Champions League

Guardiola: “Psicologicamente, para todos nós, passar para as semifinais era necessário”

Pela segunda vez na história do clube, a primeira sob o comando do catalão, o City está entre os quatro melhores da Europa

Pela primeira vez desde que assumiu o comando do Manchester City há quase cinco anos, Pep Guardiola alcançou as semifinais da Champions League. Principal objetivo do clube nos últimos anos, a competição vinha se provando um desafio duro demais aos Sky Blues nas últimas temporadas, e o treinador comemorou a barreira superada após eliminar o Borussia Dortmund e o que isso representa a todos dentro do clube.

Em 2015/16, antes da chegada de Guardiola ao clube, o Manchester City havia alcançado pela primeira vez as semifinais da competição sob o comando de Manuel Pellegrini. Em seu primeiro ano, 2016/17, o catalão caiu nas oitavas de final, em seguida parando nas quartas de final em três temporadas consecutivas. Desnecessário dizer, a fase virou um grande obstáculo mental ao grupo, e ultrapassá-lo tem um grande significado a todos.

“Psicologicamente, para todos nós – jogadores, eu mesmo, a comissão técnica, o presidente, o CEO –, viver este momento de passar das quartas de final para as semifinais era necessário. Agora, é claro, queremos mais”, contou o treinador à BT Sport.

Guardiola destacou como o julgamento com base no desempenho na Liga dos Campeões pode ser às vezes severo demais, descartando todo o restante feito em uma temporada. Neste sentido, é muito importante ao clube avançar entre os quatro restantes: “Não podemos negar. Esta competição é difícil. Você trabalha durante dez meses e é julgado por um jogo. Você é eliminado, e de repente sua temporada é julgada como um fracasso, seu clube é um desastre. Isso não é justo, não podemos julgar o que esses caras fizeram em quatro ou cinco anos”.

Guardiola destacou que a barreira superada é importante sobretudo aos jogadores, que acumularam fracassos na competição ao longo dos últimos anos e sempre colocaram pressão sobre si mesmos para dar o passo além.

“É um bom momento para todos nós, especialmente para os jogadores. Não podemos esquecer que, nos cinco anos em que estamos juntos, fomos eliminados da Champions League quatro vezes. Os jogadores sofrem o mesmo que a comissão técnica e as pessoas que trabalhando dentro do clube. São muito competitivos e querem dar o passo seguinte – e eles o deram”, comemorou.

Guardiola reconhece que o City ainda não tem tradição na principal competição de clubes do mundo, mas destaca que é com pequenos avanços como o desta quarta-feira que passará a escrever sua própria história no torneio. “A sensação é incrível. Esta é a segunda vez que chegamos às semifinais (primeira desde que Pep chegou ao clube), então nosso clube não tem muita história aqui, mas começaremos a construí-la.”

Contente com a atuação diante do Borussia Dortmund, ainda que reconheça não ter feito um bom início de partida, Guardiola espera um bom desempenho contra o PSG nas semifinais. Porém, por ora, quer apenas saborear a pequena conquista.

“Pela segunda vez em nossa história estamos lá com a verdadeira elite da Europa. No momento, não quero pensar por um segundo no PSG. Quero comemorar, jantar com a comissão técnica e com a equipe. Não sei qual vinho, mas terá vinho, com certeza.”

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo