Estados Unidos

Pode isso, Arnaldo?

Will Hesmer, goleiro do Columbus Crew, foi ao ataque e marcou o gol de empate no jogo contra o Toronto FC no último sábado (vídeo aqui). Hesmer tornou-se o segundo goleiro da história da MLS a marcar, já que Danny Cepero, do New York Red Bulls, alcançou esse fato em 2008 contra o reserva de Hesmer no Columbus, Andy Gruenebaum (vídeo aqui). Só que essa conta é a oficial e é rondada por uma pequena controvérsia.

Em 2003, a MLS ainda tinha a regra da prorrogação de 10 minutos com morte súbita para decidir os jogos que acabavam empatados depois dos 90 minutos regulamentares. Além disso, os times tinham direito a quatro substituições: As três normais, como previa a regra internacional, e mais uma que só poderia ser usada para alteração de goleiro.

No dia 5 de julho de 2003, o antigo New York Metrostars enfrentava o DC United em Washington e estava reduzido a 10 homens desde os 35 minutos do primeiro tempo, quando Kenny Arena, filho de Bruce Arena, foi expulso. Tim Howard, que era o goleiro do NY, segurou o time no jogo com um empate por 2 a 2 e jogo foi para a prorrogação.

Foi aí onde entrou o que podemos chamar de genialidade por parte de Bob Bradley, atual técnico da seleção americana e técnico do NY naquele ano. Bradley já havia feito as três substituições e aproveitou uma brecha que a regra permitia. O técnico colocou Tim Howard na linha, deixou o defensor Mark Lisi no gol e aí colocou Eddie Gaven, novato de 16 anos, no lugar de Lisi. Howard para a linha vestindo uma camiseta sem número por cima da camiseta de goleiro e nem tirou as luvas, enquanto Gaven entrou vestindo uma camiseta de treino e luvas nas mãos.

Mas o artifício de Bradley só funcionaria se o Metrostars conseguisse botar a bola para fora rápido, já que não seria boa coisa deixar um ataque chegar até o jovem de 16 anos. Logo aos 10 segundos, um jogador do Metrostars jogou a bola pra fora. Ao mesmo tempo que isso aconteceu, Howard tirou sua camiseta de jogador de linha e entregou para Gaven, que tirou as luvas e foi buscar a sua respectiva camiseta.

Com quase oito minutos da prorrogação, escanteio para o DC United e Tim Howard fez uma defesa incrível. No contra-ataque resultante da defesa de Howard, Amado Guevara lançou o “goleiro” Eddie Gaven, que ganhou do defensor Ryan Nelson e marcou na saída de Nick Rimando. Em seu terceiro jogo na liga, Gaven passou a ser o segundo jogador mais novo a marcar na história da MLS (16 anos e 232 dias).

Não dá pra chamar de trapaça porque era brecha do regulamento. Então o que dá para afirmar é que além da inteligência de Bradley, o Metrostars contou com a sorte, um Tim Howard inspirado e um “goleiro” jovem bastante calmo.

Para quem quiser assistir o acontecido, é só clicar aqui.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo