Champions League

Haaland se reencontra com o City, um clube que fez parte de sua infância e pode ser essencial ao seu futuro

Filho de um ex-jogador celeste, o centroavante também é especulado pelo time de Pep Guardiola

Erling Braut Haaland nasceu em Leeds, mas os primeiros anos de sua infância foram vividos em Manchester. Seu pai, Alf-Inge Haaland, se transferiu ao Manchester City na época em que ganhou o filho. O futuro artilheiro ainda era um bebê de colo quando o então volante disputou sua primeira temporada com a camisa celeste. O centroavante do Borussia Dortmund certamente não se lembra da passagem de Alf-Inge pelos Citizens, até porque foram poucos jogos. Em abril de 2001, quando Erling Braut tinha dez meses, o pai sofreu a brutal entrada de Roy Keane e, com uma série de lesões, sua carreira se abreviaria logo depois. A partir de 2004, o menino se mudaria à Noruega e por lá desenvolveria o talento. O Manchester City, ainda assim, faz parte de sua vida e ele nutriu um carinho pelo time do pai. Será um reencontro especial que o atacante viverá nesta terça, no Estádio Etihad, pelas quartas de final da Champions League.

O futuro de Haaland no Borussia Dortmund é incerto. Neste final de semana, os aurinegros perderam para o Eintracht Frankfurt na Bundesliga e desperdiçaram uma chance imensa no confronto direto pelo G-4. Sete pontos atrás das Águias, o time de Edin Terzic tem apenas sete rodadas para correr atrás do prejuízo e, dada sua inconsistência, a reviravolta parece bastante difícil. Sendo assim, caso o milagre não venha no Campeonato Alemão, o Dortmund só estará na próxima edição da Champions se conquistar a Orelhuda nesta temporada. A missão é hercúlea e, neste momento, deixar uma boa impressão no torneio continental é a prioridade.

O Borussia Dortmund tem conquistado resultados melhores na Champions do que na Bundesliga, mesmo sem uma campanha brilhante. Quem brilha mesmo na competição europeia é Haaland, que parece ter um gosto especial por disputá-la. O norueguês rompe marcas históricas e é o maior candidato à artilharia desta edição. O centroavante marcou incríveis dez gols em seis aparições, responsável por 59% dos tentos aurinegros, e possui quatro gols a mais que qualquer outro jogador no torneio. Embora já venha carregando o BVB, levar o time à terceira final de sua história é algo bem improvável. Mais fácil será Haaland se valorizar e convencer algum clube a gastar alto por sua contratação, para que retorne à Champions na próxima temporada com outra camisa.

Durante os últimos dias, as conversas sobre uma possível transferência de Haaland se tornaram mais fortes. O Borussia Dortmund ainda pretende segurar o atacante, mesmo fora da Champions. O diretor Hans-Joachim Watzke afirmou que falará com os representantes do jogador para tentar mantê-lo. Admite que pensará na questão apenas se houver uma “proposta extraordinária”, mas que é pouco provável chegar aos valores desejados por causa da pandemia. No entanto, Alf-Inge Haaland e o empresário Mino Raiola já estudam as perspectivas. Segundo diferentes fontes na Europa, Raiola conduz conversas com cinco clubes diferentes, num negócio que deve girar ao redor de €150 milhões. O empresário e o pai do jogador também teriam pedido uma altíssima comissão, além de salários gordos.

O Manchester City é exatamente um dos interessados em Haaland. A transferência do centroavante ao Estádio Etihad faz sentido não apenas por seu histórico familiar, mas também pelas possibilidades financeiras e mesmo pelas necessidades dos celestes. O dinheiro dos Emirados Árabes permite que o City atravesse a crise financeira relativamente ileso, botando os mancunianos em posição privilegiada se comparada à de outros clubes poderosos. Além disso, a despedida de Sergio Agüero cria uma lacuna no ataque. Difícil imaginar um substituto mais capacitado que o norueguês para a função, ainda que suas características físicas sejam bem distintas se comparadas à do argentino.

Haaland costuma render melhor com o campo aberto para acelerar, aproveitando bem a velocidade do Borussia Dortmund. Preponderar em jogos mais fechados nem sempre é tão fácil, embora o norueguês também demonstre uma excepcional leitura de jogo para se posicionar e também uma movimentação inteligente para atacar os espaços. Seria este ponto para o Manchester City aproveitar, com Pep Guardiola ganhando um homem de frente mais físico e de muita precisão nos arremates. Nesta segunda, o treinador abriu as portas à possibilidade, mesmo que as maiores contratações dos Citizens não cheguem aos valores especulados sobre Haaland.

O próprio teste nas quartas de final da Champions será interessante a Haaland, indo ou não para o Manchester City. O centroavante irá enfrentar a melhor defesa da Europa na atual temporada, com um rendimento altíssimo sobretudo na Premier League. Haverá um bom duelo particular com Rúben Dias, candidato a melhor zagueiro de 2020/21. O norueguês atropelou Jules Koundé nas oitavas contra o Sevilla, mas os celestes possuem um desempenho superior e mais qualidade. De qualquer forma, pelo estilo dos Citizens, o confronto também pode oferecer contra-ataques para o Dortmund – o melhor caminho para Haaland impor seu poder de fogo contra os adversários e dar esperanças aos aurinegros.

Outro problema para Haaland lidar é a ausência de Jadon Sancho. O inglês também poderia viver um reencontro especial com o Manchester City, após passar dois anos na base celeste. No entanto, sofrendo com as contusões, o meia não participará deste primeiro jogo. Sem o armador, Haaland perde seu principal sócio dentro de campo e o Dortmund vê sua capacidade ofensiva comprometida. A equipe sente falta de sua maior fonte criativa e o próprio artilheiro acaba prejudicado. As últimas semanas não foram tão prolíficas a Haaland, que passou em branco na Data Fifa com a Noruega e também perdeu gols que não costuma desperdiçar no embate contra o Frankfurt pela Bundesliga.

A Champions, ainda assim, representa outra história a Haaland. Talvez uma história mais grandiosa dentro do próprio Borussia Dortmund, batendo de frente com um dos favoritos ao título. Quem sabe o apontamento a uma história nova, cavando seu futuro em um novo lugar. E, desde já, há um elo com a história de vida de sua família. Não é difícil encontrar fotos suas na infância ou na adolescência com a camisa do City. Enquanto isso, o jovem elogiou o Estádio Etihad no reconhecimento do campo nesta segunda. As emoções estarão afloradas e, de um jeito ou de outro, o centroavante protagonizará o confronto. Seu implacável talento garante muitos holofotes e não será diferente neste que será o duelo mais importante de sua meteórica carreira.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Bloqueador detectado

A Trivela é um site independente e que precisa das receitas dos anúncios. Considere nos apoiar em https://apoia.se/trivela para ser um dos financiadores e considere desligar o seu bloqueador. Agradecemos a compreensão.