Champions League

Álvarez resolve contra o Leipzig com golaço e segue em uma incrível ascensão no Manchester City

O garoto argentino Julian Álvarez foi novamente decisivo e está cada vez mais ganhando espaço no Manchester City

Toda crise apresenta uma oportunidade, certo? É claro que a situação do Manchester City nunca chegou ao status de crise, alguns meses depois de conquistar a Tríplice Coroa, mas a temporada começou com um excesso de lesões e problemas físicos que deixou o elenco curto de Pep Guardiola ainda mais enxuto. Nesse vácuo, Julián Álvarez está ganhando mais oportunidades. E aproveitando-as. Nesta quarta-feira, marcou um golaço da entrada da área para arrancar a vitória do campeão europeu por 3 a 1 sobre o RB Leipzig fora de casa.

Álvarez chegou ao Etihad Stadium no começo da última temporada e nem era certo que ficaria no elenco. O City adora contratar talentos jovens e promissores para emprestá-los. Teve espaço após as saídas de Gabriel Jesus e Raheem Sterling e subiu de estatura depois de ser um dos jogadores mais importantes da Argentina no título mundial do Catar. Terminou a temporada prefeita dos ingleses com 17 gols em 49 partidas, excelente marca na sua estreia na Europa.

A ascensão continua, e os desfalques estão permitindo que ganhe uma sequência. Foi titular nas sete rodadas da Premier League, por exemplo, já mais da metade do que na edição passada – 13. Geralmente joga como um segundo atacante, um pouco no meio-campo, um pouco encostado em Haaland, e está resolvendo. Fez o gol da vitória por 1 a 0 sobre o Newcastle e comandou a virada contra o West Ham. Marcou duas vezes na estreia da fase de grupos da Champions League contra o Estrela Vermelha também e já soma seis gols e quatro assistências em 12 partidas.

O RB Leipzig apresentou as dificuldades que se esperava. Começa bem a Bundesliga após uma significativa reformulação, venceu o Bayern de Munique com facilidade na Supercopa da Alemanha e havia segurado o empate por 1 a 1 com o City, em casa, nas oitavas de final da última Champions League. Estava prestes a fazer isso novamente, quando Álvarez mandou no ângulo de Janis Blaswich para manter o 100% de aproveitamento do time de Guardiola após duas rodadas. Os alemães são segundos colocados, com três pontos.

City no controle

O Manchester City teve controle quase absoluto da partida. Principalmente no primeiro tempo, quando manteve 72% de posse de bola e limitou o Leipzig a uma finalização bloqueada. Guardiola entrou com o lateral Rico Lewis mais no meio-campo e apostou bastante em suas dobradinhas com Bernardo Silva pela direita. Aos 14 minutos, Silva acionou Lewis na marca do pênalti. O garoto dominou e girou bonito, mas carimbou a marcação. Foden cruzou a sobra, e Silva ainda desviou na segunda trave, sem conseguir direcionar a bola às redes.

Silva era o homem mais ativo do campeão europeu. Quase cavou um pênalti, em toque de mão de Castello Lukeba, rapidamente checado pelo VAR, antes do jogo seguir. Foden levou perigo em jogada individual, antes de Silva, colado na linha lateral, dar o passe em projeção para Lewis. O cruzamento à marca do pênalti encontrou Phil Foden, que bateu de primeira para abrir o placar. Erling Haaland terminou a primeira etapa escapando duas vezes pela esquerda e tentando finalizar sem ângulo. A primeira foi para fora. A segunda parou em Blaswich.

RB Leipzig reage e complica

O RB Leipzig atacou um pouco mais depois do intervalo. Só um pouco mesmo. Mas logo na primeira vez, encaixou um rápido contra-ataque que terminou com Loïs Openda ganhando de Manuel Akanji no corpo antes de tocar na saída de Ederson. O gol reiniciou a partida, com o Manchester City novamente precisando furar a organização defensiva dos alemães. Foi um jogo de paciência.

Haaland cresceu um pouco. Bateu mascado, aos oito minutos, depois encontrou o cruzamento de Foden na segunda trave, mandando para fora. Foden quase surpreendeu com uma cobrança de falta da ponta direita direto ao ângulo. Acertou a forquilha. Haaland arriscou fraco da entrada da área, uma finalização que Blaswich deveria encaixar sem problemas. Ele, porém, precisou mandar para escanteio.

O Leipzig até conseguiu encaixar mais alguns contra-ataques, sem transformá-los em chances claras. Emil Forsberg teve um, aos 20 minutos. Saiu livre pela direita e tentou cruzar para Openda no outro lado da área. Pegou forte demais, e Openda estava impedido de qualquer maneira. Depois, foi Timo Werner quem apareceu em liberdade. Tentou um cruzamento forte, interceptado por Ederson. Álvarez entrou apenas aos 34 minutos da etapa final. E quase imediatamente recebeu de Doku na entrada da área, deixou a bola morrer e bateu chapado, no ângulo de Blaswich. Golaço.

O Leipzig foi para cima, finalmente se posicionou mais no campo de ataque, e tentava ameaçar, quando o City matou a parada no contra-ataque. Haaland fez a parede no meio-campo, Álvarez arrancou pela meia direita e soltou para Doku, que bateu colocado na saída do goleiro e fechou o placar.

Foto de Bruno Bonsanti

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.
Botão Voltar ao topo