Estados Unidos

Red Bull começa a ganhar asas

Cotado no início da temporada como um dos favoritos para ficar com uma das vagas dos playoffs pela Conferência Leste, o Red Bull vinha sendo uma grande decepção para seus torcedores.

Mesmo com estrelas como Claudio Reyna e Juan Pablo Angel, o time amargava as últimas colocações do Leste e ultimamente vinha “brigando” com o KC Wizards pela lanterna da conferência.

Só que a sorte da equipe começou a mudar nas últimas semanas. Como se tivesse tomado uma injeção do famoso energético na veia, o Red Bull mostrou que agosto não é o mês do desgosto. E, curiosamente, a reação começou depois da goleada sofrida no amistoso jogado contra o Barcelona no início do mês (2×6) e a aposentadoria de seu capitão, Claudio Reyna (que já não vinha jogando muito por culpa de seguidas contusões).

Vindo de 6 jogos sem vitórias antes do amistoso contra o Barça, com 3 derrotas e 3 empates, o primeiro jogo pela liga no mês de agosto para os ‘Touros Vermelhos’ foi contra o rival D.C. United (o famoso ‘Atlantic Classic’). E a equipe de Nova York acabou com o jejum com uma goleada sobre os rivais por 4×1.

Na semana seguinte, foi a vez do Toronto FC ser a vítima da fúria dos touros, levando de 2×0. O Toronto até vem fazendo uma boa campanha este ano e chegou a freqüentar o lado de cima da tabela, mas não conseguiu se manter por muito tempo, e essa derrota fez as equipes trocarem de posição, passando o Toronto a ficar atrás do New York.

Nesta semana, a bola da vez foi o bicampeão Houston Dynamo, que perdeu por 3×0. O Dynamo, além de ser o atual líder da Conferência Oeste, vinha de uma vitória por goleada contra o Chivas USA na quarta-feira por 4×0 (essa semana foi rodada dupla para as equipes que participaram da Superliga 2008). Mas o Red Bull não tomou conhecimento e mais uma vez se impôs.

Com as três vitórias seguidas, o NY deixou definitivamente para trás as últimas posições da tabela e começa a brigar seriamente por uma das vagas para os playoffs. A equipe, que terminou julho com 22 pontos, agora já soma 31 e está empatada com o D.C. United na quarta posição, a 4 pontos do Chicago e a 6 dos líderes New England e Columbus. Seus ex-companheiros de rabeira, Toronto e Kansas City, ficaram com 26 pontos e, por enquanto, não são uma ameaça.

O desafio de mostrar que essa ascensão é realmente para valer virá a partir de agora. As 3 vitórias seguidas foram obtidas jogando em casa, no Giants Stadium. Mas o próximo jogo será novamente o ‘Atlantic Classic’ contra o United, agora em Washington, e depois será o Chicago Fire no Toyota Park.

Se conseguir somar pontos nas próximas duas partidas, aí sim o Red Bull virará candidato sério a uma das vagas aos playoffs, pois conseguirá tirar pontos de seus rivais diretos. E, se isso acontecer, poderá fazer jus ao apelido que seus torcedores já estão começando a usar para chamar o time: ‘Red-Hot Bulls’.

Caindo pelas tabelas

Se o Red Bull, um dos times mais estrelados do Leste, mostra sinais de recuperação, o mesmo não acontece com o time mais estrelado do Oeste. O LA Galaxy, time que mais investiu na MLS, começou bem a temporada e chegou a liderar a Conferência Oeste, mas já faz muito tempo que a equipe não vence.

Nesta última semana, o algoz foi o Chicago Fire. Mesmo jogando em casa, no Home Depot Center, e com a estréia de Bruce Arena no comando, o Galaxy perdeu por 1×0. E não se pode usar como desculpa que estava sem suas principais estrelas – Donovan e Lewis estão com a seleção dos EUA e Beckham está com a seleção inglesa -, pois o Fire também estava sem alguns de seus principais jogadores, como Blanco (que voltou a defender a seleção do México), Pappa (Guatemala) e Segares (Costa Rica). Além da estréia de Arena como técnico do Galaxy, o jogo marcou também a reestréia de Brian McBride no ataque do Fire.

Foi o nono jogo seguido sem vitória do Galaxy, que venceu pela última vez em junho. Foram 5 derrotas e 4 empates nesse período de seca, que custaram os empregos de Alexi Lalas como presidente do clube e Ruud Gullit como técnico, além do time ter despencado para a penúltima colocação da Conferência Oeste. O Galaxy agora soma 24 pontos, empatado com Colorado Rapids e Chivas USA, apenas 2 à frente do lanterna San Jose Earthquakes e longínquos 8 pontos atrás do líder Houston Dynamo.

Parece que Arena, junto com Donovan e Beckham, quando estes voltarem, terão muito trabalho para reerguer o milionário time e não repetir a humilhação do ano passado, quando não conseguiram se classificar para os playoffs. Neste ano não haverá perdão.

The Chaaaaampiooons…

Começou nesta última terça-feira (26/08) a primeira edição da Champions League da CONCACAF. O torneio, criado este ano para substituir a CONCACAF Champions’ Cup (torneio realizado de 1962 a 2008), é o que definirá o melhor time das Américas do Norte e Central e do Caribe e terminará apenas em abril de 2009.

São 24 clubes que lutam para ser o número 1 da CONCACAF e representar a confederação no torneio mundial interclubes da FIFA que será realizado em Dubai no final do ano que vem.

Nos moldes da Champions League da UEFA, existe uma fase preliminar onde algumas equipes disputam o direito de entrar nos grupos. Assim, das 24 equipes, teremos apenas 16 divididas igualmente em 4 grupos para o início da primeira fase.

Dessa forma, dos 4 representantes da MLS, 2 estão disputando essa fase preliminar. D.C. United e Houston Dynamo já estão classificados nos grupos A e B como campeão do Supporters’ Shield e da MLS Cup, respectivamente, e não precisarão jogar a fase preliminar. Já o NE Revolution e o Chivas USA estrearam ontem na Champions e não foram bem.

Os Revs jogaram contra o campeão de Trinidad & Tobago, Joe Public FC, no Marvin Lee Stadium, em Tunapuna (Trinidad), e foram surpreendidos pelos donos da casa e perderam por 2×1.

Já para o Chivas USA a estréia foi pior. A equipe de Los Angeles jogou contra o Tauro FC, vice-campeão panamenho, também fora de casa, e perdeu por 2×0.

Agora, caberá a essas equipes da MLS salvarem a honra no jogo de volta na semana que vem em Boston e Los Angeles, respectivamente, para não passarem a vergonha de serem eliminadas na fase preliminar por equipes de menor expressão (e poder econômico).

Ao Revolution basta uma vitória simples, pois conseguiu marcar um gol fora de casa. Já para o Chivas, apenas de 3×0 para cima classificará o time diretamente para a fase de grupos. Se levar um gol precisa necessariamente fazer 3 de diferença, e um 2×0 leva a disputa para os pênaltis.

Copa 2010

Pela primeira rodada da fase semifinal das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2010 da CONCACAF, os Estados Unidos venceram a Guatemala por 1×0 fora de casa, e lideram o grupo A junto com Trinidad & Tobago, que venceu Cuba, também fora de casa, por 3×1.

Pelo Grupo B, também conhecido como o ‘grupo da morte’, o Canadá empatou com a Jamaica, do técnico brasileiro Renê Simões, por 1×1, jogando em casa. Neste grupo o líder é o México, que ganhou de Honduras por 2×1.

A próxima rodada das Eliminatórias da CONCACAF será no dia 06/09. E será uma data histórica para os Estados Unidos. A equipe ianque vai até Cuba jogar contra a seleção local, e será a primeira vez que uma equipe profissional norte-americana jogará uma partida oficial em Cuba desde que Fidel Castro assumiu o poder.

O Canadá, por sua vez, enfrentará Honduras, a lanterna do grupo. O jogo será em Montreal, e o Canadá tem que aproveitar que jogará em casa novamente para somar pontos neste difícil grupo.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo