ter chances de terminar em primeiro lugar no Grupo G, mas os Citizens contaram com as entradas de alguns titulares na segunda etapa para virarem a partida, vencerem por 3 a 2 e assegurarem a liderança.

Até o intervalo, o nome do jogo era Loïs Openda. O atacante belga não só marcou os dois gols visitantes como os fez superando Manuel Akanji, Rúben Dias e Josko Gvardiol, aproveitando sua velocidade em lançamentos longos nas costas dos defensores. Mas tudo mudou no segundo tempo, quando Phil Foden assumiu as rédeas do duelo, deu uma assistência para o artilheiro Erling Haaland, fez o seu para empatar e ainda serviu Júlian Álvarez para garantir a virada na reta final.

Com cinco vitórias em cinco partidas, o Manchester City tem 15 pontos no Grupo G e está matematicamente garantindo na liderança. Já o RB Leipzig aparece na segunda posição com nove pontos, tendo perdido os dois compromissos que teve contra o time de Guardiola.

Openda deita e rola na defesa do City

Como o Manchester City chegou na quinta rodada como o líder isolado do Grupo G e já garantido nas oitavas de final, Pep Guardiola optou por dar oportunidade a jogadores considerados reservas. Em relação ao time que começou jogando no empate com o Liverpool no sábado (25), o goleiro Ederson, o zagueiro Nathan Aké e os atacantes Júlian Álvarez e Jérémy Doku começaram no banco, enquanto Stefan Ortega, Josko Gvardiol, Rico Lewis e Jack Grealish iniciaram o jogo.

O RB Leipzig também foi para a partida já assegurado no mata-mata da Champions League, mas o técnico Marco Rose não quis arriscar e mandou a campo o que tinha de melhor. A única grande mudança foi na formação: o habitual 4-4-2 virou um 5-4-1 para tentar conter o forte ataque adversário.

E o plano da equipe alemã funcionou melhor. O único atacante do Leipzig foi Loïs Openda, que mesmo isolando lá na frente provou ser capaz de deitar e rolar numa das melhores defesas da Europa, principalmente explorando sua velocidade em lançamentos longos. Foi exatamente assim que ele abriu o placar: após chutão do goleiro Janis Blaswich, o camisa 17 venceu Manuel Akanji na disputa de corpo, invadiu a área e tocou rasteiro de canhota na saída de Ortega.

O City ainda teve uma grande oportunidade de empatar ainda no primeiro tempo, mas Rico Lewis chutou por cima de dentro da área, aos 29. O Leipzig não perdoou a oportunidade desperdiçada e ampliou o marcador quatro minutos depois. Depois de receber novo lançamento longo, este de Xavi Simons, Openda escapou de Rúben Dias pela esquerda no meio-campo, entrou na área, cortou Gvardiol e chutou cruzado no contrapé de Ortega, que nada pôde fazer a não ser olhar a bola ir rasteira até sua rede.

Foden comanda a reação dos Citizens

Perdendo por 2 a 0, o Manchester City foi outro mo segundo tempo. A primeira mudança foi na postura, tendo ainda mais posse de bola, ficando ainda mais no campo de ataque e não cedendo espaços para o Leipzig contra-golpear em velocidade. Já a segunda foi nas peças: Aké substituiu Rúben Dias na volta do intervalo, enquanto Jérémy Doku e Júlian Álvarez entraram nas vagas de Jack Grealish e Kyle Walker aos nove minutos.

A agressividade de Guardiola nas alterações surtiu efeito imediatamente. Foi só Doku e Álvarez pisarem em campo que surgiram brechas para as estrelas. Em sua primeira participação, Álvarez recebeu passe de primeira de Rodri no círculo central e acionou Foden na intermediária. O inglês dominou com o pé esquerdo, ajeitou com o direito e deu linda enfiada de bola de canhota para Erling Haaland invadir a área, bater colocado no canto direito de Blaswich e diminuir. Foi o quinto gol do norueguês nesta Champions, empatando com Rasmus Hojlund (Manchester United) e Álvaro Morata (Atlético de Madrid) na artilharia.

O empate também não demorou para sair. Menos afobado que no primeiro tempo, o City esperava o momento certo para concluir suas jogadas ao invés de finalizar de qualquer jeito. Rondar a área adversária com calma buscando a melhor hora para ser agressivo deu resultado aos 25 minutos, quando Gvardiol apareceu no ataque como um meia e encontrou Phil Foden, que dominou entrando na área antes de bater com o pé esquerdo para empatar o confronto.

A esta altura do jogo, o RB Leipzig não parecia ser capaz de levar perigo ao gol de Ortega, até porque Openda ficou esgotado e foi substituído. Na única vez que conseguiram repetir a estratégia da primeira etapa e aproveitar os espaços nas costas da defesa do City, Fabio Carvalho até balançou a rede, mas o tento foi prontamente anulado por impedimento.

O 2 a 2 já era bom para o Manchester City, que só precisaria empatar na última rodada para assegurar a primeira colocação do Grupo G. Os Citizens, no entanto, queria mais, e novamente recorreram a Foden para fazer o Etihad explodir de alegria, além de contarem com as substituições de Guardiola. Já aos 43 minutos, Doku recebeu pela esquerda com liberdade, encarou a marcação e passou para Foden dentro da área. Cercado, o camisa 47 foi até a linha de fundo antes de cruzar para trás na entrada da pequena área, onde Júlian Álvarez teve muita frieza para dominar e chutar tirando do goleiro Blaswich e dos dois defensores que estavam na linha do gol. Vitória de virada e primeiro lugar garantido.

Foto de Felipe Novis

Felipe Novis

Felipe Novis nasceu em São Paulo (SP) e cursa jornalismo na Faculdade Cásper Líbero. Antes de escrever para a Trivela, passou pela Gazeta Esportiva.
Botão Voltar ao topo