Champions League

Galatasaray vira em Old Trafford e afunda Manchester United na lanterna de grupo da Champions

Galatasaray saiu atrás do placar duas vezes, mas buscou vitória e aumentou a pressão em cima do Manchester United

A crise do Manchester United não tem fim nesse início de temporada e um novo capítulo trágico foi escrito nesta terça-feira (3). Em pleno Old Trafford, o Galatasaray bateu os Red Devils por 3 x 2 de virada, com direito a novas falhas de André Onana, ‘lei do ex' de Wilfried Zaha e Mauro Icardi se redimindo de pênalti perdido.

O resultado manteve o clube inglês na lanterna do grupo A da Uefa Champions League em duas rodadas disputadas, sem nenhum ponto somado. A chave é liderada pelo Bayern de Munique (seis pontos), seguido pelo time turco (quatro) e pelo Copenhagen (um).

United e Galatasaray ficam no zero em primeiro tempo intenso

Sem um lateral-esquerdo para o jogo, o técnico Erik Ten Hag escolheu o volante marroquino Sofyan Amrabat para a posição. Ao lado dele estava a dupla de zaga Victor Lindelöf e Raphaël Varane, tendo Diogo Dalot de lateral-direito. Casemiro era o primeiro homem do meio-campo, com Mason Mount à esquerda e Hannibal Mejbri à direita. Marcus Rashford, Rasmus Højlund e Bruno Fernandes fecham a escalação inicial do mandante. O Galatasaray de Okan Buruk apostava no 4-2-3-1 com e sem bola, tendo diversos conhecidos do United que atuaram na Premier League, casos de Angeliño (ex-Manchester City), Wilfried Zaha (ex-United e Crystal Palace), Lucas Torreira (ex-Arsenal), Tetê (ex-Leicester) e Davinson Sánchez (ex-Tottenham).

Os minutos iniciaram foram de muita velocidade para atacar dos mandantes. Com menos de 90 segundos, Højlund fez grande jogada individual em cima de Sacha Boey e tocou para Bruno Fernandes dentro da área, que finalizou mal. A equipe turca mostrava dificuldades em reter a bola, pressionava mal e ainda dava espaços. Em uma dessas lacunas cedidas, Rashford recebeu lançamento lindo lançamento de Casemiro nas costas da defesa, carregou para área e mandou na cabeça de Højlund, testando forte às redes.

A linha alta do Galatasaray sofria com os passes de infiltração do United para o Højlund. Pouco depois do gol, o dinamarquês quase driblou Fernando Muslera, que saiu desengonçado do gol, mas conseguiu afastar. O time de Ten Hag também aposta em uma defesa adiantada e deu a possibilidade do empate do Galatasaray em sua primeira finalização. O zagueiro Sánchez não foi pressionado e deu lançamento perfeito para Zaha brigar no corpo com Dalot, ganhar a disputa e chutar de voleio com desvio no defensor português, encobrindo André Onana e igualando o placar.

O relógio marcava quase meia hora e a partida seguia quente e de ritmo alto. Em ótimo primeiro tempo, Højlund fez grande jogada individual, inverteu e, pela primeira vez, Amrabat desceu até a linha de fundo para dar passe para Mount, que teve chute bloqueado pela defesa.

As duas equipes apostavam em ataques rápidos e verticais, e o jogo ficava sem uma equipe controlando totalmente as ações. Em uma das oportunidades no fim do primeiro tempo pelo lado do United quase terminou em gol, quando Mount recebeu de novo próximo à marca do pênalti e bateu forte. A bola tinha direção, mas foi bloqueada. O Galatasaray era pouco inspirado quando tinha posse no campo de ataque e não conseguiu finalizar em direção a Onana, com exceção do gol.

Time turco pune erros do United e vence em Old Trafford

No intervalo do jogo, Ten Hag substituiu Mejbri e colocou o experiente Christian Eriksen na partida, que manteve o ritmo do primeiro tempo. A velocidade era o padrão para as equipes atacarem. Em uma roubada no campo de ataque, Kaan Ayhan tocou para Kerem Aktürkoğlu, já dentro da área, finalizar em cima de Lindelöf. Na vez do United, Højlund fez lindo pivô, Eriksen inverteu na medida para Bruno Fernandes cortar para o meio e chutar por cima do gol de Muslera.

A mudança do meio-campista deu nova dinâmica para o Manchester United, que tinha um construtor para colocar seus companheiros em boas condições de gol. Foi assim que os Red Devils quase marcaram. Em contra-ataque rápido, Eriksen deu de primeira para Rashford, em profundidade. O inglês ficou de frente para Muslera, mas tocou para Bruno Fernandes, que não conseguiu completar e Boey apareceu antes para cortar. No escanteio desse lance, Mount teve oportunidade de longe e exigiu a primeira defesa difícil do goleiro adversário.

O United quase retomou a vantagem no placar com Højlund, novamente com a participação de Eriksen, que tabelou, deu para Casemiro dentro área. O brasileiro serviu o dinamarquês que marcou com categoria, mas estava impedido no lance.

A torcida inglesa se inflamou na partida e empurrava o time, em grande momento na partida, mas sem conseguir furar o bloqueio turco pela imprecisão nos chutes. Porém, o United não contaria apenas com seus jogadores para criar – teve ajuda também os adversários. Davidson Sánchez ia receber passe ruim de Sérgio Oliveira (que entrou minutos antes), mas escorregou no gramado molhado de chuva do Old Trafford e deu uma passarela para Højlund carregar até a área e marcar na saída de Muslera.

Após o gol, Rashford saiu para entrada do argentino Alejandro Garnacho. O time visitante incrivelmente melhorou atrás do placar. A resposta do Galatasaray foi quase imediata, contando ajuda de Onana, que soltou fácil cruzamento na área para Zaha. O marfinense tocou para Aktürkoğlu errar o chute dessa vez, mas não perdoaria na próxima. Logo depois, o camisa sete recebeu completamente sozinho na área de Alper Yilmaz (outro que saiu do banco) e igualou o placar novamente.

Com meia hora, Onana, que havia falhado em lance anterior, entregou nos pés de Dries Mertens após pressão do Galatasaray. O belga, vindo do banco, invadiu a área e sofreu pênalti de Casemiro, que já tinha amarelo e foi expulso. Mauro Icardi foi para a bola, para dar a vitória ao seu time, mas bateu cruzado para fora. O argentino teria poucos minutos para redimir – e conseguiu. Pouco depois da penalidade, Amrabat errou lançamento, Sánchez cortou de cabeça e virou um passe para Icardi, de frente para o Onana, encobrir o goleiro e virar o placar.

Para segurar o resultado, Boruk colocou o zagueiro Victor Nelsson e o meio-campista Ndombélé. Para colocar buscar o empate, Ten Hag tirou Mount para entrada de Antony, de volta aos gramados após um mês afastado por acusações de agressão de sua ex-namorada. Pouco depois, Martial também veio a campo no lugar de Amrabat.

Os minutos finais foram de emoção e pressão do United, colocando até Onana no ataque para tentar marcar, mas não incomodou Muslera e o placar se manteve no 3 x 2.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius é nascido e criado em São Paulo e jornalista formado pela Universidade Paulista (UNIP). Escreveu sobre futebol nacional e internacional no Yahoo e na Premier League Brasil, além de esports no The Clutch. Como assessor de imprensa, atuou no setor público e privado.
Botão Voltar ao topo