Estados Unidos

O campeão voltou?

Demorou um pouco para o campeão da MLS Cup e do Supporters’ Shield de 2008 engrenar na temporada 2009. Talvez a ressaca tenha sido um pouco mais longa do que o esperado. Mas parece que o campeão voltou.

O Columbus Crew, ganhador de tudo na temporada 2008, começou devagar na Major League este ano. A primeira vitória veio somente no oitavo jogo (3×2 contra o KC Wizards, em 09/05). Até então, o Crew tinha apenas 5 pontos ganhos (com 5 empates e 2 derrotas) e frequentava as últimas posições da Conferência Leste.

Porém, a reação não foi imediata. Mesmo com a primeira vitória ainda vieram outros empates e outras derrotas. Mas desde o dia 27/06, quando venceu o NY Red Bull por 1×0, o Crew não perdeu mais. Já são 8 partidas invictas (incluindo essa vitória contra o Red Bull), com 6 vitórias e 2 empates.

E desde então o Crew passou a subir na tabela da Conferência Leste, chegando à primeira colocação, com 39 pontos, tornando-se também o melhor time da MLS junto com o Houston Dynamo.

A subida de produção do Crew, não coincidentemente, aconteceu junto com a melhora de seu principal jogador, o veterano atacante argentino Guillermo Barros Schelotto, MVP da MLS em 2008.

Schelotto desandou a marcar gols e dar assistências que contribuíram de maneira fundamental para o crescimento do Crew. Schelotto marcou no total 10 gols, e durante um bom tempo foi o artilheiro isolado da MLS. Além disso, foi responsável por 17 assistências, sendo que até a metade do campeonato Schelotto tinha participado de 68% dos gols marcados pelo Crew.

No entanto, um time verdadeiramente campeão não se faz com apenas um jogador. E essa escrita o Crew também vem provando ser verdadeira. Schelotto, seu principal destaque, não marca gols desde o jogo contra o Chivas USA em 14/06, antes do início da série invicta de sua equipe. Essa “seca” de gols de seu principal atacante deve-se principalmente a uma lesão na coxa, que o tirou dos cinco últimos jogos (na verdade no último jogo Schelotto entrou aos 46 do segundo tempo).

Mesmo assim, o Crew não parou de fazer gols e vencer. Nos 9 jogos que Schelotto ficou sem marcar gol, a equipe marcou 17, sendo 12 nas últimas 5 vitórias. Jason Grey, com 3 gols, e Steven Lenhart, com 2, são os artilheiros dessa fase com Schelotto de fora. Robbie Rogers, Adam Moffat e Alejandro Moreno também marcaram seus gols para ajudar a equipe a subir à liderança do Leste.

E não é apenas o ataque que se destaca na equipe amarela de Columbus. Um time campeão tem que ser completo, e a defesa do Crew tem contribuído bastante para manter a invencibilidade. O time não toma gols há três partidas, e a média de gols tomados já está melhor do que o ano passado, quando ganhou a liga.

O último jogo do Crew foi neste último sábado (15/08) contra o FC Dallas. O Dallas tinha sido a última equipe que havia conseguido derrotar o Crew (2×1 em 20/06). Além disso, a equipe texana tinha chegado animada ao confronto, após duas vitórias seguidas, sendo uma goleada sobre o KC Wizards (6×0) e uma vitória sobre a melhor equipe da MLS até agora e seu rival estadual, o Houston Dynamo (1×0). No entanto, prevaleceu o mais forte, e o Crew, ainda sem Schelotto (que, conforme dissemos acima entrou apenas aos 46 do segundo tempo), venceu por 2×0, ampliando ainda mais sua liderança.

A cada rodada que passa, o Crew será mais visado pelos rivais, que farão de tudo para impedir o bi da equipe amarela. Para isso, precisará demonstrar sua força de campeão. E agora, com a volta de Schelotto, o Crew estará ainda mais forte, com aumento do seu poder de fogo.

Subidas e descidas no Oeste

Enquanto no Leste o Crew não para de subir, no Oeste duas das equipes que foram a sensação na primeira metade da temporada passam por um momento de irregularidade em seu rendimento. Chivas USA e Seattle Sounders, que dividiam a ponta da tabela com o Houston Dynamo, agora alternam bons e maus momentos e, à mesma medida que ainda disputam a primeira colocação do Oeste, também correm o risco de ficar fora dos playoffs.

O Seattle é a grande surpresa deste ano. Equipe mais nova da competição (estreou este ano, vindo da USL), contratou bons jogadores e começou ganhando seus jogos, demonstrando força logo na chegada. Obviamente, não conseguiu manter o ritmo forte do começo e foi logo ultrapassado pelo Chivas e depois pelo Houston, mas estava confortavelmente em terceiro lugar no Oeste, perto dos líderes e a uma boa distância dos demais.

No entanto, a partir do mês de julho o time da terra da chuva passou a ter atuações inconstantes. O Sounders venceu três jogos, empatou um e perdeu outros dois (sem contar as duas derrotas nos jogos amistosos contra Chelsea e Barcelona). Estes resultados e a combinação de resultados de seus adversários (principalmente LA Galaxy e Colorado Rapids) fizeram com que o Seattle, em algumas rodadas caísse para a quarta posição e em outras voltasse para o segundo lugar.

Foi o que aconteceu com a vitória sobre seu rival direto, o LA Galaxy, neste último sábado (15/08), por 2×0. Ao bater um rival direto do Oeste, o Sounders pulou do quarto para o segundo lugar com 32 pontos, à frente do próprio Galaxy (31), do Rapids (30) – que não jogou nesta rodada – e do Chivas (30).

Por falar em Chivas, a equipe mais mexicana da MLS chegou a ser, disparada, a melhor equipe do campeonato por um bom tempo. Muito à frente dos seus rivais do Oeste. No entanto, alguns resultados adversos deixaram o Houston se aproximar e tomar a liderança, mas o Chivas sempre acompanhava a equipe laranja do Texas de perto, tendo o Seattle na sua cola.

Porém, uma série de resultados negativos fez o Chivas despencar na tabela. Até esta última rodada, juntando os últimos 9 jogos (incluindo MLS, U.S. Open Cup e SuperLiga), o Chivas não teve uma vitória sequer, e perdeu 8. Se contar apenas os jogos pela Major League, foram 5 derrotas nesse período. A última vitória do Chivas foi justamente contra o Sounders, no dia 06/06. Porém, nesta última rodada o Chivas voltou a fazer as pazes com a vitória ao bater o NY Red Bull, o pior time deste ano, por 2×0.

Mesmo assim, essa vitória pouco alterou a situação do Chivas na tabela. A equipe, antes uma das favoritas para chegar nos playoffs pelo Oeste, permanece no quinto lugar com 30 pontos, 9 atrás do líder Dynamo.

Ainda há tempo para que Sounders e Chivas se ajustem novamente. Inclusive a classificação para os playoffs é bastante possível, porque seus rivais do Leste não tem uma pontuação tão expressiva. Mas essa irregularidade no rendimento na reta final do campeonato pode comprometer o que seriam anos históricos para o caçula e para o time mais mexicano na liga.

Concachampions

Já terminou a fase qualificatória da segunda edição da CONCACAF Champions League, principal competição de clubes da região que desde o ano passado adotou formato semelhante à Champions League da UEFA. Assim, já estão definidos os 16 participantes da edição 2009/2010 do torneio.

Os times da MLS que participaram da fase qualificatória foram D.C. United, NY Red Bull e Toronto FC (este último como representante do Canadá). Destes, apenas o United conseguiu avançar para a fase de grupos (bateu o C.D. Luís Angel Firpo, de El Salvador, nos pênaltis). Red Bull (que tem tido um ano de 2009 para esquecer) e Toronto perderam para W Connection FC (Trinidad & Tobago) e Puerto Rico Islanders, respectivamente, e ficaram de fora.

Assim, o United se junta a Columbus Crew e Houston Dynamo na luta pelo título de clubes mais importante do continente, e para ser o representante da CONCACAF no Mundial Interclubes da FIFA em dezembro de 2010.

O United caiu no Grupo B, junto com CD Marathón (HON), CD Toluca (MEX) e San Juan Jabloteh (T&T). O Crew está no Grupo C, que conta com CD SC Cruz Azul (MEX), Puerto Rico Islanders e Deportivo Saprissa (CRC). Finalmente, o Dynamo está no Grupo A, com AD Isidro Metapán (ELS), Deportivo Árabe Unido (PAN) e Pachuca CF (MEX).

Os jogos da fase de grupo começam nesta terça-feira (18/08) para o Crew, que enfrenta o PR Islanders em casa, e para o United, que enfrenta o CD Marathón fora de casa. No dia seguinte é a vez da estreia do Dynamo, que joga em casa contra o AD Isidro Metapán.

México de novo

Estados Unidos e México se enfrentaram pela primeira vez após a final da Copa Ouro da CONCACAF, dessa vez pelas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2010. E mais uma vez deu México.

O confronto foi no México, onde nem sempre os americanos se dão bem. Em território norte-americano, até a final da CONCACAF neste ano, os EUA eram imbatíveis contra o México.

Em virtude da derrota por goleada em seu território em julho, este jogo pelas eliminatórias passou a significar um pouco mais para a seleção ianque.

Se na final da Copa Ouro os EUA estavam sem sua seleção principal, para este jogo Bob Bradley não abriu mão de contar com seus principais jogadores. E os Estados Unidos começaram na frente, com um gol de Charlie Davies logo aos 9 minutos de jogo. Foi a primeira vez que os EUA marcaram o primeiro gol em uma partida no Estádio Azteca contra o México, e foi apenas o quarto gol dos EUA neste estádio em sua história.

Porém, 10 minutos depois o México chegou ao empate, com Israel Castro. E o jogo seguiu equilibrado até o final, quando Miguel Sabah marcou o gol da virada da seleção mexicana aos 37 do segundo tempo, sacramentando a vitória da seleção da casa.

A derrota dos EUA embolou a classificação das eliminatórias. A Costa Rica continua sendo a líder, com 12 pontos. Em segundo lugar agora vêm Honduras e Estados Unidos, com 10 pontos cada. E logo atrás o México encostou, com 9 pontos.

A próxima rodada será no dia 05/09. Os Estados Unidos receberão El Salvador no Rio Tinto Stadium, em Utah. O México vai visitar a líder Costa Rica e Honduras recebe Trinidad & Tobago.

WPS playoffs

Chegamos à fase final do primeiro campeonato da WPS. Terminada a temporada regular, quatro equipes se classificaram para os playoffs, que na WPS tem um formato peculiar.

As quatro classificadas são, pela ordem, Los Angeles Sol, St. Louis Athletica, Washington Freedom e Sky Blue FC. Boston Breakers, Chicago Red Stars e FC Gold Pride ficaram de fora.

Pelas regras da WPS, o primeiro jogo foi entre Freedom e Sky Blue, em Washington. Na partida realizada no último sábado (15/08), o Sky Blue venceu o Freedom por 2×1 e avançou à semifinal. O gol da vitória do Sky Blue foi marcado pela brasileira Francielle aos 39 minutos do segundo tempo.

A semifinal será jogada em St. Louis, nesta quarta-feira (19/08), entre o Athletica e o Sky Blue. A equipe vencedora deste jogo enfrentará o Sol na grande final, no próximo sábado (22/08), no Home Depot Center, em Los Angeles.

Estrelas femininas

Como todo esporte profissional nos Estados Unidos, seja no meio ou no final da temporada, tem que ser jogada uma partida com as estrelas. E na WPS não seria diferente. O jogo das estrelas será após o final do campeonato, no dia 30/08, no Anheuser-Busch Soccer Park (estádio do Athletica, onde será disputada a semifinal da WPS), contra o Umea IK, campeão da Suécia e ex-time de Marta.
Confira as 11 jogadoras escolhidas pelos torcedores, mídia, técnicos e dirigentes para representar a WPS (as cinco jogadoras indicadas com um * na verdade foram as segundas mais votadas para as respectivas posições, mas entram em substituição às jogadoras que não poderão participar do jogo em virtude do Campeonato Europeu):

Karina LeBlanc (goleira – Los Angeles Sol)
Tina Ellertson (defensora – St. Louis Athletica)
Amy LePeilbet (defensora – Boston Breakers)
Christie Rampone (defensora – Sky Blue)*
Formiga (meio-campista – FC Gold Pride)*
Aya Miyama (meio-campista – Los Angeles Sol)*
Shannon Boxx (meio-campista – Los Angeles Sol)
Lori Chalupny (meio-campista – St. Louis Athletica)
Megan Rapinoe (meio-campista – Chicago Red Stars)*
Cristiane (atacante – Chicago Red Stars)*
Marta (atacante – Los Angeles Sol)

A Rainha Marta foi a jogadora que mais recebeu votos, somando todos os votos dados por torcedores, técnicos, mídia e dirigentes.

Além das 11 jogadoras acima, a comissária da WPS, Tonya Antonucci, e o técnico das estrelas Abner Rogers, escolheram mais 7 jogadoras para completar o elenco:

Brittany Klein (meio-campista – Chicago Red Stars)
Kristine Lilly (atacante – Boston Breakers)
Heather O’Reilly (meio-campista – Sky Blue FC)
Christine Sinclair (atacante – FC Gold Pride)
Hope Solo (goleira – St. Louis Athletica)
Abby Wambach (atacante – Washington Freedom)
Cat Whitehill (defensora – Washington Freedom)

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo