Europa

Alderweireld volta à Europa e jogará na sua cidade natal, contratado pelo Royal Antuérpia

Alderweireld passou a última temporada no Al-Duhail e jogará pela primeira vez na Bélgica, às vésperas da Copa do Mundo

Toby Alderweireld escreveu seu nome entre os principais zagueiros da Bélgica nas últimas décadas. O defensor se manteve como um dos pilares da seleção, assim como fez uma carreira interessante nas grandes ligas da Europa. Teve ótimos momentos principalmente com o Ajax e o Tottenham. A trajetória em alto nível do veterano de 33 anos havia ficado para trás em 2021, quando decidiu aceitar uma proposta do Al-Duhail. Depois de uma temporada no Campeonato Catariano, o beque esta de volta ao futebol europeu, e para atuar profissionalmente pela primeira vez em seu país. Alderweireld é reforço do Royal Antuérpia, principal clube de sua cidade natal, em assinatura por três temporadas.

O Royal Antuérpia está entre os clubes de maior investimento do Campeonato Belga nos últimos anos. Os Vermelhos passaram 13 anos longe da elite, até o retorno em 2017. Desde então, passaram a fazer boas campanhas na liga e a figurar nas competições continentais. Para tanto, contam com o dinheiro de Paul Gheysens, proprietário da agremiação desde o acesso. Fundador de uma das maiores companhias de construção civil do país, o magnata tentou comprar outros clubes e também tem projetos relacionados à construção de estádios. Ainda assim, o Antuérpia é seu carro-chefe.

Durante os últimos cinco anos, o Royal Antuérpia se acostumou a apostar em medalhões no mercado de transferências. Nomes como Dieumerci Mbokani, Kevin Mirallas, Steven Defour, Lior Refaelov e Ritchie de Laet chegaram ao clube. E os ares midiáticos ao redor dos Vermelhos se tornaram maiores na temporada passada, quando Radja Nainggolan veio para ser a grande estrela. Esportivamente a equipe ficou devendo, com a quarta colocação no Campeonato Belga e a queda na fase de grupos da Liga Europa. Novos reforços chegam agora, visando uma melhora na liga e uma trajetória mais longa na Conference.

Por enquanto, o Royal Antuérpia mescla a contratação de jovens e veteranos. A lista de novatos inclui o meia Christopher Scott, trazido do time B do Bayern, e o ponta Anthony Valencia, contratado do Independiente del Valle. Já entre os medalhões, Alderweireld terá a companhia de Vincent Janssen, seu antigo colega no Tottenham. O centroavante de 28 anos estava no Monterrey. Outra novidade está no banco de reservas, com a aposta em Mark van Bommel como novo treinador. O diretor técnico, por sua vez, é Marc Overmars – contratado após sua demissão no Ajax por assédio sexual, em decisão que fez o Antuérpia perder quatro patrocinadores desde então. Dentro de campo, apesar de mudanças recentes, Nainggolan permanece como referência.

Sobre Alderweireld, há dúvidas quanto ao desempenho físico do zagueiro. Talento nunca faltou ao defensor. Levado pelo Ajax quando tinha apenas 15 anos, o beque se profissionalizou na Eredivisie e disputou quatro temporadas como titular dos Godenzonen. Saiu como uma jovem promessa rumo ao Atlético de Madrid, mas não se firmou. Foi quando começou a reescrever sua história na Premier League, inicialmente contratado pelo Southampton. Uma temporada bastou para se colocar entre os melhores de sua posição e arranjar com contrato com o Tottenham, comprado por €16 milhões.

Em Londres, Alderweireld completou 235 partidas pelo Tottenham. Manteve-se como titular absoluto em quatro das seis temporadas em que esteve no clube, apenas limitado por algumas lesões. Chegou a ser eleito como o melhor jogador do clube em 2015/16 e também para o time ideal da Premier League, exaltado pela célebre parceria ao lado do compatriota Jan Vertonghen. Porém, em seu último ano, o belga passou a frequentar mais o banco de reservas e deixava clara sua queda física. Não era mais imprescindível e foi vendido ao Al-Duhail, num negócio avaliado em €13 milhões.

O aspecto financeiro regeu a saída de Alderweireld. Na parte esportiva, ele não fez nada de tão relevante no Catar. Disputou apenas 27 partidas, com a conquista da Copa do Emir e o vice no Campeonato Catariano. Deu para ganhar um bom dinheiro, antes de se despedir do Al-Duhail apenas um ano depois. E o Royal Antuérpia era um destino lógico, pelas ligações umbilicais com a cidade. Os Vermelhos já tinham tentado levar o veterano em 2021 e agora atendem melhor às suas demandas, sem mais a competição da fortuna catariana.

O Campeonato Belga oferecerá um nível mais baixo para Alderweireld se provar. Além disso, ele terá um ambiente favorável em sua cidade e em seu país. Poder marcar seu nome num clube de bastante tradição e de muita ambição. Além do mais, a sequência na liga nacional pode ser importante para chegar bem à Copa do Mundo de 2022. O veterano continua como titular da seleção belga e os próximos seis meses serão cruciais em suas condições no Mundial. Estará em casa durante a preparação.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo