Champions LeagueEspanha

Ancelotti: “Sofrido, mas quanto mais se sofre, mais feliz eu fico”

O técnico do Real Madrid elogiou mais uma vez a magia do estádio Santiago Bernabéu na recuperação contra o Chelsea

Carlo Ancelotti exaltou a energia que as suas substituições injetaram no Real Madrid para conseguir resgatar a classificação às semifinais da Champions League, elogiou novamente a magia do Santiago Bernabéu e disse que uma vitória sofrida como a conquistada na última terça-feira é ainda mais gostosa.

Após vencer por 3 a 1 em Stamford Bridge, o Real Madrid estava perdendo do Chelsea por 3 a 0 até os 35 minutos do segundo tempo, quando Rodrygo saiu do banco de reservas para forçar a prorrogação. Vinícius Júnior deu a assistência para Karim Benzema selar a vaga.

“Ganhamos esta eliminatória graças à energia. Eu fiz as mudanças para termos energia. A equipe sofreu muito e todos os jogadores deram a cara à tapa. Não merecíamos estar perdendo por 2 a 0. Sofremos na bola parada porque não tínhamos Militão. Tivemos dificuldades. Depois do 0 x 2, tivemos uma queda psicológica, mas a magia do estádio voltou a nos ajudar muito. Quanto mais se sofre, mais feliz estou”, disse.

Ancelotti disse que seu time jogou com as rédeas puxadas durante grande parte do jogo, mas, quando se soltou, conseguiu atuar melhor para se recuperar. O desgaste do Chelsea devido a uma forte pressão também ajudou os espanhóis a ter uma vantagem física na prorrogação.

O técnico italiano também elogiou o brasileiro Rodrygo. “Quando ele entra no jogo, faz a diferença. Fez isso muitas vezes, também contra o PSG (nas oitavas de final). É um jogador jovem, importante, que precisa de tempo para se incorporar ainda melhor, mas estou satisfeito com ele”, elogiou.

O técnico do Chelsea, Thomas Tuchel, que havia adotado um tom bastante pessimista depois do jogo de ida, pareceu orgulhoso de seus jogadores e disse que é uma derrota que ele consegue digerir porque o ainda atual campeão não tem “nada do que se arrepender”.

“Não era para ser. Fomos simplesmente azarados. Mostramos a qualidade e a personalidades este time e merecemos avançar. Tínhamos um déficit enorme para superar porque cometemos grandes erros na partida de ida e (na volta) os dois gols saíram de erros nossos”, analisou.

“Eles aproveitaram esses erros com qualidade individual e isso foi suficiente porque ao longo das duas partidas nós cometemos muitos desses erros”, encerrou.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo