Estados Unidos

Fazendo escolhas

Diferentemente das outras ligas americanas de sucesso, a MLS voltou a funcionar em um esquema de três drafts anuais, com esse número podendo chegar a quatro, caso times novos estejam entrando na liga naquele ano. Como Vancouver Whitecaps e Portland Timbers começam sua história na MLS nessa temporada, tivemos quatro recrutamentos nesse ano. Em ordem de acontecimento, estes são os quatro tipos:

Draft de Expansão: Só ocorre quando há times novos na liga. Cada time já existente na liga protege 11 jogadores de seu elenco e o(s) time(s) novato(s) podem escolher qualquer um dos jogadores desprotegidos (10 para cada um). Cada time pode perder no máximo dois jogadores e pode proteger um da lista de disponíveis, caso um atleta seja selecionado.

Draft de Re-Entrada: Serve para que os jogadores que tenham seu contrato expirado ao final da temporada sejam selecionados por algum outro time que tenha interesse em seus serviços.

Draft: O tradicional que todo fã de liga americana conhece. Neste recrutamento, os times escolhem entre jogadores que acabam de se graduar da faculdade, alguns que ainda não se graduaram, mas recebem ajuda da Adidas e da MLS para terminar o curso, e outros jogadores vindos de ligas menores e até outros países.

Draft Suplementar: Neste recrutamento, os clubes escolhem os jogadores que foram listados para o draft habitual, mas que não foram selecionados por nenhum dos clubes.

Com os tipos de drafts explicados, vamos a um pequeno resumo de como foram os desse ano.

Draft de Expansão

O Portland, que tinha a preferência, usou uma estratégia um pouco fora do casual. Escolheu Robbie Findley e Jonathan Bornstein, dois jogadores que já haviam acertado contratos com clubes estrangeiros antes do draft. Mas isso deve-se a uma razão. Os dois jogadores com calibre de seleção têm seus direitos da MLS presos ao Timbers e se voltarem ao futebol norte-americano, devem jogar na franquia do Oregon. E com a primeira escolha, escolheram Dax McCarty, o melhor jogador disponível nas listas não protegidas, mas trocaram o meia para o DC United logo após o draft. Enfim, uma tática de recrutamento que não deu pra entender.

Enquanto isso, o Vancouver teve uma estratégia menos ofensiva e acabou levando um bom grupo para a Colúmbia Britânica. Atiba Harris, jogador extremamente versátil, e o goleiro Joe Cannon, que será o titular debaixo das metas canadenses.

Draft de Re-Entrada

Com jogadores renomados como Juan Pablo Angel e Guillermo Barros Schelotto na mesa, a primeira fase do draft de re-entrada só viu dois jogadores sendo selecionados. O DC United selecionou Joseph Ngwenya, atacante ex-Houston, e o Columbus Crew recrutou o zagueiro Aaron Hohlbein, que não assinou contrato e foi parar no Fort Lauderdale Strikers, da 2ª divisão americana.

Se apenas dois jogadores foram escolhidos na 1ª fase, a 2ª foi completamente diferente. Juan Pablo Angel foi selecionado pelo Los Angeles Galaxy, para substituir Edson Buddle, que foi jogar na 2ª divisão alemã. Jeff Cunningham, 2º maior goleador da história da liga, voltou ao seu primeiro clube da MLS, o Columbus Crew, onde deve alcançar o recorde de gols na temporada regular, já que só precisa de mais um gol para se igualar a Jaime Moreno, atual detentor da marca. Mais nove jogadores foram escolhidos, inclusive o atacante brasileiro Fred, que foi para o New England Revolution.                                

Draft

No que foi chamado de Akron Draft, já que oito jogadores da universidade campeã da College Cup – campeonato disputado pelas faculdades – em 2010 foram escolhidos (recorde em todos os drafts da história da liga), havia apenas uma dúvida. Quem seria o primeiro jogador recrutado? Segundo os analistas e até o site da MLS, era apenas uma questão de detalhes entre Darlington Nagbe, meia-atacante provindo de Akron, e Perry Kitchen, outro produto de Akron, que atua tanto como zagueiro e como volante. Mas o Vancouver Whitecaps surpreendeu a todos e escolheu o atacante americano Omar Salgado, que saiu das categorias de base do Chivas Guadalajara e assinou com a MLS no final do ano passado. Com isso, Nagbe foi parar em Portland e o DC United comemorou um “roubo”, levando Kitchen com a 3ª escolha geral.

Apesar da sorte do DC United, quem levou a melhor na 1ª rodada do draft foi o Houston Dynamo, que adquiriu outra escolha de 1ª rodada em uma troca. O Dynamo levou o ótimo lateral Kofi Sarkodie, mais um produto de Akron, e o forte atacante Will Bruin, que veio da Universidade de Indiana e foi o segundo melhor jogador do futebol universitário na temporada de 2010.

O irmão de Wayne Rooney, John, foi escolhido pelo New York Red Bulls na 2ª rodada do draft. O meia de 20 anos chegou aos Estados Unidos em agosto do ano passado e passou por avaliações em Seattle e Portland antes de assinar o contrato com a liga, completando o último passo para estar disponível no draft.                                        

Draft Suplementar

Nenhuma surpresa aconteceu neste último. Michael Boxall, defensor neozelandês que disputou as Olimpíadas de Pequim em 2008, foi recrutado pelo Vancouver Whitecaps com a primeira escolha.

Após explicar e falar sobre os drafts da MLS, esta coluna trará a primeira parte do guia da temporada na próxima terça-feira. A temporada começa no dia 15/3, com o jogo entre Seattle Sounders e Los Angeles Galaxy, no Qwest Field, casa do Sounders. 

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo