Champions LeagueEspanhaFrança

Hakimi: “Acho que o Real Madrid não quis apostar tanto em mim quanto outros clubes”

Antes de se tornar um dos laterais mais cobiçados do mundo, Hakimi não teve muitas chances no Real Madrid, clube que o formou

Formado nas categorias de base do Real Madrid, Achraf Hakimi nunca teve muita chance no Santiago Bernabéu. Fez apenas 17 jogos com a camisa branca, antes de ser emprestado ao Borussia Dortmund por duas temporadas e vendido à Internazionale. Hoje no PSG com status de ser um dos melhores laterais do mundo, reencontrará a sua antiga equipe nas oitavas de final da Champions League que começam na próxima terça-feira. Em entrevista ao Marca, disse com todas as letras: o Real Madrid não quis apostar nele.

Antes, Hakimi fez questão de agradecer ao Real Madrid por tê-lo formado como pessoa e jogador. “É um jogo bonito de se jogar e, como sabe, é um time que tenho no coração por tudo que me deu”, disse. “Quando você sobe ao Real pela primeira vez do Castilla, é normal que o clube não aposte tanto porque é um jogador jovem. Mas depois de ir ao Dortmund e ter duas grandes temporadas, tive que voltar e decidir. E ali o Real acredito que continuava sem apostar em mim, embora eu continuasse jogando em um grande nível. E depois quando sai para a Inter, havia também uma opção de compra do Real e também não a executaram. Então acredito que o Real Madrid não quis apostar em mim tanto quanto outros clubes. E estou contente porque acho que esses clubes não erraram em apostar em mim”.

Agora mais maduro, com “experiência e responsabilidade”, Hakimi está curtindo a vida na França, após ter sido a contratação que exigiu a maior taxa de transferência de um mercado badalado do PSG. Gosta da proximidade da língua e da cultura em uma cidade que recebe muitos imigrantes africanos e árabes. “Eu me sinto muito cômodo, como se estivesse em casa. Fui muito bem recebido, pelo clube, pela torcida. O clube apostou em mim e fez grandes esforços. O treinador também. Tivemos muitas conversas e me deu confiança. Os jogadores também me receberam bem. Eu me sinto bem com eles e dou o meu melhor”, disse o marroquino com contrato até 2026 e que jogou 27 vezes nesta temporada por todas as competições.

O PSG se destaca pelo poder de fogo, com Neymar, Mbappé e Messi, mas Hakimi alerta que o Real Madrid também conta com o seu “exército”. “Vini, Benzema, Modric, Casemiro, Kroos… Asensio também está muito bem. Os zagueiros também estão muito bem. Eles têm um timaço e nunca podemos dar o Real Madrid como morto, embora pareça que tenhamos mais nomes. Eles têm uma grande equipe e temos que respeitá-los pelo clube que são e eles também têm que nos respeitar por quem somos. É 50% para cada lado nessa eliminatória”, disse.

O confronto começará a ser disputado nesta terça-feira, às 17h, no Parque dos Príncipes.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo