ConcacafEstados UnidosMLS

O pior time da MLS em 2014 pode ser campeão da Concachampions

Os mexicanos têm dominado a Liga dos Campeões da Concacaf, a famosa Concachampions, por nove anos. Desde 2006, o campeão do principal torneio continental da América do Norte e Central é mexicano. Nesse meio tempo, só uma vez um time da MLS chegou à final, o Real Salt Lake, na temporada 2010/11, mas acabou derrotado pelo Monterrey, que emplacaria um tricampeonato continental a partir dali. Desta vez, um time da MLS pode levantar a taça. Mas, curiosamente, não é americano.

LEIA TAMBÉM: Quem disse que na MLS só tem grosso? Olha esse lance de freestyle de Asprilla

O Montreal Impact conseguiu a classificação depois de uma semifinal vencida com muito suor e muita emoção – leia-se: por um fio. O time venceu por 2 a 0 em casa e podia até perder por um gol na Costa Rica, para a Alajuelense, para se classificar. O problema é que os costarriquenhos fizeram todo o possível para avançar. E isso tornou o jogo uma loucura.

Jogando no estádio Alejandro Morera Soto, em Alajuela, o Montreal Impact precisava garantir a vantagem. Conseguiu até ampliar o placar agregado para 3 a 0 depois que Jack McInerney marcou para o time canadense aos 42 minutos do primeiro tempo. Só que o segundo tempo teve uma Alajuelense jogando com toda a sua alma.  Logo a um minuto, Pablo Antonio Gabas empatou. Aos 15, Gabas marcou o segundo e virou o jogo. Era pouco. Era preciso mais dois gols. Quem marcou, porém, foi Andrés Romero, para o Montreal Impact, o que tornou a tarefa da Alajuelense quase impossível.

Mas o quase gosta de testar o futebol. Aos 34 minutos, Allen Guevara marcou e fez 3 a 2 para a Alajuelense. Faltavam dois gols. Àquela altura, estava complicado. O quarto gol costarriquenho saiu, com Jonathan McDonald, aos 48 minutos. Era tarde. O Montreal Impact comemorou o apito final e a classificação à final, pela primeira vez na sua história.

A missão na final pode ter duas caras. Nesta quarta-feira, o América, um grandes e o mais popular do México, disputando com o Chivas Guadalajara, receberá o Herediano, outro time da Costa Rica. No jogo de ida, os costarriquenhos conseguiram uma surpreendente vitória por 3 a 0, conquistando uma enorme vantagem. O América é grande, é forte e o maior campeão da história da Concachampions, com cinco troféus, ao lado do Cruz Azul. Só que a última vez que o América levantou a taça foi em 2006, justamente quando começou o domínio mexicano.

Se passar o Heridiano, como o placar sugere, a final será não só inédita, mas entre dois times que jamais venceram o torneio. Mais do que isso, poderá ser a primeira vez que um canadense leva a taça. Os americanos já foram campeões duas vezes, com o DC United em 1998 e com o Los Angeles Galaxy em 2000, mas depois disso, nunca mais conseguiram o título. São 14 anos de jejum de um time da MLS. E quem pode quebrar é justamente o pior time da temporada regular em 2014.

O Montreal Impact foi o último colocado na Conferência Leste, terminando em 10º lugar, com 28 pontos em 43 jogos. Foram 38 gols marcados e 58 sofridos. O time se classificou por ser o campeão do Campeonato Canadense, em 2014. O competição reúne o Ottawa Fury e o Redmonton, da NASL, Montreal Impact, Vancouver Whitecaps e Toronto, os três da MLS. O Montreal venceu o Toronto na final.

Agora, o time busca a glória de um título continental que, dá para dizer, será inesperado se vier. Mas sonhar é possível e ter um time da MLS no Mundial de Clubes pode causar um certo impacto no torneio, além de chamar a atenção do público americano para a disputa do título mundial, pela primeira vez com um representante da MLS.

Em toda a fase final, o Montreal Impact decidiu jogar no estádio Olímpico de Montreal, que tem capacidade para mais de 60 mil pessoas. Será um momento importante para o futebol da MLS. Com o fortalecimento e crescimento da liga, este pode ser o próximo passo para disputar com os mexicanos.

Veja os melhores momentos de Alajuelense 4×2 Montreal Impact, que classificou o time canadense pelos gols fora de casa:

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo