Estados Unidos

Hegemonia mantida na US Open Cup

O D.C. United manteve a escrita e conquistou mais um título da Lamar Hunt U.S. Open Cup para a MLS. Em um jogo bastante disputado, contra uma equipe disposta a quebrar a hegemonia dos clubes da MLS na competição, o United conquistou sua segunda U.S. Open Cup na história e a 12ª da MLS, em 13 anos competindo. O único time a conseguir quebrar a seqüência de sucessos da MLS foi o Rochester Rhinos, em 1999.

E foi uma final brasileira. Jogada na última quarta-feira (03/09), no RFK Stadium, em Washington, o time da casa fez prevalecer sua vantagem, em um jogo equilibrado contra uma equipe considerada zebra, mas que vinha numa seqüência de bons resultados que faziam seus torcedores acreditarem que poderiam ter um final feliz. Mas o United bateu o Charleston Battery, da USL-1, por 2×1, com gols dos brasileiros Luciano Emilio e Fred.

Os gols brasileiros do título foram marcados no começo de cada tempo. Logo aos 4 minutos de jogo, com os torcedores ainda procurando seus assentos (marcados, obviamente) no estádio, o artilheiro do time, Luciano Emilio, que era dúvida em virtude de uma contusão, deixou sua marca. E a contusão logo incomodou e Emilio foi substituído 3 minutos depois do gol, antes ainda do empate do Battery, aos 10 minutos.

No segundo tempo, logo aos 5 minutos, foi a vez de Fred deixar sua marca e dar números finais à partida. O United ainda segurou a pressão do Battery, que chegou a marcar um gol nos acréscimos do segundo tempo, devidamente invalidado pelo árbitro.

Depois, foi só festa para a torcida rubro-negra do United, que comemorou novamente um título da U.S. Open Cup depois de 12 anos, levando para a sala de troféus o famoso Dewar Cup (troféu dado ao campeão do torneio), mantendo a hegemonia da MLS na competição contra as outras ligas de futebol dos Estados Unidos.

MLS começa com decepção

Se dentro de casa a MLS mantém a hegemonia, não podemos dizer o mesmo fora dos Estados Unidos. Enquanto domina as outras ligas de futebol dos EUA, no exterior, ao contrário até da seleção nacional (masculina), que divide com o México o domínio no continente (a feminina não tem nem concorrência), a MLS ainda está longe de ter sucesso sobre as outras ligas.

Na extinta CONCACAF Champions Cup, torneio que reunia os campeões das federações ligadas à CONCACAF, apenas 2 vezes os times da MLS sagraram-se campeões: em 1998 com o D.C. United e em 2000 com o LA Galaxy. Contando apenas os campeões desde o surgimento da MLS (1996), a Costa Rica conseguiu o mesmo número de títulos e o México ficou com todos os outros, sendo que neste ano novamente os times da MLS perderam nas semifinais (o Pachuca foi o campeão sobre o Saprissa (CRC)).

Neste ano, com a criação da nova CONCACAF Champions League, que substituiu a Champions Cup e tem o mesmo calendário da Champions League da Europa, a história não começou bem para os representantes da MLS.

Chivas USA e NE Revolution classificaram-se para a fase preliminar, ou seja, disputariam um jogo extra para conseguir seus lugares nos respectivos grupos da 1ª fase.

E a tarefa parecia tranqüila. O Chivas enfrentaria o Tauro FC do Panamá e os Revs enfrentariam o Joe Public FC, de Trinidad & Tobago, dois adversários desconhecidos e sem expressão, e que aparentemente não seriam páreo para os ricos times americanos, que ainda por cima decidiam as vagas em casa.

Porém, a suposta tranqüilidade transformou-se em pesadelo para os estadunidenses. O Chivas foi ao Panamá e perdeu por 2×0 o primeiro jogo. No jogo de volta, em Los Angeles, o Chivas não passou de um empate por 1×1 e foi eliminado na fase preliminar, deixando o Tauro com a vaga.

Já para o NE Revolution foi ainda pior. O primeiro jogo até foi equilibrado, com vitória do Joe Public por 2×1. O segundo jogo em Boston, no entanto, foi para esquecer. Jogando de maneira irreconhecível, os Revs foram dominados e levaram uma goleada histórica em casa, por 4×0. Assim, o New England foi eliminado de maneira humilhante, fazendo história de forma negativa. Pela primeira vez uma equipe caribenha vence uma equipe dos Estados Unidos em um jogo válido por competição de clubes da CONCACAF, e pela primeira vez uma equipe caribenha marca mais do que 3 gols em uma equipe americana.

Mas nem tudo está perdido para a MLS na Champions League deste ano. Restam na competição, ainda, Houston Dynamo e D.C. United, que classificaram-se diretamente para a fase de grupos. Caberá às duas equipes tentar salvar a honra da MLS frente aos rivais da CONCACAF.

MLS em casa

Enquanto isso, em casa, tivemos mais uma rodada da temporada regular da MLS. O campeonato deste ano está equilibradíssimo e muitas emoções estão reservadas até o final. Entramos no penúltimo mês da competição e ainda estamos longe de definições de quem irá aos playoffs, pois nenhuma equipe pode ser descartada.

Pela Conferência Leste, o Columbus Crew retomou a liderança que estava há algumas semanas com o Revolution. Com uma importante vitória fora de casa por 2×1 sobre o FC Dallas, o Crew chegou aos 40 pontos, deixando os Revs, que empataram com o Galaxy por 2×2, com 38. As demais posições permanecem as mesmas.

O Chicago Fire, que perdeu de virada por 2×1 para o Dynamo, continua em terceiro, com 35 pontos. Em quarto estão United e NY Red Bull, com 32, que empataram em 0x0 no clássico do Atlântico. Nas duas últimas posições estão Toronto FC e KC Wizards, que perderam na rodada, com 26 pontos cada.

Nos lados do Oeste, o Houston Dynamo continua na liderança, com 35 pontos. Mas o Real Salt Lake também venceu, 2×0 no Colorado Rapids, e segue firme na vice liderança com 30 pontos. O Chivas, que venceu o Toronto por 2×1, subiu para terceiro, com 27 pontos. Com isso, o FC Dallas caiu para quarto lugar, com 26.

Mas a surpresa no Oeste foi a subida do San Jose Earthquakes. Pela primeira vez a equipe californiana deixou a lanterna, e está empatada com o arqui-rival LA Galaxy em quinto lugar, com 25 pontos. O Quakes venceu o Wizards por 2×1, deixando para trás o Colorado Rapids, que agora é o lanterna da MLS, com 24 pontos.

Com a chegada de setembro, muita coisa ainda tem para acontecer na MLS até a chegada dos playoffs.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo