Estados Unidos

O Inter Miami nem precisou do melhor Messi para golear e avançar às semis

Messi é o protagonista do Inter Miami na Leagues Cup, mas a goleada sobre o Charlotte mostra a força do conjunto e dos companheiros que aproveitam os espaços

O Estádio Lockhart, em Fort Lauderdale, se tornou um pedacinho da Argentina nas últimas semanas. A casa do Inter Miami anda preenchida por camisas da seleção argentina e até cânticos da Albiceleste ecoam nas arquibancadas. Nesta sexta-feira, Lionel Scaloni esteve presente nas tribunas. E a transformação do clube da Flórida a partir da chegada de Lionel Messi teve mais um capítulo. Foi a atuação mais apagada do camisa 10 desde sua chegada, auxiliando mais na construção e com um gol só no final. Porém, foi uma das vitórias mais contundentes do Inter Miami na Leagues Cup. O Charlotte perseguiu o craque, mas não conteve seus companheiros. A vitória por 4 a 0 leva os flamingos para as semifinais do torneio.

Messi se isola na artilharia da Leagues Cup, com oito gols. Balançou as redes em todas as partidas desde que chegou ao Inter Miami. Começou com o golaço de falta contra o Cruz Azul. Depois garantiu dois contra o Atlanta United, dois contra o Orlando City e dois no épico diante do Dallas. Por fim, o Charlotte se torna a vítima. Nem precisou ser a versão mais acesa do camisa 10.

O Inter Miami cada vez mais ganha uma nova cara. A defesa possuía três jogadores de Copa do Mundo: DeAndre Yedlin, Kamal Miller e Jordi Alba. No meio, Sergio Busquets tinha a companhia de Dixon Arroyo e Benjamin Cremaschi. Já os fiéis escudeiros de Messi na frente eram Robert Taylor e Josef Martínez. O Charlotte, por sua vez, também reunia alguns nomes mais conhecidos como Karol Swiderski, Scott Arfield e Harrison Afful.

Primeiro tempo muito fácil

O Inter Miami começou a partida como se quisesse garantir o resultado rapidamente. Messi recuava para trabalhar com Busquets no meio-campo e acelerava os passes. Invariavelmente as jogadas fluíam pela esquerda, onde Jordi Alba se mandava no apoio. Nessa pressão, o Inter Miami abafou o Charlotte e teve um lance no qual reclamou de dois pênaltis. O primeiro deles não foi marcado, por toque de mão, mas a falta sobre Dixon Arroyo se tornou clara dentro da área. Josef Martínez cobrou e abriu o placar aos 12 minutos.

Depois disso, o Charlotte encaixou sua marcação. Conseguiu bloquear melhor Messi e Busquets. Entretanto, a equipe não conseguia incomodar o Inter Miami quando passou a ter mais posse de bola. Os anfitriões se defendiam com competência ao redor da área. O Charlotte se limitava a cruzamentos. Messi andava silencioso, mas os companheiros aproveitaram os espaços. Aos 30, o Inter Miami voltou a pressionar. Anotou o segundo gol sem demora, num lance bem pensado. DeAndre Yedlin rolou e Robert Taylor fuzilou. Ficava mais fácil para o time da Flórida controlar a situação.

Charlotte insuficiente

O Charlotte retornou com duas mudanças para o segundo tempo e enfim teria uma finalização, em chute de Harrison Afful para fora. Entretanto, o time se expunha mais às suas costas. Sobrava campo para o Inter Miami acelerar nos contra-ataques, e Messi tentou suas arrancadas. A partida era mais equilibrada na etapa complementar. O Charlotte arriscava um pouco mais e conseguia travar o Inter Miami no mano a mano. Faltavam jogadas mais contundentes, sem tanto trabalho ao goleiro Drake Callender.

Messi fazia uma partida de espasmos. Não tinha a mesma liberdade de outras ocasiões. Num ótimo lance aos 24, o craque acabou travado dentro da área. Depois, num bom momento do Charlotte, Patrick Agyemang perdeu uma chance claríssima de descontar, ao furar a cabeçada na pequena área. E o erro custou caro, com o terceiro gol do Inter Miami no minuto seguinte, aos 33. Num contragolpe construído por Messi, Diego Gómez cruzou e Adilson Malanda marcou contra.

Messi deixa o seu

Com o jogo resolvido, o Inter Miami resolveu gastar a bola. Messi deu um passe por elevação que quase rendeu o gol de voleio de Leonardo Campana, mas o chute não saiu com força. Aos 42, então, Campana teve o gosto de servir o gol de Messi na noite Num contra-ataque em que a defesa do Charlotte se enroscou com a bola, o centroavante deu um passe cirúrgico e Messi só precisou encher o pé na bola. Quem foi às arquibancadas para vê-lo sairia satisfeito. O craque era ovacionado, enquanto desta vez imitou Homem-Aranha na comemoração.

De pior time da MLS, o Inter Miami se confirma cada vez mais como candidato ao título na Leagues Cup. A influência de Tata Martino é clara na formação do time, enquanto Messi é o protagonista ao lado de um conjunto reforçado e com outros bons valores. A próxima partida acontece na terça-feira, contra o Philadelphia Union. Na outra chave, o Nashville aguarda Los Angeles FC ou Monterrey.

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo