Europa

Barcelona lidera ranking de faturamento pela primeira vez, enquanto o Tottenham desbanca rivais londrinos

Pela primeira vez desde que o tradicional relatório anual Football Money League, da consultoria Deloitte, é publicado, o Barcelona apareceu como o clube que mais arrecadou no mundo, no período abrangendo a temporada 2018/19. Os catalães deram um salto de 22% (€ 150,4 milhões) em relação ao ano anterior, atingindo € 840,8 milhões. O Barça foi a primeira equipe a registrar receitas de mais de € 800 milhões no levantamento da Deloitte.

[foo_related_posts]

Os rendimentos recordes do Barcelona se devem principalmente ao salto nas arrecadações da operação comercial, com a Deloitte atribuindo a ascensão à nova estratégia dos blaugranas de levar para dentro do clube as operações de licenciamento e produtos, tendo mais autonomia na gestão dessas vias. Nas operações comerciais, o rendimento foi de € 383,5 milhões, um aumento de 19% em relação ao período anterior.

A renda com direitos de transmissão também subiu, em 34% (€ 75,1 milhões) mais especificamente, graças ao começo do novo acordo de TV da Champions League em 2018/19 e à campanha semifinalista na competição.

Outra alteração importante no ranking foi a ascensão do Tottenham. O clube, finalista na última Liga dos Campeões, ficou na 8ª colocação, sua melhor posição desde que o relatório é feito, em 1996/97. Com rendimentos de € 521,1 milhões, os Spurs foram o time de Londres que mais arrecadou, ultrapassando Chelsea e Arsenal, 9º e 11º respectivamente, com € 513,1 milhões e € 445,6 milhões.

No total, as receitas do Tottenham subiram 21% (€ 93,2 milhões), com os ganhos comerciais e de direitos de transmissão capitaneando a ascensão. No primeiro, o aumento foi de € 50,4 milhões (22%); no segundo, de € 35,8 milhões (30%).

As melhorias se deveram tanto à campanha finalista na Champions League quanto a novos acordos comerciais com os principais patrocinadores do clube, AIA e Nike. A Deloitte espera que o crescimento dos Spurs continue, com a renda com estádio inevitavelmente subindo, já que a equipe não disputou toda a temporada passada em sua nova casa, com 62.062 lugares.

O Manchester United manteve sua terceira colocação, tendo um aumento de 6% em rendimentos em relação ao ano anterior e arrecadando € 711,5 milhões. A Deloitte aponta, no entanto, que o clube corre o risco de ser ultrapassado no ranking, já que sua receita prevista para 2019/20 é de € 653 milhões a € 677 milhões – e de mesmo perder o posto de clube inglês com maior faturamento, com os rivais Liverpool e Manchester City batendo à porta.

Apesar da boa perspectiva de possivelmente ultrapassar o rival da cidade nos próximos rankings, os Cityzens perderam uma posição em relação ao ano passado, graças ao crescimento de outro novo gigante. O PSG tomou o 5º lugar do Manchester City principalmente impulsionado pelo aumento nas rendas comerciais. A Deloitte destaca que os parisienses assinaram com cinco novos parceiros, além de renovar contratos com outras seis marcas globais. O salto em renda comercial foi de € 50 milhões (16%), e o clube teve a segunda maior arrecadação comercial da história do relatório, com € 363,4 milhões.

A consultoria aponta ainda que o Paris Saint-Germain tem se destacado na indústria do futebol por romper com o status quo, ganhando relevância cultural a partir de sua incursão no mundo da moda e do lifestyle, sobretudo por meio da parceria com a Jordan.

Em termos gerais, o relatório aponta uma quantia recorde levantada pelos 20 clubes mais ricos do mundo. Juntos, eles alcançaram € 9,3 bilhões, um aumento de 11% (€ 939 milhões) em relação ao ano anterior. A lista se manteve estável, e Lyon (17º) e Napoli (20º) foram as únicas duas novidades no ranking.

Confira abaixo a lista com os 20 clubes que mais arrecadaram em 2018/19 e seus respectivos faturamentos, em milhões de euros. Para ver o relatório na íntegra, basta clicar aqui.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo