Estados Unidos

Estrela (de)cadente na MLS

Para quem acompanha a MLS e esta coluna, já está até repetitivo saber que o LA Galaxy é o clube mais milionário e que contém o maior número de craques da liga.

No ano passado, mesmo com a chegada de Beckham em julho, as competições internacionais e de seleções e as contusões desfalcaram muito a equipe, e não houve tempo para um entrosamento apropriado. Mesmo as seguidas vitórias na reta final da competição não foram suficientes para o Galaxy conseguir a classificação aos playoffs.

O revés de 2007, porém, foi perdoado, pois era a primeira vez que as estrelas jogavam juntas e não houve tempo para um entrosamento apropriado. Além disso, a seqüência final na temporada regular deu esperanças de que 2008 ia ser diferente.

Veio a temporada de 2008 e o Galaxy foi obrigado a trocar de técnico. Alegando motivos pessoais, Frank Yallop trocou o LA pelo San Jose, time que já havia comandado e conquistado a MLS Cup em 2003. Para seu lugar, Alexi Lalas, ex-jogador e então presidente do Galaxy, trouxe o ex-craque holandês Ruud Gullit.

E a temporada regular de 2008 começou morna para a equipe californiana. Alternando bons e maus momentos, o Galaxy demorou um pouco para engrenar. Porém, com alguns meses jogados, logo o Galaxy engatou uma série de bons resultados e chegou até à liderança da Conferência Oeste.

No entanto, a partir da metade de junho, velhos problemas voltaram a atormentar o Galaxy. Novamente perdendo jogadores para diferentes seleções nacionais, as vitórias sumiram, e o clube despencou na tabela.

Sem uma vitória sequer nos últimos 3 meses (a última vitória do Galaxy foi em 14/06 contra o San Jose Earthquakes, por 3×0), o Galaxy passou de um dos favoritos a uma das vagas aos playoffs pelo Oeste, a pior time da MLS.

Os maus resultados custaram os empregos de Gullit e Lalas. Para o lugar de Gullit, veio o experiente técnico Bruce Arena, responsável pelo melhor resultado dos EUA em Copas do Mundo nas últimas décadas. Mesmo assim, nem Arena tem sido suficiente para levantar o time.

Com as seguidas ausências principalmente de Beckham e Donovan, seus principais jogadores, o LA soma 12 jogos sem vitória e, com 26 pontos, é o lanterna entre todos os times da MLS, contando as duas conferências.

Nesta última semana, já com a presença de todos os seus principais jogadores, o Galaxy perdeu novamente, dessa vez para o ex-lanterna da liga, o KC Wizards, por 2×0.

Se a temporada do Galaxy continuar dessa forma, a decepção será ainda maior do que no ano passado, pois não haveria como esconder as falhas atrás das mesmas desculpas. Uma nova eliminação antes dos playoffs será um gigantesco golpe no clube que mais investiu e acreditou no crescimento da MLS. Faltam apenas 6 jogos e, hoje, o Galaxy está a 5 pontos da classificação para os playoffs. Ainda dá, mas as estrelas terão que brilhar muito para reverter o destino.

Ganhando brilho

Se em Los Angeles a temporada do Galaxy não vai nada bem, seu grande rival mais ao norte, o San Jose Earthquakes, segue em uma escalada surpreendente. Depois de permanecer quase todas as semanas até agosto na última posição da liga, os Quakes estão a 10 jogos sem perder e já lutam diretamente por uma das vagas aos playoffs.

Nesta última semana, os Quakes enfrentaram o Dynamo, líder isolado do Oeste, atual bicampeão da MLS Cup e equipe que surgiu do antigo Earthquakes. Mesmo assim, o novo Quakes não se intimidou e arrancou um empate em 1×1.

Com isso, os Quakes têm 29 pontos e estão na quinta posição na Conferência Oeste, a apenas 2 pontos do segundo colocado. Se seguir nesse caminho de bons resultados nas poucas rodadas que faltam, o San Jose tem tudo para conseguir uma vaga nos playoffs nesse seu primeiro ano de renascimento, mostrando que voltou para brilhar na MLS.

Luta acirrada

Enquanto no Oeste, mesmo com ameaça de furacões (veja abaixo), o Dynamo segue cada vez mais líder, a luta pela liderança no Leste segue acirrada.

O NE Revolution, que liderou por diversas rodadas e apenas há poucas semanas perdeu novamente a liderança para o Columbus Crew, voltou a vencer de forma convincente. Enfrentando o Chivas USA no Gillette Stadium, os Revs golearam a equipe californiana por 4×0.

O Crew, por sua vez, vinha de uma seqüência de 4 vitórias seguidas, mas na última rodada patinou e apenas empatou com o agora lanterna Toronto FC por 1×1.

Assim, a diferença entre as equipes caiu para 3 pontos. E a disputa fica ainda mais emocionante porque provavelmente quem ganhar, ficará com o título de melhor time da temporada e levará para casa o Supporters’Shield, troféu dado ao campeão da temporada regular.

Segue o papelão internacional

Mais uma vez uma equipe da MLS fez feio na Liga dos Campeões da CONCACAF. Dessa vez foi o D.C. United, que recebeu o Deportivo Saprissa da Costa Rica em casa pela primeira rodada da fase de grupos, e perdeu por 2×0.

A atenuante para os americanos foi que o United jogou com muitos desfalques em virtude de contusões. Só que esse fato não deveria ser desculpa para uma derrota assim em casa. Até o momento, nenhum time dos EUA conseguiu ganhar na Champions’ da CONCACAF.

Ainda pelo Grupo A, do qual o United faz parte, o CD Marathon de Honduras ganhou de 2×0 do Cruz Azul do México.

O outro time da MLS que estava previsto para estrear no torneio era o Houston Dynamo. A equipe texana enfrentaria o CD Luís Angel Firpo, de El Salvador. Porém, em virtude da destruição causada pelo furacão Ike na região de Houston, o jogo foi adiado sem previsão ainda de nova data. Assim, o Dynamo fará sua estréia na competição apenas no dia 30/09, contra o Pumas UNAM, no México.

Pelo Grupo B, do Houston, o único jogo realizado foi entre San Francisco FC, do Panamá, e o Pumas, que terminou empatado em 1×1.

Vingança da América do Norte

Se os times estadunidenses não vão bem na CONCACAF Champions’ League, o único representante do Canadá não só estreou bem, como ainda vingou o NE Revolution.

Pelo Grupo C, o Montreal Impact derrotou o Joe Public FC de Trinidad & Tobago por 2×0, e somou seus primeiros 3 pontos na competição. O Joe Public foi a equipe que eliminou os Revs na fase preliminar da Liga dos Campeões, com duas vitórias, sendo a segunda uma goleada por 4×0 em Boston.

Os outros integrantes do Grupo C são CD Olimpia, de Honduras, e o FC Atlante, do México, que se enfrentarão nessa quinta-feira (18/09), pela primeira rodada da fase de grupos.
 

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo